sexta-feira, 16 de outubro de 2015

"Ciclocross até Monforte da Beira"

Depois de tubelizar as rodas da minha Canic, resolvi hoje dar uma voltinha para testar a coisa.
Resolvi ir até Monforte da Beira tomar o cafézinho no café do "Joaquim Padeiro".
Acompanharam-me o Ruben Cruz e o Jorge Varetas.
Logo pela manhã, atrasei-me uns minutos relativamente à hora combinada, pois o pneu traseira da "manhosa" não queria vedar e durante o trajeto ainda me pôs a "bombar" um bom par de vezes.
Abandonamos a cidade pelo Quinteiro e depois de passarmos junto ao cabeço de São Martinho e pelo Vedulho de Cima descemos ao asfalto.
Voltamos aos trilhos para a passagem pelo Monte do Cagavaio e descemos ao Rio Ponsul pelas traseiras da lixeira nova.
Depois de cruzar a ponte velha sobre o rio, fletimos à esquerda e sempre por estradão somos até ao Monte Grande, ladeando o Rio Ponsul até às malhadas do Monte Escrivão.
Ladeamos a barragem do Monte Grande e seguimos para Monforte da beira pelo Monte do Grilo (Barata).
Fizemos a paragem planeada no café do "Joaquim Padeiro" e depois de cruzarmos a aldeia, saímos em direção à Serra, que subimos até às proximidades das minas para descermos depois por uma quelha até ao limite do olival.
Tomámos depois o rumo ao Monte do Caldeireiro, mas com novas aramadas e portões fechados a cadeado, resolvemos regressar por asfalto, tanto mais que a hora da "bucha" já vinha ao nosso encontro.
Chegamos à cidade pelas 12h45 depois de 62 kms pedalados num percurso misto e na agradável companhia do Ruben e do Jorge.
Obg malta pela companhia!
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC

Sem comentários: