sábado, 1 de novembro de 2014

"Uma visita a Castelo Novo"

Erguida sobre um afloramento rochoso na vertente leste da Serra da Gardunha, nasceu a bonita aldeia histórica de Castelo Novo.
E foi para lá, que o grupinho hoje constituído por mim, Jorge Palma, Paulo Jalles, Nuno Eusébio, António Leandro e Luís Lourenço nos deslocámos, quando abandonámos a cidade pouco depois das 08h00.
Tomámos inicialmente a direção de Cafede e à saída da povoação fletimos à esquerda para a estradinha panorâmica que nos conduziu até à Povoa de Rio de Moinhos, onde tomámos o cafezinho matinal, no café do bairro novo.
Já mais aconchegadinhos com aquela viciante malguinha de cafeína, seguimos para a Barragem da Marateca e passando o seu paredão, continuámos até à N.18 que seguimos até ao desvio, logo após o cruzamento das Atalaias, para Castelo Novo.
Ainda antes da sua bonita subida, com uma visão soberba sobre a aldeia, encaixada na meia encosta nascente da serra, cruzamos a Ribeira de Alpreade, um dos cursos de água que a ladeia, sendo a outra a de Gualdim.
Subimos até ao Chafariz da Bica, traçado com uma bonita linha arquitetónica e por ali nos entretivemos um pouco, com alguns momentos divertidos, aproveitando para tirar a foto de grupo.
Descemos um pouco, ao café "O Lagarto", para beber algo fresco antes de voltarmos à estrada.
Invertemos o sentido de marcha e descemos de novo até ao cruzamento das Atalaias, onde o Leandro nos deixou, seguindo diretamente para Castelo Branco via N.18.
Nós virámos para as Atalaias e depois da Póvoa da Atalaia, logo ali, fomos até à outra Atalaia, a do Campo, continuando pela estradinha panorâmica que segue para as Zebras.
À entrada desta aldeia fletimos para a direita e seguimos para a Lardosa, com passagem pelo Pé da Serra.
Na Lardosa, foi o Nuno Eusébio que se despediu da rapaziada e seguiu para a Póvoa de Rio de Moinhos, onde era esperado pela família.
Já com menos dois, dos que iniciaram o passeio asfáltico de hoje, continuámos pedalando, agora em direção aos Escalos de Cima, onde resolvemos continuar pelos Escalos de Baixo.
No Entroncamento do Lanço Grande, voltámos um pouco atrás, pela N.233, para o Paulo avaliar uma situação num dos seus terrenos.
Entramos ainda cedo na cidade, após 85 kms pedalados em boa harmonia, excelente camaradagem e sempre em alegre cavaqueira, ou não fossem alguns dos membros do grupo, exímios nessa "disciplina!"
Amanhã é dia de "vadiagem" com outras gentes, noutras paragens.
 
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC

Sem comentários: