Avançar para o conteúdo principal

"X Raid AC-Trilhos e Aventuras (Sierra de Gata)

9 companheiros quiseram participar na 10ª. edição dos meus raides. (AC-Trilhos e Aventuras)
AC, Silvério, Pedro Barroca; o meu irmão Luís, Pedro Ferrão, Tiago, Micaelo, Luís Lourenço e Domingos.
Com pena minha, não pude ter a companhia do João Afonso, um dos elementos da equipa principal, nestas lides dos raides, por doença, assim como o Chico, também por lesão e do Carlos Sales por compromissos de última hora.
Mas animação não faltou durante todo o percurso.
Os trilhos, como sempre nesta bonita serra, fabulosos e adrenalínicos. De facto não aconselhado à rapaziada do btt virtual!!! Aqui, ou se tem já algum domínio da máquina e as subidas são apenas mais um obstáculo a vencer, ou é mesmo um suplício.
O grupo, esse, era bastante homogénio. Toda a rapaziada, já habituada a este tipo de dureza, transformou todas as dificuldades em pura diversão. Sem queixumes, nem desistências!!! Os meus parabéns a todos eles.
A saída deu-se pelas 06h30 de Castelo Branco e na Lousa apanhámos o Tiago e nas Aranhas, o Ferrão e o Domingos.
A chegada a Hoyos foi pelas 08h00. Estacionámos as viaturas, e fomos tomar uns "cafézitos solo", uma ténue imitação do nosso bom café.
Retirámos as bikes das viaturas e preparámo-las para o embate de hoje.
Mas o dia para mim não iria correr nada bem.
Ainda com uma "gripada" no corpo, não me sentia nada bem e o corpo estava ligeiramente dorido. Depois dei pela falta do meu camelbag, que deixara na garagem com todos os meus habituais apetrechos e alguma comida.
Logo nos kms iniciais, fiz uma égua sobre a bike, sem consequências, numa zona técnica.
E como se não bastasse, no acesso ao Puerto de Perales, parti o dropout da minha bike, ficando na eminência de fazer a pé os últimos 20 kms.
Felizmente, o meu irmão Luís (já é de família), traz sempre uma mini oficina ambulante e como a bike dele é do mesmo modelo da minha, trazia um dropout suplente. (Uma reflexão para a rapaziada do único bidon, quando vai para a serra, ou voltas longas.)
Lá troquei o dropout e fiz-me de novo aos trilhos. E que trilhos!!! Adrenalina a jorros, onde o pensamento teria que ser mais rápido que a roda da frente da bike.
O Tiago, também em maré de azar, rebentou o pneu de trás numa descida. Felizmente sem consequências. Lá se arranjaram uns remendos artesanais para tapar um pouco o rasgão, mas até ao final, foi um martírio para o Tiago. Tinha que constantemente dar ar no pneu, para o manter de forma a que pudesse prosseguir viagem.
A primeira povoação foi Perales del Puerto,, onde após termos pedalado num par de trilhos, entrámos em asfalto até Villasbuenas de Gata, cruzando o Rio Tabla, pela ponte com o mesmo nome.
À saída de Villasbuenas, tomámos o trilho do Pr10 E7 até às proximidades das antenas de Gata, onde as longínquas paisagens começavam a mostrar a sua imponência, feita a primeira ascensão do dia.
Descemos depois para a Aldeia de Gata,, onde entrámos verdadeiramente em calçada romana.
Na aldeia, tive uma pequena dificuldade em coordenar o track para a saída a S. Blás, mas lá se resolveu o problema.
Seguiram-se 5 terríveis kms em calçada romana até ao Puerto de Castilla, com passagem pelos belos locais de Las Pilas, Los Riscos de S. Blás, La Puente de Los dos Ojos, El Monastério de S. Blás e finalmente, o Puerto de Castilla.
Com o esqueleto a levar a primeira abanadela, serpenteámos pelas encostas e cumeadas, absorvidos pela magnificiência daquelas brutais paisagens, até ao Puerto de Perales.
Começámos, desde então a subida ao Pico Jálama, num soberbo single track de alguns kms, descendo depois para Hoyos num trilho, onde a pedra era rainha. Aí sim . . . o esqueleto, ficou bem abanado e as nossas retinas repletas de paisagens de sonho!!!
Entrámos em Hoyos pelo Camino de la Cuesta, com 65 maravilhosos kms, repletos de Adrenalina, bons momentos de btt e um grupo de companheiros motivados e divertidos.
Mas . . . houve também alguns mistérios nos trilhos de S. Blás!!!
- Nasceu naquelas inóspitas paragens um novo mito . . . " O papa bananas"
- O estranho desaparecimento da sandes de queijo da serra . . . e bem aviadinha que ela estava!!!
- O mistério do conta quilómetros do Silvério . . . desconfia-se dum animal de raça canina degrande porte, com quem ele travou amizade perto de Hoyos e até teve alguma intimidade.
Um dia destes, haverá mais. Um percurso já em edição, para fechar esta trilogia, nos adrenalínicos trilhos da Sierra de Gata.
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos rilhos
. . . ou fora deles.
AC
Slideshow

Comentários

Ferrão disse…
Muito bom outra vez. E eu estava lá :)

Quanto ao resto, li hoje no El Pais on-line que andava um perro a fazer umas médias incríveis para os lados de Hojos. Quanto ao queijo da serra... (António, não serão os antibióticos para a gripe muito fortes?)

Obrigado António e um abraço a todos.
Agnelo disse…
Pois é. Percursos destes, com tal beleza e dureza não são para a malta do sofá e facebook. Um conjunto de trilhos excelentes com muita pedra a endurecer a musculatura e com paisagens soberbas. Parabéns pelas fotos e avise a malta no próximo.
Abraço
AQ
AC disse…
Olá Agnelo.
Foram de facto trilhos excelentes. Muita adrenalina, paisagens fantásticas e bons companheiros.
Quanto ao "aviso" . . . uma passagem pelo meu blog, evitava o comentário!!!
Abraço
AC
Pinto Infante disse…
Raposa velha como tu, diria que esse esquecimento do camelbak se calhar tem a ver com a "idade", ou nervosismo. eh eh
sempre brilhante estas aventuras.
A Beira pela mão de AC além fronteiras.
abraço
Pinto Infante
BTT-ALBI disse…
Não precisava de ver as fotos, nem muito menos ler o relato, pois já sabia que tinha perdido, mais um excelente dia de BTT, é a vida ! o destino desta vez pregou-me uma partida.
Espero voltar a estar presente no próximo, tal como o Nuno Eusébio ambos privados desta vez.
1 abraÇo.
ogait disse…
Esta aventura já conta com 2 episódios... vivi 'in loco' ambos! Obrigado!
Sim, no final houve de tudo... cães com ciclómetros, sandes desviadas, bananas escondidas (prefiro ficar na ignorância...!).

Por tudo isto e MUITO MAIS, 'SÓ EU SEI PORQUE NÃO FIQUEI EM CASA'!!!

http://www.youtube.com/watch?v=2SJSm-ZBl0c&feature=related

abraço,

Tiago
FMicaelo disse…
Foi um dia com algumas peripécias nao esperadas, mas que nao conseguiram de modo algum ensombrar aquilo que foi mais um fantástico Raid AC.

Duros, adrenalinicos, mas soberbos trilhos, com uns excelentes companheiros! Valeu a pena!

Venha o próximo. Se o patrao deixar, lá estarei!
SALES disse…
Pois é infelizmente não pude participar em mais uma grande aventura made in AC e pelo relato parecia mais uma volta pelo Entroncamento do que pela serra da Gata...lol Pelos vistos mais uma do Silvério Grandes companheiros e grande camaradagem
Agnelo disse…
Boas

Às vezes não consigo é "apanhar" todos os posts que coloca, quer seja por ter pouco tempo para os ler ou porque são colocados quase diariamente e os mais antigos acabam por ficar escondidos. No próximo mande 1 email se puder ser.
Mais uma vez parabéns por esta bela aventura.
ogait disse…
já há relato no bttoledo...

http://bttoledo.forumotion.com/t417-sierra-de-gata-take-two#2931

abraço
Pedro Barroca disse…
Desculpe a demora, mas o tempo é escasso. Gata foi o sitio mais espectacular onde andei de bike sem qualquer duvida. Obrigado velho amigo e espero poder estar presente na próxima. Deus queira que o Barroquinha venha com saúde e o permita!!!

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Volta vadia a ver o mar"

"A felicidade é um fim de tarde olhando o mar" (Marina Nader)
 . . .e foi esse o objetivo deste meu passeio de bicicleta, que gosto de chamar de "volta vadia". Ir ver o mar na Figueira da Foz.
Delineei o percurso, circular como sempre, juntei um grupo de amigos, também eles fãs deste tipo de passeios velocipédicos e fizémo-nos à estrada.
Saímos de Castelo Branco pelas 06h00 e fomos tomar o primeiro cafezinho da manhã à Pastelaria "Estrela Doce", na Sertã, onde o meu irmão Luís nos esperava.
Depois da dose cafeínica e do pastelinho de nata, seguimos para Condeixa a Nova, o local de partida e chegada desta nossa pequena aventura, estacionando as viaturas no parque auto do Lidl.
Cerca das 08h30, já pedalávamos em direção a Ega, a primeira povoação que passaríamos rumo à Figueira da Foz.
O dia estava ótimo para pedalar e o pouco vento que se fazia sentir era nosso aliado.
Sempre em ritmo animado e em alegre cavaqueira, como é habito, quando algumas "per…

"O Trilho da Mina de Ouro do Conhal"

"Só existe um êxito: a capacidade de levar a vida que se quer." (Cristopher Morley) Logo pela manhã, carinha lavada, pequeno almoço tomado ,cafezinho da praxe e na companhia da minha "Maria", fomos até Santana, na aldeia piscatória do Arneiro para uma manhã lúdica e reconfortante pelo Trilho da Mina de Ouro do Conhal. Ajeitei o trilho, cortando a passagem pela cumeada até ao Miradouro da Serrinha e descida acentuada à Foz da Ribeira do Vale.
Saí da aldeia pelo caminho que lá mais à frente ladeia a Ribeira do Vale até á sua foz.
Neste local, onde a ribeira se encontra com o Rio Tejo, formou-se uma ilha a que dão o nome de Cabecinho. Depois de seguir o caminho até à margem do rio, voltamos atrás e fomos até à ilha, passando por duas pontes suspensas, a primeira sobre a Ribeira do Vale e a segunda mais à frente, para ligar à Ilha do Cabecinho. Esta ilha é pequenina . . .uma ilhota, por assim dizer. Nela encontramos uma casa em ruinas, alguns pinheiros e uma mesa e ba…