quarta-feira, 2 de julho de 2008

"Por Vales Profundos"

Depois dum fim de semana bem recheado de aventura lá para os lados da Barroca do Zêzere a preparar o track gps para a Rota do Volfrâmio e no Domingo com uma voltinha anfíbia, fui pedalar na passada terça feira acompanhado do Agnelo Quelhas, Jorge Palma e FMike por vales profundos.
No dia anterior preparei um track gps a retalho para a voltinha das terças.
Saimos da cidade pelas 08h15 em direcção ao Vale dos Gagos que antecede a subida aos Maxiais.
Passámos junto ao cemitério e numa viragem à esquerda entrámos nos trilhos que dão início à longa e adrenalínica descida para a Ribeira do Muro. Foi sempre a abrir . . . não no meu caso pois corto-me um pouco nas descidas. Já tive alguns avisos "divinos" e quando assim é, há que respeitar!!!
Depois dum sobe e desce pela zona dos Macarros chegámos ao asfalto próximo de Alfrívida para logo entrarmos de novo nos trilhos em direcção à Garreta, logo com um pequeno malho na travessia da ribeira de Alfrívida, nada de especial além de ter partido o bloqueio da suspensão dianteira.
Continuámos seguidamente na direcção dos vales da Budaneira e da Vidigueira até chegarmos próximo da Povoação de Vale de Pousadas, onde efectuámos um pequeno desvio para beber uma bjeca e comer qualquer coisinha.
Saímos de Vale Pousadas em direcção à penosa subida da Ladeira de S. Gens, mas desta vez ignorámo-la, seguindo em direcção ao par de paredes do Monte dos Ratinhos, um verdadeiro martírio, não só pela inclinação mas também pelo calor que se fazia sentir.
Valeu-nos o Vale do Gamão para nos dar algum descanso, onde apesar de ser algo ondulante, dava para pedalar sem grandes aflições.
Chegados ao Retaxo subimos à cumeada das Olelas para descermos para o Vale das Quedas e Vale da Dona, subindo ao Monte Rei onde avistámos de novo os Maxiais que circundámos para entrar na cidade pelo Valongo, com paragem obrigatória para um par de bjecas no Bar da Associação do Valongo.
O Agnelo, com compromissos, não teve tempo para a pequena sessão hidratante à base de suco de cevada, que nos fez esquecer o pequeno empeno.
Uma voltinha de 64 kms com alguma dureza, mas que valeu pelo seu enquadramento e camaradagem.

Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
AC

Sem comentários: