Avançar para o conteúdo principal

"Um saltinho aos Lentiscais"

Pelas 08h já se sentia na pele um prenúncio da canícula que hoje iríamos enfrentar!!!

Ainda assim, 4 companheiros, eu incluído não resistímos ao salutar vício de dar umas pedaladas de Btt. AC, Filipe, Carlos Sales e Dino.
Hoje resolvemos dar uma volta um pouco mais curta, mas nem por isso menos selectiva, apontando azimute para a altaneira aldeia de Lentiscais.
Saímos da cidade pelas 08h10 em direcção ao Valongo, onde num longo carrossel ondulante em subidas e descidas, algumas com percentagens de 2 dígitos chegámos ao Cabeço do Pico, após nos termos deliciado com a passagem em alguns trilhos que há já muito tempo não passava, na Várzea do Sapinho e Escudeira.
Logo à passagem do Ribeiro do Muro, o Filipe teve o furo do dia na roda traseira da sua bike, hoje também "apoquentada" com problemas no travão traseiro.
Depois de mudada a câmara de ar, e após a passagem num belo single track que dá acesso ao Cabeço do Pico, resolvemos hoje trilhar um novo caminho no Monte dos Inventos, onde ainda nunca tinha passado de bike, mas que sabia ali existir.
Logo após duas dezenas de metros, a decepção . . . o mesmo tinha sido lavrado em parte e o restante encontrava-se bastante "sujo" com matagal e madeira de eucalipto já meio apodrecida, onde a progressão foi lenta e técnica.
Resta-nos o single do Pico, onde a adrenalina dispara alto, pela exigência técnica e ainda pelo facto do trilho ser bastante estreito.
Passada esta fase, entrámos em asfalto para cruzar a ponte sobre o Rio Ponsul com as suas águas esverdeadas, nesta altura do ano derivado às microalgas, para numa viragem à esquerda entrarmos na penosa subida para os Lentiscais.
Ali chegados rumámos logo ao "Pescaça", nosso café de eleição para o cafézinho matinal, mas que hoje se encontrava fechado, pelo que demos meia volta e fomos ao Centro Social tomar a "cafézada", que hoje derivado à alta temperatura que se fazia sentir, a malta optou por umas bebidas bem fresquinhas.
Após dois dedos de conversa com o "Ti Joaquim Cabaço" aposentado da Câmara Municipal cá do burgo, onde recordámos alguns momentos remotos, fizémo-nos de novo aos trilhos em direcção ao Monte do Pardal, para já no Monte do Picado nos lançarmos pela rápida descida para a Ponte do Ponsul, onde mais uma vez verificámos que a "Ti Amélia" mantém a tasca fechada desde a morte do seu filho. Que pena!!!
De facto a "Ti Amélia" já se encontrava também um pouco debilitada em termos de saúde. Que melhore rápidamente, é o que lhe desejo!!!
Após a ponte, dificilmente conseguíamos deixar de olhar para aquele "Cabeção" que tinhamos que conquistar no Monte do Clérigo, com a subida até à lixeira, numa zona agora bastante árida após o corte das árvores e com o calor que estava, fez-nos penar um pouco.
Cruzámos a N.18 e entrámos num trilho bastante curvilínio e engraçado até ao Monte dos Cagavaios, onde a visão do Monte de S. Martinho foi algo que já buscávamos hà algum tempo.
Chegámos à cidade pelas 11h30 e a convite do Carlos Sales deliciámos-nos com uma cervejinha de marca branca, eh eh eh, que arrefeceu de imediato o "radiador" que já vinha quase a ferver.
Mais uma terça feira pedalante em franca camaradagem neste grupo de amigos, que se junta para pedalar, conviver e inovar, sempre que que as obrigações o permitem.
Fiquem bem
Vemo-nos nos trilhos!!!
AC

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Passeio de mota pelo Geopark Las Villuercas e Guadalupe"

"Feliz do homem que possui uma moto, ele pode viajar, ver paisagens e entender-se a si próprio." (Eric Viking) Hoje foi dia de dar liberdade à mota. Na companhia dum casal amigo, o José Paulo e a Carla, fomos passear de mota pelas Dehezas Extremeñas, Geopark de las Villuercas e uma pequena visita a Guadalupe, um dos mais bonitos "pueblos" de Espanha. marcamos encontro na Pastelaria "A Ministra", numa das rotundas do Bairro da Carapalha e pouco depois das 08h30, já com a matinal dose de cafeína ingerida, fizemo-nos à estrada. Rumamos a Segura, onde entramos na "tierra de nuestros hermanos" seguindo depois até á Ponte Romana de Alcântara, onde efetuamos uma pequena paragem para apreciar aquela fantástica obra de engenharia romana que maravilhou o mundo antigo. Com uma história que se perde no tempo, esta ponte carrega peripécias e curiosidades. Não entramos na povoação e por uma estradinha "vecinal" seguimos para Mata de Alcântara e Gar…

"Volta vadia a ver o mar"

"A felicidade é um fim de tarde olhando o mar" (Marina Nader)
 . . .e foi esse o objetivo deste meu passeio de bicicleta, que gosto de chamar de "volta vadia". Ir ver o mar na Figueira da Foz.
Delineei o percurso, circular como sempre, juntei um grupo de amigos, também eles fãs deste tipo de passeios velocipédicos e fizémo-nos à estrada.
Saímos de Castelo Branco pelas 06h00 e fomos tomar o primeiro cafezinho da manhã à Pastelaria "Estrela Doce", na Sertã, onde o meu irmão Luís nos esperava.
Depois da dose cafeínica e do pastelinho de nata, seguimos para Condeixa a Nova, o local de partida e chegada desta nossa pequena aventura, estacionando as viaturas no parque auto do Lidl.
Cerca das 08h30, já pedalávamos em direção a Ega, a primeira povoação que passaríamos rumo à Figueira da Foz.
O dia estava ótimo para pedalar e o pouco vento que se fazia sentir era nosso aliado.
Sempre em ritmo animado e em alegre cavaqueira, como é habito, quando algumas "per…