Avançar para o conteúdo principal

Tal como a àrvore de folha caduca"

Pensamento:
"Quando se busca o cume da montanha, não se dá importância ás pedras do caminho.
(autor desconhecido)

.o0o.

Balanço da minha actividade mensal

.o0o.
Terça Feira. 1 de Maio, dia do Trabahador.
E foram 13 os que compareceram para mais uma volta de BTT.
Tinha "postado" no Blog que iria ser uma volta pelos lados do Ponsul, na distância de 37 kms, mas alguém opinou os Lentiscais e como a Maratona de Portalegre é já no próximo Sábado, juntaram-se mais 1 dúzia de kms e algum acumulado.
Alguns companheiros ainda detêm a ideia errada de que, para treinar para um qualquer evento, neste caso Portalegre, basta "estafarem-se" uns dias antes. Enfim.!!
Cada um è como cada qual e finta como sabe.!!
Lá partimos, muito próximo das 09h em direcção à Carapalha para entrar na nova variante a IP2 e já próximo da rotunda da "Longofor" entrámos no trilho para os Maxiais.
Ali encontramos a Cristina Salavessa acompanhada dum betêtista que não conheço, que disse ir treinar até Alvaiade.
Fiz-lhe o convite para nos acompanhar, mas esta declinou, alegando que nós tinhamos mais pedalada. "Será.!!!! E a pedalada é assim tão importante. !!! Não será certamente.!!! No que me toca escolho pela companhia e não pela pedalada. Isso para mim não tem importância.
Antes de entrarmos em Maxiais, deambulámos por alguns trilhos engraçados que circundam a aldeia, onde entrámos e apanhámos o traçado da Maratona ACCB, cujo trajecto seguimos até aos Lentiscais.
Era ideia inicial ir tomar café ao "Pescaz", mas esbarrámos no portão fechado. "Ali também era feriado".
Continuámos por asfalto para atalhar caminho, depois de vários contratempos com avarias mecânicas (2 correntes partidas) e pernas emperradas, que alteraram substanciamente o tempo estimado de chegada à cidade e parámos num pequeno pinhal para a "merendinha da praxe", com uns a sacarem rápidamente as suas barritas energéticas de cores coloridas e os mais carentes a nível alimentar, com as suas variadas e algumas célebres"sandochas", como o PJFA e o Varadero, desta vez minorizadas pela XXL do Marco, que na primeira dentada teve que alargar o "bocal" à medida máxima.
Já com os estômagos aconhegados, continuámos em direcção ao Monte da Assentada, onde encetámos a rápida descida até à Ponte Nova do Ponsul, onde os mais temerários "deram o litro" e outros a "vê-los passar".eheheheh.!!
Dali seguimos pelo Monte do Chaveiro, onde efectuámos a bem "puxadinha" subida para o Monte Clérigo e que efectivamente só termina na Lixeira. Continuámos para o Monte do Vedulho, passámos no sopé do Monte de S. Martinho para apanhar o single track das Palmeiras, que percorremos na direcção invertida ao seu início habitual, chegando a Castelo Branco pelas 13h15, com 49 kms percorridos e cheios de peripécias.
Titulei esta "postagem" como "Tal como a folha caduca" por se assemelhar um pouco ao que aconteceu durante este nosso passeio.
Logo na parte inicial, o primeiro abandono, ainda na nova variante à IP2.
à entrada dos Maxiais outro companheiro partiu a corrente da sua bicla e regressou à cidade.
Ao chegarmos ao Ponsul, outros 3 companheiros saíram do pelotão, presumo que por "avaria geral" e resolveram continuar por alcatrão, contrariando a máxima betêtista de que "o alcatrão faz mal aos pulmões".
Chegados à lixeira, outros dois companheiros se renderam ao "encanto" do alcatrão e seguiram-no para a cidade.
E foram 5 os "teimosos" que teimaram em continuar a pedalar pelos trilhos delineados até ao final.
Um reparo de admiração para o Nuno Maia, cuja "capacidade de sofrimento" melhorada desde hà algum tempo a esta parte, lhe vem aumentando a "performance"
(Quem o viu e quem o vê).!!! Continua que estás no bom caminho.!!!
"Moral da história":
Assim como a àrvore de folha caduca vai perdendo as folhas, assim eu fui perdendo os companheiros.
Também hoje não consegui fazer o clip de vídeo que desejava, pois a bateria deu o "berro" logo nos primeiros kms e ainda não tenho outra de reserva.
Como apenas tinha filmado uma passagem com alguns segundos, fiz um arranjinho para aumentar um pouco e manter o clip no blog, pois também não levei máquina fotográfica. as fotos postadas foram cedidas pelo Nuno Maia. Mas melhores dias virão. Irei treinando.
.o0o.

Altimetria



Percurso no Google



.o0o.

Na próxima Terça Feira, dia 8 pelas 08h30, no P. Infantil da Pires Marques para mais umas pedaladas. Compareçam.

.o0o.


Comentários

Abilio disse…
Sabia que não seria uma boa companhia esse dia pois, cada vez que fazia algum esforço maior ficava com uma dor de cabeça terrivel (acordei já com ela).Espero que repitam essa voltinha, e eu esteja em melhores condições, para vos poder acompanhar.Um abraço. Abilio Fidalgo.

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Passeio de mota pelo Geopark Las Villuercas e Guadalupe"

"Feliz do homem que possui uma moto, ele pode viajar, ver paisagens e entender-se a si próprio." (Eric Viking) Hoje foi dia de dar liberdade à mota. Na companhia dum casal amigo, o José Paulo e a Carla, fomos passear de mota pelas Dehezas Extremeñas, Geopark de las Villuercas e uma pequena visita a Guadalupe, um dos mais bonitos "pueblos" de Espanha. marcamos encontro na Pastelaria "A Ministra", numa das rotundas do Bairro da Carapalha e pouco depois das 08h30, já com a matinal dose de cafeína ingerida, fizemo-nos à estrada. Rumamos a Segura, onde entramos na "tierra de nuestros hermanos" seguindo depois até á Ponte Romana de Alcântara, onde efetuamos uma pequena paragem para apreciar aquela fantástica obra de engenharia romana que maravilhou o mundo antigo. Com uma história que se perde no tempo, esta ponte carrega peripécias e curiosidades. Não entramos na povoação e por uma estradinha "vecinal" seguimos para Mata de Alcântara e Gar…

"Volta vadia a ver o mar"

"A felicidade é um fim de tarde olhando o mar" (Marina Nader)
 . . .e foi esse o objetivo deste meu passeio de bicicleta, que gosto de chamar de "volta vadia". Ir ver o mar na Figueira da Foz.
Delineei o percurso, circular como sempre, juntei um grupo de amigos, também eles fãs deste tipo de passeios velocipédicos e fizémo-nos à estrada.
Saímos de Castelo Branco pelas 06h00 e fomos tomar o primeiro cafezinho da manhã à Pastelaria "Estrela Doce", na Sertã, onde o meu irmão Luís nos esperava.
Depois da dose cafeínica e do pastelinho de nata, seguimos para Condeixa a Nova, o local de partida e chegada desta nossa pequena aventura, estacionando as viaturas no parque auto do Lidl.
Cerca das 08h30, já pedalávamos em direção a Ega, a primeira povoação que passaríamos rumo à Figueira da Foz.
O dia estava ótimo para pedalar e o pouco vento que se fazia sentir era nosso aliado.
Sempre em ritmo animado e em alegre cavaqueira, como é habito, quando algumas "per…