Avançar para o conteúdo principal

Trilhos antigos, novas aventuras"

Hoje, apenas esperava o Silvério e o Nuno Eusébio para uma manhã de pedaladas e como tal, planeei uma volta por trilhos de outrora e onde já há muito tempo não pedalava, por motivos vários.
Mas agora estou "numa" de rebuscar alguns trilhos e zonas por onde já pedalei, ou já caçei, independentemente da quilometragem que tenha que fazer, mas dentro dos parâmetros da razoabilidade, claro!
E hoje, o percurso extendia-se aos vales, entre as povoações de Pereiros, Serrasqueira, Mendares e Malhada do Servo e do outro lado da Ribeira da Magueija, os Vales da Grade, Pousafoles e Vale Ferradas.
Quando cheguei ao local de encontro, já ali se encontravam dois novos companheiros, o Armando e o Paulo Bacalhau, hoje a experimentar algo diferente das SLSS.
Cinco companheiros e um só destino, a mais distante aldeia do nosso percurso de hoje. . . Vale de Ferradas!!
Saímos pelas 08h10 pelo Parque de Campismo, Tapada das Figueiras e virámos para o Monte da
Massana em direcção ao Rouxinol, para o primeiro ataque de "adenalina" na descida para a Azenha do Santo.
A primeira paragem para ganhar coragem para a primeira grande subida do dia, que nos levou até próximo da Capela de S. Lourenço.
Com receio de acordar o Santo, nesta manhã domingueira, virámos à esquerda e embrenhámo-nos entre matagal no single para o Alto da Queijeira, parando seguidamente no Palvarinho para a dose matinal de cafeína no Café junto à igreja.
Dalí seguimos para o Monte Tavares, onde descemos para o açude do Vare Jorge, em trilhos agora algo perigosos derivado ao movimento dos veículos de extracção da madeira.
Lá passámos o açude, em plena galhofa, com algumas peripécias da "rapaziada", seguindo-se a segunda grande subida do dia. . . para os Pereiros.
Já quase no alto da subida, encontrámos um companheiro amigo numa 4x4, seguindo-se o primeiro convite para uma visitinha à adega, que acabámos por recusar, pois ainda faltava muito terreno para "palmilhar".
Passámos pela Mendares e entrámos em zona de planalto e pedalando pelos Vales do Encoberto, do Boi e Estacal, entrámos na longitudinal Aldeia de Malhada do Servo, onde efectuámos nova paragem, desta vez para atestar os camelbags e "molhar o bico" com uma bela geropiga na Adega do Ti Francisco Afonso, um "castiço" habitante daquele lugar, que prontamente nos abriu as portas da adega, após uma pequena "reza" do Silvério.
Seguiu-se a rápida descida para a Ribeira da Magueija, onde entrámos noutra zona.
Subimos para a Aldeia da Grade e rumámos a Vale Ferradas por trilhos entre hortas e em percurso ondulante chegámos ao alto, onde vislumbrámos a Aldeia do Chão da Vã a nossa meta seguinte.
Antes e em local inóspito, onde as bikes ainda não criaram "carreiro", o Paulo teve a única avaria do dia, um furo.
Prontamente resolvida a situação com mudança da câmara de ar, retomámos a nossa algo longa aventura de hoje, parando seguidamente no Chão da Vã para refrescar as gargantas e repor hidratos.
Na passagem do Rio Tripeiro tirámos a nossa foto de grupo e seguimos em direcção à Zebreira Grande, onde atacámos a terceira grande subida do dia para o alto do Juncal.
Aí o Paulo que já vinha bastante desgastado pela dureza do percurso, apesar de hoje ser em andamento bastante moderado derivado à sua condição física e do Armando, seguiu já em alcatrão, em companhia deste, pelo novo troço alcatroado para a estrada de Caféde.
Aproveitámos então para recuperar algum tempo, aumentando significativamente o andamento em direcção a Caféde onde, como não poderia deixar de ser, efectuámos a derradeira paragem para mais um "refresco" de cevada e escoar a última bolachinha, ou barrinha de cereais.
Até Castelo Branco foi em acelerado, com passagem nas Poldras da Rabaça e por Santa Apolónia, para dar entrada na cidade pelas 14h00, uma hora depois da inicialmente prevista, com 76 kms bem pedalados por bonitas paisagens e trilhos magníficos.
Em excelente companhia e onde a alegria do Armando agora a viver uma nova fase no Btt, nos divertiu enquanto nos acompanhou, deram uma nova dinânica a esta bela manhã de pedaladas.
Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos.
AC

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Rota do Bucho/2016"

Pelo segundo ano consecutivo, resolvi editar a Rota do Bucho, com um passeio pelos trilhos de Malpica do Tejo, uma bonita aldeia onde tenho raízes, que termina à mesa com um belo bucho de ossos à boa moda malpiqueira. Convidei um "magote" de amigos, dos quais dezasseis disseram presente. O ponto de reunião, foi desta vez na Pastelaria Cantinho dos Sabores, na Rotunda da Racha, onde tomamos o cafézinho matinal. Pelas 08h20 partimos em pelotão auto rumo a Malpica do Tejo, onde o Rui e a Sandra Tapadas já nos aguardavam. A previsão era de vento forte e alguns aguaceiros e desta vez o S. Pedro não nos "despontou", mandou mesmo umas belas rajadas de vento e umas belas bátegas de água, que nos atingiram por três vezes, um pouco no início desta pequena aventura, sensivelmente a meio, quando estávamos à vista de um local de abrigo, a aldeia de Lentiscais e no final, em jeito de banho. Pelas 09h00, como planeado, abandonávamos a aldeia rumo ao Monte do Couto do Alberto, en…

"Hoje fomos à romaria"

A manhã acordou hoje límpida e solarenga, num bom incentivo para um bom par de pedaladas asfálticas. Quando saí da garagem já o Álvaro e o Leandro me esperavam. Juntos fomos até à Rotunda das Violetas, ao encontro do Luís Lourenço e do Nuno Eusébio. Pouco depois chegou o Jorge Palma. Para não perder a prática tive ainda que mudar a câmara de ar da minha roda traseira que vinha com um pequeno furo, originado por uma limalha. Já com a "ézinha" pronta a rodar, fizemo-nos à estrada, abandonando a cidade pela Milhã, rumo ao Juncal do Campo pela estradinha panorâmica da Quinta de Valverde. Cruzamos a aldeia e entroncamos na N.12, onde fletimos à direita, rumo ao Padrão, uma pequena aldeia que este fim de semana se encontra engalanada para a festa da Nossa Senhora da Saúde. Entramos na aldeia e fomos tomar o cafezinho matinal no bar junto ao adro da igreja, gentilmente servido por um senhor, creio que festeiro, que fez questão de oferecer os cafezinhos e que agradecemos. Descemos …

Alvaiade, Perdigão e Vila Velha de Rodão"

Hoje, com um pelotão mais numeroso, fomos tomar o cafézinho matinal à Bolaria Rodense, em Vila Velha de Rodão. Abandonamos a cidade pouco depois das 08h30 e rumamos ao Perdigão, com passagem por Sarnadas de Rodão e Alvaiade. Seguimos depois pela estradinha panorâmica que liga o Perdigão a Vila Velha de Rodão, usufruindo da bonitas paisagens sobre a Serra das Talhadas e Vilas Ruivas. Depois da pequena tertúlia na Bolaria Rodense e já com os níveis repostos, rumamos à cidade, com passagem pelo Coxerro e Sarnadas. Aqui voltamos a encontrar o Joaquim Cabarrão e o Salvado, que deram uma volta mais pequena e juntos seguimos até à entrada da cidade, onde nos voltamos a separar, pois o restante grupo foi pela variante à Carapalha. Numa manhã já bem primaveril, alinharam para esta bonita volta, além de mim, o Jorge Palma, Tó Pinto, Fernando "Caraíbas", Sr. Silva, António Leandro e o João Salavessa.  Foram 75 kms, repletos de divertidas pedaladas, na companhia deste animado grupo de …