Avançar para o conteúdo principal

"Pelos Rodeios e Vale do Homem"

Quarta feira cinzenta e com previsões de chuva, apesar do frio ter recuado um pouco, relativamente aos dias anteriores, foi o cenário que encontrámos, eu AC, o Silvério, o Filipe e o Pedro Barroca, os 4 companheiros que hoje compareceram na Pires Marques para recordar, para uns e conhecer para outros, alguns dos bonitos trilhos e algumas interessantes veredas na zona dos Rodeios e Vale do Homem.
Saímos de Castelo Branco pelas 08h15 com passagem na Talagueira e Baixo da Maria e derivado ao tempo instável, ajustei um pouco o percurso inicialmente delineado de forma e evitar algumas passagens, que nesta altura do ano se podem tornar desagradáveis e sobretudo desnecessárias.
Direccionámo-nos às Benquerenças e após passagem pela abandonada aldeia da Azinheira chegámos ao nosso já conhecido "Restaurante do Ramalhete", junto ao Apeadeiro na Represa, onde efectuámos a primeira paragem para a dose matinal de cafeína.
Seguimos depois em direcção aos Amarelos e após cruzarmos o Vale do Morgado chegámos à pitoresca Aldeia de Rodeios, onde nos deliciámos nalgumas bonitas passagens e veredas na parte velha da povoação, que animaram a rapaziada.
entrámos depois no velho estradão, agora alcatroado, para pouco depois cruzarmos a aldeia do Vale do Homem, com mais uma bonita passagem, desta vez rumo ao Vale da Pereira e Ribeira do Açafal, zona completamente absorvida pela intensa neblina que a todo o custo tentámos evitar.
A manhã mantinha-se instável e a chuva ía aguardando que palmilhássemos kms como que esperando que concluíssemos a nossa tirada de hoje.
Chegados ao alto do Vale da Pereira, virámos à esquerda para relembrar um velho trilho que conheci à uns quantos anos atrás e que duvidava se ainda estava ciclável.
Entrámos no referido trilho com uma pequena subida a exigir o nosso melhor esforço, depois de uma adrenalínica descida rápida e em terreno sem grandes complicações.
Entroncámos seguidamente no estradão que vem da Atalaia e ao chegarmos ao cemitério das Sarnadas virámos à direita para a Fonte Nova, continuando por trilhos e estradões até aos Cebolais de Baixo, onde fizémos uma segunda paragem no Café Estoril para o último reabastecimento.
Num acto de solidariedade para com o Filipe, fã confesso da Coca Cola, bebêmos uma mini bjeca preta, para não fujir à cor e lá continuámos a nossa voltinha de hoje, já de regresso à cidade, com passagem na Sra da Guia e Retaxo e subindo as Olelas por um trilho pedregoso, para entrarmos na última vereda do dia, que nos conduziu quase ao alto, para depois entrarmos nos já mais que conhecidos trilhos das Olelas.
À entrada no asfalto o Silvério furou e o Filipe e o Pedro continuaram pois eram 12h10 e eles ainda tinham que ir trabalhar, enquanto que eu e o Silvério não tinhamos compromissos de maior.
E ainda bem que eles continuaram, pois a mudança da câmara de ar na roda traseira da bike do Silvério quase que dava para entrar no Guiness Book. Nada mais nada menos que 40 minutos demoraram estes dois campeões a mudar a câmara, após ter danificado uma e a encher o pneu.
A culpa é do Silvério que deve ter comprado a bomba de ar no Alentejo, pois só dava ar em modo alentejano. Devagar, devagarinho e a maior parte das vezes parado. (não dava ar, ou dava pelas duas saídas)
Depois deste longo aquecimento extra, rumámos finalmente à cidade, com passagem ainda pelo Vale das Quedas e Monte do Rei, onde entrámos pelas 13h30, com 62 kms percorridos na companhia de amigos e apesar de bastante sujos derivado aos caminhos bastante enlameados, enxutos, graças ao S. Pedro que retardou a chuva o tempo necessário para chegarmos a casa.

Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos.
AC

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Rota do Bucho/2016"

Pelo segundo ano consecutivo, resolvi editar a Rota do Bucho, com um passeio pelos trilhos de Malpica do Tejo, uma bonita aldeia onde tenho raízes, que termina à mesa com um belo bucho de ossos à boa moda malpiqueira. Convidei um "magote" de amigos, dos quais dezasseis disseram presente. O ponto de reunião, foi desta vez na Pastelaria Cantinho dos Sabores, na Rotunda da Racha, onde tomamos o cafézinho matinal. Pelas 08h20 partimos em pelotão auto rumo a Malpica do Tejo, onde o Rui e a Sandra Tapadas já nos aguardavam. A previsão era de vento forte e alguns aguaceiros e desta vez o S. Pedro não nos "despontou", mandou mesmo umas belas rajadas de vento e umas belas bátegas de água, que nos atingiram por três vezes, um pouco no início desta pequena aventura, sensivelmente a meio, quando estávamos à vista de um local de abrigo, a aldeia de Lentiscais e no final, em jeito de banho. Pelas 09h00, como planeado, abandonávamos a aldeia rumo ao Monte do Couto do Alberto, en…

"Hoje fomos à romaria"

A manhã acordou hoje límpida e solarenga, num bom incentivo para um bom par de pedaladas asfálticas. Quando saí da garagem já o Álvaro e o Leandro me esperavam. Juntos fomos até à Rotunda das Violetas, ao encontro do Luís Lourenço e do Nuno Eusébio. Pouco depois chegou o Jorge Palma. Para não perder a prática tive ainda que mudar a câmara de ar da minha roda traseira que vinha com um pequeno furo, originado por uma limalha. Já com a "ézinha" pronta a rodar, fizemo-nos à estrada, abandonando a cidade pela Milhã, rumo ao Juncal do Campo pela estradinha panorâmica da Quinta de Valverde. Cruzamos a aldeia e entroncamos na N.12, onde fletimos à direita, rumo ao Padrão, uma pequena aldeia que este fim de semana se encontra engalanada para a festa da Nossa Senhora da Saúde. Entramos na aldeia e fomos tomar o cafezinho matinal no bar junto ao adro da igreja, gentilmente servido por um senhor, creio que festeiro, que fez questão de oferecer os cafezinhos e que agradecemos. Descemos …

Alvaiade, Perdigão e Vila Velha de Rodão"

Hoje, com um pelotão mais numeroso, fomos tomar o cafézinho matinal à Bolaria Rodense, em Vila Velha de Rodão. Abandonamos a cidade pouco depois das 08h30 e rumamos ao Perdigão, com passagem por Sarnadas de Rodão e Alvaiade. Seguimos depois pela estradinha panorâmica que liga o Perdigão a Vila Velha de Rodão, usufruindo da bonitas paisagens sobre a Serra das Talhadas e Vilas Ruivas. Depois da pequena tertúlia na Bolaria Rodense e já com os níveis repostos, rumamos à cidade, com passagem pelo Coxerro e Sarnadas. Aqui voltamos a encontrar o Joaquim Cabarrão e o Salvado, que deram uma volta mais pequena e juntos seguimos até à entrada da cidade, onde nos voltamos a separar, pois o restante grupo foi pela variante à Carapalha. Numa manhã já bem primaveril, alinharam para esta bonita volta, além de mim, o Jorge Palma, Tó Pinto, Fernando "Caraíbas", Sr. Silva, António Leandro e o João Salavessa.  Foram 75 kms, repletos de divertidas pedaladas, na companhia deste animado grupo de …