Avançar para o conteúdo principal

"Voltinha Atípica"

Hoje a manhã nasceu um pouco menos fria que nos últimos dias, mas foi sol de pouca dura, como se ousa dizer.
A partira das 09h o frio e o nevoeiro instalaram-se de tal maneira que em todo o día não conseguí baní-lo deste já meio engelhado corpinho.
Hoje, na companhia do Filipe, tinha programado ir dar uma volta para os lados do Vale do Homem, Serrasqueira e Rodeios, mas os planos saíram furados.
quando cruzava o Monte da Talagueira senti que a minha suspensão FOX não ía a trabalhar muito bem, talvez devido à baixa temperatura, pensei eu!
Desmontei-me da bicla e após uns pequenos testes, a dita não queria mesmo trabalhar, parecia que estava bloqueda.
Mais safanões e a mesma não queria mesmo que eu fosse dar a minha voltinha como tinha programado.
Concluí que a mesma teria perdido o ar entretanto. O Filipe ainda disse que talvez fosse no "rebound", mas lixado como já estava a ficar, nem tomei muita atenção ao que ele disse. simplesmente não raciocinei.
Resolvemos então voltar atrás e como eram quase 09h fomos até à Central Bikes, para lhe dar umas bombadas.
Já com o Rui a tomar conta das operações e baseado no que lhe disse, deu ar na suspensão mas a dita cuja teimava em não funcionar correctamente.
Mais uma voltinha e uns saltinhos e nada.
De repente fez-se luz e o Rui lá se lembrou de ver a regulação do Rebound e então não era que o mesmo estava completamente fechado e por isso a suspensão não recuperava, ou fazia-o muito lentamente.
Conclusão, na voltinha anterior levara luvas grossas para tapar o frio e bloquei e desbloquei a suspensão várias vezes, acabando por ir rodando o botão do Rebound inadvertidamente. Ele há com cada uma!!!
Há tanto tempo nestas andanças e acabei por dar uma de maçarico!!!
Acabámos por dar uma voltinha em redor da cidade, rumando ao single das Palmeiras, onde me lembrei dumas velhas veredas lá para os lados ta Tapada do Chinque.
Entrámos por um trilho já quase tapado pelo mato, que começou por ser bastante divertido, mas era constantemente cortado, por novas quintarolas e aramadas, acabando por ter de andar a empurrar a bike nas lavradas até chegarmos ao estradão que dá acesso ao S. Martinho.
Continuámos seguidamente em direcção à Sra de Mércules e Rebouça de Cima, onde entrámos no asfalto, seguindo-o até à Fonte Santa.
Cruzámos o Monte S. Luís e fomos tomar o cafézinho matinal aos Escalos de Baixo, mas esta vez sem o leitãozinho.
Já aconchegadinhos , mas ainda assim com o frio a enregelar-nos, rumámos à cidade pela Vinha do Marco e Monte Brito, com umas voltinhas finais em zigue zag pelas Pias, Alagoas, Tapada das Cabanas e Vale do Botelho, para entrarmos cá no burgo pela velha quelha até ao portão dos Desembargadores e Fontainhas, pelas 12h45, com 50 kms percorridos em ritmo invernal.
O percurso programado para hoje ficará então para a próxima quarta feira.

Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
AC

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de moto pelo Alto Douro Vinhateiro"

"O que é bonito neste mundo, e anima, é ver que na vindima de cada sonho fica a cepa a sonhar outra aventura."
(Miguel Torga)
Com a  excelente companhia dos amigos Luís Miguel, João de Deus e Marta Farias, fomos "desbravar" algumas das encantadoras estradinhas panorâmicas do Alto Douro Vinhateiro.
A saída foi programada para as 07h00 e, já na companhia do Luís Miguel, fomos até Penamacor, onde o João e a Marta já nos aguardavam junto às bombas de combustíveis locais.
Já agrupados rumamos ao norte cruzando Meimoa, Vale da Srª da Povoa, Terreiro das Bruxas, Santo Estevão e Sabugal.
A partir desta vila e com a bonita visão do seu famoso castelo das cinco quinas, entramos em terras de Ribacoa, onde o frescura matinal nos atormentou um pouco e nos fez reconhecer que o verão já lá vai e as temperaturas vão já sofrendo metamorfoses, sobretudo em algumas zonas e, esta é uma delas.
Logo após abandonarmos o Sabugal, viramos à direita para as Quintas de S. Bartolomeu e por Rap…

"Passeio de mota pelo Geopark Las Villuercas e Guadalupe"

"Feliz do homem que possui uma moto, ele pode viajar, ver paisagens e entender-se a si próprio." (Eric Viking) Hoje foi dia de dar liberdade à mota. Na companhia dum casal amigo, o José Paulo e a Carla, fomos passear de mota pelas Dehezas Extremeñas, Geopark de las Villuercas e uma pequena visita a Guadalupe, um dos mais bonitos "pueblos" de Espanha. marcamos encontro na Pastelaria "A Ministra", numa das rotundas do Bairro da Carapalha e pouco depois das 08h30, já com a matinal dose de cafeína ingerida, fizemo-nos à estrada. Rumamos a Segura, onde entramos na "tierra de nuestros hermanos" seguindo depois até á Ponte Romana de Alcântara, onde efetuamos uma pequena paragem para apreciar aquela fantástica obra de engenharia romana que maravilhou o mundo antigo. Com uma história que se perde no tempo, esta ponte carrega peripécias e curiosidades. Não entramos na povoação e por uma estradinha "vecinal" seguimos para Mata de Alcântara e Gar…

"Mototurismo por "tierras de nuestros hermanos""

"A imaginação é a primeira fonte da felicidade humana"
(Giacomo Leopardi)
Hoje fui fazer um passeio de mototurismo com a agradável companhia do João e da Marta, que vieram do Fundão aos comandos duma bonita e bem cativante Benelli  TRK502.
O ponto de encontro foi nas bombas da Repsol do Lanço Grande, onde atestamos as máquinas e ingerimos a primeira dose matinal de cafeína.
Cerca das 07h30 fizemo-nos à estrada, por Ladoeiro e Zebreira, entrando em Espanha pela pequena fonteira que cruza o Rio Erges junto a Salvaterra do Extremo.
Depois duma pequena paragem para tirar uma foto ao Castillo de Peñafiel, que se ergue altaneiro no cimo de um monte formado por negra e musgosa penedia de abruptos rochedos inacessíveis.
Entramos em Espanha e, à entrada de Zarza la Mayor, viramos à esquerda ao encontro da Ex-A1, em Moraleja, que seguimos até à cidade de Plasencia.
Pelo panorâmico Vale de Jerte fomos até Valdastillas e subimos ao Piornal, pela Sierra de Tormantos, com uma paragem na C…