Avançar para o conteúdo principal

"A vêr a Neve"

Já tinha dito para comigo mesmo que quando tornasse a haver neve na Gardunha que ía dar umas pedaladas até lá, nem que fosse sózinho.

Porém, o Pedro Barroca também estava louco por girar os "cranks" sobre neve e aasim combinámos na terça feira que na quarta, se o tempo o permitisse, seria o nosso destino.
Nesta quarta feira, juntaram-se-nos ainda o Carlos Sales e O Mike e todos eles ficaram entusiasmados em ir pedalar ao encontro da Neve.
O Mike com compromissos inadiáveis para estar na cidade pelas 13h, ainda assim arriscou em percorrer esta longa distância e bem o fez, pois o grupo era homogéneo e salvo algum precalço de maior, conseguiríamos dar conta do recado.
Lá partimos pelas 08h30, após esperarmos pelo Pedro que saíu de serviço já equipado para esta aventura (ganda maluco, é preciso gostar mesmo de andar de bike!!!), com os olhos postos naquele grande "Caramouço" denominado Serra da Gardunha.
Em boa velocidade, imposta pela nossa "lebre de serviço", o Carlos, rolámos em boa velocidade até á Soalheira, com paragem no bar dos Bombeiros para o reabastecimento e angariar fôlego para a arfante subida que nos esperava.
Desta vez toda a gente mastigou bem a merenda (eheheh) e então o Mike ía esgotando a Padaria logo de manhã, pois fartou-se de roer nos papossecos!!
Já com a pele desengelhada, continuámos a nossa aventura de hoje em busca da ditosa neve que sabíamos não ser fácil de alcançar, pois vía-se que estava bem alta.
Iniciámos a subida por S. Fiel e a meio caminho da casa do Guarda começámos a ver os primeiros farrapinhos espalhados nalguns recantos mais recônditos.
Conforme íamos subindo o volume de neve também ía aumentando e nos 2 kms que antecederam a Casa do Guarda ela já existia em quantidade suficiente para nos divertirmos.
Eu, com a pressa logo pela manhã, até me esquecí de carregar a bateria da minha digital e esta simplesmente foi-se. azar danado e logo neste dia!!!
Toca de recorrer à câmara de recurso. . . esse mesmo. . . o telemóvel e toca disparar para tudo o que fosse branco. Belas fotos dalí saíram, com os meus companheiros a pisarem a dita com as suas bikes, algumas bincadeiras engraçadas, ataques de neve por arremesso, bonitas paisagens. Enfim!!
Mas o azar entranhou-se logo pela manhã e quando já em casa transferí as fotos para o computador, apaguei-as no cartão de memória como sempre faço.
A surpresa foi quando fui para trabalhar as fotos no PC e só lá estavam atalhos. Gaita. . . como é que isto foi acontecer!!! E logo na volta da neve. Irra, que é preciso ter azar.
Valeu-me o amigo Mike, que gentilmente me cedeu algumas das suas fotos para aqui postar, senão hoje era só palavreado!!!
Mas avancemos!!
Lá em cima ficámos extasiados com o explendor das paisagens envolventes, polvilhadas por toda aquela brancura. Que bonito! Valeu bem o esforço para lá chegar.
Agora a preocupação era o compromisso do Mike que tinha hora para estar na cidade e toca a retroceder pelo que resolvemos descer para Castelo Novo numa descida bem nevada e com bastante gelo pisado por algumas viaturas.
Para mim foi algo de novo e emocionante e escorregadela para aqui, escorregadela para alí, lá cheguei junto à fábrica das águas do Alardo, onde já me esperavam os meus companheiros que rápidamente se puseram lá embaixo. . . resta-me saber se foram a pedalar ou a esquiar.
Lembrei-me do meu amigo Filipe que hoje não nos pôde acompanhar. Como ele gostaria de "dar ao rabo" por alí abaixo. eheheh!!!
Quando estávamos para retomar a marcha, eis que o Pedro detectou um furo na roda traseira, o que iria atrasar a comitiva.
O Mike e o Carlos abalaram então rumo à cidade e já tinham que dar bem "à caneta" para chegarem à hora desejada e eu fiquei com o Pedro a reparar o furo.
A coisa acabou por ficar linda e como se já não bastasse a lama, o gelo e a neve, acabei também por levar uma boa dose de "nhanha" da camara de ar do Pedro, quando este resolveu dar ar na câmara furada para vêr onde era o furo. Foi fácil, era mesmo em frente ao meu peito. O casaquinho vermelho ficou espintalgado de branco e na cara, parecia que estava com varicela!!
Depois dumas vigorosas bombadas com a "super bomba" do Pedro, rumámos à cidade atalhando por asfalto com chegada pelas 13h35 e com 77 kms nas pernas, meia hora depois dos outros dois companheiros que conseguiram chegar dentro do horário pretendido e ainda bem.
Foi como sempre, uma bela manhã de brincadeira na companhia de amigos e fazendo aquilo que gosto, de pedalar por aí, sempre em busca de aventura.

Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
AC

Comentários

Anónimo disse…
Que volta Expectácular!
É com muita pena minha não ter ido pedalar com vocês na 4ªfeira,mas não foi possível. Imagino o gozo que deve ter dado andar de bike na neive,principalmente a descer. Fica para uma próxima oportunidade...
Um abraço

Filipe

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Passeio de mota pelo Geopark Las Villuercas e Guadalupe"

"Feliz do homem que possui uma moto, ele pode viajar, ver paisagens e entender-se a si próprio." (Eric Viking) Hoje foi dia de dar liberdade à mota. Na companhia dum casal amigo, o José Paulo e a Carla, fomos passear de mota pelas Dehezas Extremeñas, Geopark de las Villuercas e uma pequena visita a Guadalupe, um dos mais bonitos "pueblos" de Espanha. marcamos encontro na Pastelaria "A Ministra", numa das rotundas do Bairro da Carapalha e pouco depois das 08h30, já com a matinal dose de cafeína ingerida, fizemo-nos à estrada. Rumamos a Segura, onde entramos na "tierra de nuestros hermanos" seguindo depois até á Ponte Romana de Alcântara, onde efetuamos uma pequena paragem para apreciar aquela fantástica obra de engenharia romana que maravilhou o mundo antigo. Com uma história que se perde no tempo, esta ponte carrega peripécias e curiosidades. Não entramos na povoação e por uma estradinha "vecinal" seguimos para Mata de Alcântara e Gar…

"Volta vadia a ver o mar"

"A felicidade é um fim de tarde olhando o mar" (Marina Nader)
 . . .e foi esse o objetivo deste meu passeio de bicicleta, que gosto de chamar de "volta vadia". Ir ver o mar na Figueira da Foz.
Delineei o percurso, circular como sempre, juntei um grupo de amigos, também eles fãs deste tipo de passeios velocipédicos e fizémo-nos à estrada.
Saímos de Castelo Branco pelas 06h00 e fomos tomar o primeiro cafezinho da manhã à Pastelaria "Estrela Doce", na Sertã, onde o meu irmão Luís nos esperava.
Depois da dose cafeínica e do pastelinho de nata, seguimos para Condeixa a Nova, o local de partida e chegada desta nossa pequena aventura, estacionando as viaturas no parque auto do Lidl.
Cerca das 08h30, já pedalávamos em direção a Ega, a primeira povoação que passaríamos rumo à Figueira da Foz.
O dia estava ótimo para pedalar e o pouco vento que se fazia sentir era nosso aliado.
Sempre em ritmo animado e em alegre cavaqueira, como é habito, quando algumas "per…