Avançar para o conteúdo principal

"Voltinha Atípica"

Hoje a manhã nasceu um pouco menos fria que nos últimos dias, mas foi sol de pouca dura, como se ousa dizer.
A partira das 09h o frio e o nevoeiro instalaram-se de tal maneira que em todo o día não conseguí baní-lo deste já meio engelhado corpinho.
Hoje, na companhia do Filipe, tinha programado ir dar uma volta para os lados do Vale do Homem, Serrasqueira e Rodeios, mas os planos saíram furados.
quando cruzava o Monte da Talagueira senti que a minha suspensão FOX não ía a trabalhar muito bem, talvez devido à baixa temperatura, pensei eu!
Desmontei-me da bicla e após uns pequenos testes, a dita não queria mesmo trabalhar, parecia que estava bloqueda.
Mais safanões e a mesma não queria mesmo que eu fosse dar a minha voltinha como tinha programado.
Concluí que a mesma teria perdido o ar entretanto. O Filipe ainda disse que talvez fosse no "rebound", mas lixado como já estava a ficar, nem tomei muita atenção ao que ele disse. simplesmente não raciocinei.
Resolvemos então voltar atrás e como eram quase 09h fomos até à Central Bikes, para lhe dar umas bombadas.
Já com o Rui a tomar conta das operações e baseado no que lhe disse, deu ar na suspensão mas a dita cuja teimava em não funcionar correctamente.
Mais uma voltinha e uns saltinhos e nada.
De repente fez-se luz e o Rui lá se lembrou de ver a regulação do Rebound e então não era que o mesmo estava completamente fechado e por isso a suspensão não recuperava, ou fazia-o muito lentamente.
Conclusão, na voltinha anterior levara luvas grossas para tapar o frio e bloquei e desbloquei a suspensão várias vezes, acabando por ir rodando o botão do Rebound inadvertidamente. Ele há com cada uma!!!
Há tanto tempo nestas andanças e acabei por dar uma de maçarico!!!
Acabámos por dar uma voltinha em redor da cidade, rumando ao single das Palmeiras, onde me lembrei dumas velhas veredas lá para os lados ta Tapada do Chinque.
Entrámos por um trilho já quase tapado pelo mato, que começou por ser bastante divertido, mas era constantemente cortado, por novas quintarolas e aramadas, acabando por ter de andar a empurrar a bike nas lavradas até chegarmos ao estradão que dá acesso ao S. Martinho.
Continuámos seguidamente em direcção à Sra de Mércules e Rebouça de Cima, onde entrámos no asfalto, seguindo-o até à Fonte Santa.
Cruzámos o Monte S. Luís e fomos tomar o cafézinho matinal aos Escalos de Baixo, mas esta vez sem o leitãozinho.
Já aconchegadinhos , mas ainda assim com o frio a enregelar-nos, rumámos à cidade pela Vinha do Marco e Monte Brito, com umas voltinhas finais em zigue zag pelas Pias, Alagoas, Tapada das Cabanas e Vale do Botelho, para entrarmos cá no burgo pela velha quelha até ao portão dos Desembargadores e Fontainhas, pelas 12h45, com 50 kms percorridos em ritmo invernal.
O percurso programado para hoje ficará então para a próxima quarta feira.

Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
AC

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de moto pelo Alto Douro Vinhateiro"

"O que é bonito neste mundo, e anima, é ver que na vindima de cada sonho fica a cepa a sonhar outra aventura."
(Miguel Torga)
Com a  excelente companhia dos amigos Luís Miguel, João de Deus e Marta Farias, fomos "desbravar" algumas das encantadoras estradinhas panorâmicas do Alto Douro Vinhateiro.
A saída foi programada para as 07h00 e, já na companhia do Luís Miguel, fomos até Penamacor, onde o João e a Marta já nos aguardavam junto às bombas de combustíveis locais.
Já agrupados rumamos ao norte cruzando Meimoa, Vale da Srª da Povoa, Terreiro das Bruxas, Santo Estevão e Sabugal.
A partir desta vila e com a bonita visão do seu famoso castelo das cinco quinas, entramos em terras de Ribacoa, onde o frescura matinal nos atormentou um pouco e nos fez reconhecer que o verão já lá vai e as temperaturas vão já sofrendo metamorfoses, sobretudo em algumas zonas e, esta é uma delas.
Logo após abandonarmos o Sabugal, viramos à direita para as Quintas de S. Bartolomeu e por Rap…

"Asfáltica vadia por terras de Ribacoa"

"Se formos felizes por dentro, nada nos aprisionará por fora"
Ontem e mais uma vez com a agradável companhia do Jorge Varetas, fomos dar uma volta de bicicleta por Terras de Ribacoa, com partida e chegada na bonita vila beirã do Sabugal, situada num pequeno planalto da Serra da Malcata. Com o caudal do Rio Coa a seus pés, acolhe-se à sombra do seu esbelto e forte castelo medieval das 5 quinas, como é conhecido. Pelas 06h30 abandonamos a cidade rumo àquela vila beirã e pelas 08h30 dávamos início à nossa pequena aventura velocipédica rumo às Termas do Cró, com passagem pelas Quintas de São Bartolomeu e Rapoula do Coa. Fomos dar uma espreitadela à fachada das termas recentemente reabilitadas, com hotel, SPA e balneário termal. Fomos depois até Cerdeira do Coa, onde paramos após cruzarmos Peroficó. Não consigo resistir a uma paragem nesta localidade para apreciar aquele encantador local do Rio Noémi e a sua espetacular ponte românica de seis arcos. Tive que mostrar aquele lugar …

"Augas Blancas - Rabacallos"

"Dia após dia os erros do passado perdem força e os desejos do futuro ganham corpo"
Após um primeiro dia fantástico com uma boa caminhada pelas "Pasarelas del Rio Mao", eu e a minha "Maria" resolvemos manter-nos por mais um dia na região e fazer-mos outro passeio pelas encostas do Rio Sil.
Saímos da pousada após um calmo e tranquilo pequeno almoço e fomos até Chandrexa, já nas proximidades de Parada de Sil para efetuarmos mais um passeio pedestre pelas "Augas Blancas y Rabacallos".
Estacionamos a viatura num parque defronte da igreja de Santa Maria de Chandrexa e ai demos inicio ao percurso que tinha preparado com alguma antecedência.
Por uma estreitinha estradinha "vecinal" passamos A Caseta, A Peña e Purdeus, entre bonitos bosques de castanheiros e chegamos a Calvos, um pitoresco lugarejo com situação priveligiada e panorâmica fantástica sobre o Rio Sil.
Sempre em sentido descendente e por um belo "sendero" rodeado de casta…