Avançar para o conteúdo principal

"BTT Anfíbio"

Pois é, desta vez foram 70 kms de btt terrestre e também anfíbio na grande bacia hidrográfica da Barragem de Santa Águeda (Marateca) e com um acumulado de apenas 390 de desnível acumulado.

Num dia tórrido para a prática do btt em que muitos betêtistas se acomodam na sombra do seu quarto por mais umas horitas, outros há em que, domingo é domingo e como tal é dia da voltinha de btt, quer chova quer faça sol, basta adequar a voltinha para amenizar o "sofrimento" e foi o que aconteceu nesta bela manhã de domingo.
Doze teimosos betetistas, ignorando a tão em voga moda dos alertas, (no meu tempo só havia o "sentinela alerta . . . alerta está!!!") juntaram-se na Pires Marques para mais uma voltinha de fim de semana: AC; Abílio Fidalgo; Paulo Neto; Jorge Palma; João Afonso; Nuno Maia; Roberto Nabais; Pedro Antunes; Dino; Paulo Jalles; Bruno e Rui Salgueiro.
Por sugestão do Fidalgo rumámos à Lardosa com o intuíto de nos encontrarmos com a rapaziada das "Pasteleiras", evento que decorria naquela localidade em mais uma iniciativa do Pinto Infante.
Bem houve umas tentativas de aceleração, mas o pelotão não foi na conversa, rodando calmamente, pelo que já não conseguímos chegar a tempo de confraternizar com as "antigas glórias do pedal".
Tomámos o cafézinho matinal no "Tá-se Bem" e dali resolvemos rumar à Barragem com a intenção de a contornar.
Ao chegarmos ao pontão onde o Rio Ocreza despeja as suas águas na Barragem, verificámos que tal não era de todo possível, pois ainda havia muito volume de água e ainda bem!!!.
Demos mais uma volta sempre rodeando a barragem e lá chegámos junto à agua, onde uns quantos não conseguiram resistir a um mergulho naquela água tépida e "catchapum", nem houve tempo para tirar os capacetes, luvas sapatos e àgua com eles!!!
Três dos companheiros, resolveram logo ali abandonar o grupo, um porque queria estar em casa ás 12h, ou outro por solidariedade e outro para dar umas aceleradelas, que hoje a volta era "pachorrenta"
Após a primeira sessão de banhos, seguiu-se umas pequenas travessias aquáticas com as bikes culminando na "Baía dos Chapanços" assim lhe chamo, tal não era a algazarra que a malta fazia a chapinhar que nem criancinhas. É tão bom soltar a criança que há em nós, de vez em quando e soltar o stress acumulado durante a semana!!!
O tempo avançava rápidamente e havia rapaziada com compromissos e lá tivemos que adandonar a nossa praia improvisada para rumar a casa.
O Roberto Nabais que ainda ia a um baptizado, pediu à esposa que o fosse buscar e o Nuno Maia com a cavilha do amortecedor traseiro da sua Canyon partido, acabou por aproveitar a boleia do Roberto e regressarem os dois à cidade por outra via.
O restante grupo já refrescado do calor e com a roupinha molhada a não deixar aumentar em demasia a temperatura corporal, saiu da letargia que tinha sido a primeira parte do percurso e rumou à cidade em "acelerado" para estar a tempo da paparoca com as respectivas famílias.
Numa manhã quente e diferente, marcada pelo convívio e camaradagem, ex-libris deste grupo de malta que se junta nas terças e domingos na Pires Marques, foi mais uma manhã em pleno para mais tarde recordar.

Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
AC

Comentários

rarn disse…
Tchapum!!
Esta foi realmente mais uma volta para ficar na memória.

E ... como já tinha dito, com este tempo, já só vou a passeios que ... "metam água".

1 Abraço

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Passeio de mota pelo Geopark Las Villuercas e Guadalupe"

"Feliz do homem que possui uma moto, ele pode viajar, ver paisagens e entender-se a si próprio." (Eric Viking) Hoje foi dia de dar liberdade à mota. Na companhia dum casal amigo, o José Paulo e a Carla, fomos passear de mota pelas Dehezas Extremeñas, Geopark de las Villuercas e uma pequena visita a Guadalupe, um dos mais bonitos "pueblos" de Espanha. marcamos encontro na Pastelaria "A Ministra", numa das rotundas do Bairro da Carapalha e pouco depois das 08h30, já com a matinal dose de cafeína ingerida, fizemo-nos à estrada. Rumamos a Segura, onde entramos na "tierra de nuestros hermanos" seguindo depois até á Ponte Romana de Alcântara, onde efetuamos uma pequena paragem para apreciar aquela fantástica obra de engenharia romana que maravilhou o mundo antigo. Com uma história que se perde no tempo, esta ponte carrega peripécias e curiosidades. Não entramos na povoação e por uma estradinha "vecinal" seguimos para Mata de Alcântara e Gar…

"Volta vadia a ver o mar"

"A felicidade é um fim de tarde olhando o mar" (Marina Nader)
 . . .e foi esse o objetivo deste meu passeio de bicicleta, que gosto de chamar de "volta vadia". Ir ver o mar na Figueira da Foz.
Delineei o percurso, circular como sempre, juntei um grupo de amigos, também eles fãs deste tipo de passeios velocipédicos e fizémo-nos à estrada.
Saímos de Castelo Branco pelas 06h00 e fomos tomar o primeiro cafezinho da manhã à Pastelaria "Estrela Doce", na Sertã, onde o meu irmão Luís nos esperava.
Depois da dose cafeínica e do pastelinho de nata, seguimos para Condeixa a Nova, o local de partida e chegada desta nossa pequena aventura, estacionando as viaturas no parque auto do Lidl.
Cerca das 08h30, já pedalávamos em direção a Ega, a primeira povoação que passaríamos rumo à Figueira da Foz.
O dia estava ótimo para pedalar e o pouco vento que se fazia sentir era nosso aliado.
Sempre em ritmo animado e em alegre cavaqueira, como é habito, quando algumas "per…