Avançar para o conteúdo principal

# Foi mesmo para "desmoer"#


Não estava inicialmente nos meus planos ir pedalar no dia 26.
Porém:
Como tinha a manhã livre, resolvi aderir ao convite do "Varadero" e comparecer nas Docas no "passeio para desmoer".
Saí de casa pelas 09h20 e após constante gincana entre carros na complicada Avenida General Humberto Delgado, lá conseguí chegar às Docas, onde ainda não se encontrava ninguém.
Já passavam 5 minutos da hora aprazada e eu já estava para regressar a casa e pegar na minha "asfáltica", quando chega o "Varadero", também ele sózinho e que me disse que apenas o Norberto tinha "respondido à chamada", mas que ainda estava um pouco atrazado, pelo que, resolvemos ir ao seu encontro.
Depois de tomarmos o cafézinho e após um curto compasso de espera, demos início ao passeio pós-natal para desmoer todas aquelas "guloseimas" ingeridas nesta época festiva e espalhar "toxinas" por esse campo fora, após terem sido queimadas pelo "corpinho" já a mostrar algum "inchaço", que nos altera um pouco a estética, pela qual tanto trabalhamos durante o ano. eh eh
Logo a começar, duas entradas em propriedade alheia, por engano, até que demos com o caminho certo logo a seguir à rotunda de acesso à A23.
Seguimos esse Caminho até à via férrea na zona do "celebérrimo" portal do frigorífico, onde atravessámos a linha, não sem antes levarmos um pequeno aperto da automotora, que nos brindou com umas valentes "cornetadas" e nos fez pensar: "olha se venho um minuto atrasado. Ufa!!!
Entrámos seguidamente na quelha das Fontainhas e mais à frente virámos para outra quelha, outrora impraticável, mas que agora foi "rudemente" limpa para a passagem do gado e que proporciona um bom momento de BTT, pela técnica necessária para ultrapassar as dezenas de pequenos obstáculos compostos por pedras e paus, que nos fazem pedalar em constante zig-zag.
passada as quelhas continuámos em direcção ao Forninho do Bispo, onde nos divertímos no sobe e desce até ao estradão no Vale do Ponsul.
Continuámos sempre pelo estradão passando pelos Montes do Sordo, Jambum e da Ponte, onde parámos, no Ribeiro do Cagavaio para a foto de grupo.
Atravessámos seguidamente a EN.18.2 para o Monte do Chaveiro, onde iniciámos a subida para a Lixeira Nova e que felizmente, nesta época do ano não tem aquele cheiro intenso que por vezes "dificulta a subida".
Cruzámos de novo a EN.18.2, agora em direcção ao Monte do Cagavaio, pela, creio que única, mancha de eucaliptos que ainda persiste naquela zona, num intenso serpentear em trilhos em que dá gozo pedalar.
Já com o Cabeço de S. Martinho à vista, pedalámos na sua direcção para o ladear rumo ao single das Palmeiras, mas que, acabámos por não fazer e descobrir um outro single, onde pedalei pela primeira vez, bem "adrenalínico" por sinal e que nos levou ao "portal do telheiro" já próximo da Carapalha.
Entrámos na cidade pelas 13h com 37 kms percorridos em amena cavaqueira e já com muito pouco para "desmoer"
Um passeio de Btt!!!!
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos
AC

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Rota do Bucho/2016"

Pelo segundo ano consecutivo, resolvi editar a Rota do Bucho, com um passeio pelos trilhos de Malpica do Tejo, uma bonita aldeia onde tenho raízes, que termina à mesa com um belo bucho de ossos à boa moda malpiqueira. Convidei um "magote" de amigos, dos quais dezasseis disseram presente. O ponto de reunião, foi desta vez na Pastelaria Cantinho dos Sabores, na Rotunda da Racha, onde tomamos o cafézinho matinal. Pelas 08h20 partimos em pelotão auto rumo a Malpica do Tejo, onde o Rui e a Sandra Tapadas já nos aguardavam. A previsão era de vento forte e alguns aguaceiros e desta vez o S. Pedro não nos "despontou", mandou mesmo umas belas rajadas de vento e umas belas bátegas de água, que nos atingiram por três vezes, um pouco no início desta pequena aventura, sensivelmente a meio, quando estávamos à vista de um local de abrigo, a aldeia de Lentiscais e no final, em jeito de banho. Pelas 09h00, como planeado, abandonávamos a aldeia rumo ao Monte do Couto do Alberto, en…

"Hoje fomos à romaria"

A manhã acordou hoje límpida e solarenga, num bom incentivo para um bom par de pedaladas asfálticas. Quando saí da garagem já o Álvaro e o Leandro me esperavam. Juntos fomos até à Rotunda das Violetas, ao encontro do Luís Lourenço e do Nuno Eusébio. Pouco depois chegou o Jorge Palma. Para não perder a prática tive ainda que mudar a câmara de ar da minha roda traseira que vinha com um pequeno furo, originado por uma limalha. Já com a "ézinha" pronta a rodar, fizemo-nos à estrada, abandonando a cidade pela Milhã, rumo ao Juncal do Campo pela estradinha panorâmica da Quinta de Valverde. Cruzamos a aldeia e entroncamos na N.12, onde fletimos à direita, rumo ao Padrão, uma pequena aldeia que este fim de semana se encontra engalanada para a festa da Nossa Senhora da Saúde. Entramos na aldeia e fomos tomar o cafezinho matinal no bar junto ao adro da igreja, gentilmente servido por um senhor, creio que festeiro, que fez questão de oferecer os cafezinhos e que agradecemos. Descemos …

Alvaiade, Perdigão e Vila Velha de Rodão"

Hoje, com um pelotão mais numeroso, fomos tomar o cafézinho matinal à Bolaria Rodense, em Vila Velha de Rodão. Abandonamos a cidade pouco depois das 08h30 e rumamos ao Perdigão, com passagem por Sarnadas de Rodão e Alvaiade. Seguimos depois pela estradinha panorâmica que liga o Perdigão a Vila Velha de Rodão, usufruindo da bonitas paisagens sobre a Serra das Talhadas e Vilas Ruivas. Depois da pequena tertúlia na Bolaria Rodense e já com os níveis repostos, rumamos à cidade, com passagem pelo Coxerro e Sarnadas. Aqui voltamos a encontrar o Joaquim Cabarrão e o Salvado, que deram uma volta mais pequena e juntos seguimos até à entrada da cidade, onde nos voltamos a separar, pois o restante grupo foi pela variante à Carapalha. Numa manhã já bem primaveril, alinharam para esta bonita volta, além de mim, o Jorge Palma, Tó Pinto, Fernando "Caraíbas", Sr. Silva, António Leandro e o João Salavessa.  Foram 75 kms, repletos de divertidas pedaladas, na companhia deste animado grupo de …