Avançar para o conteúdo principal

"Rota dos Tordos"

Já começa a ser uma clássica!
Uma voltinha de btt, para abrir o apetite, seguido de uma valente tertúlia, almoçarada e lancharada, que até dispensa a jantarada.
O convite foi feito pelo Carlos Ventura e pelo Juca e eu, como não poderia deixar de ser, tinha que estar presente.
Já tive por mais que uma vez, a oportunidade de acompanhar esta rapaziada, e gosto da forma como abordam este salutar desporto.
Desta vez, tínhamos uns belos tordos, umas grelhadas e um arrozinho de "marreco" para "mandar abaixo".
Juntámo-nos pelas 08h00 junto à Praça Rainha D. Leonor, e pouco depois, um bem formado grupo de bons "atletas lúdico/gastronómicos" partiram para os trilhos, em busca de uma boa dose de apetite, para a segunda parte desta fantástica tertúlia, à qual se juntariam mais tarde, as "Marias" e "filharada"!
Pouco depois abandonámos a cidade e seguimos pela estradinha da Fonte Santa, em direção à Fonte da Mula.
Ladeámos o novo aeroporto e saímos para o Curral do Prego.
Passámos pelo Monte Brito e Vinha do Marco e, mais à frente, já nos Escalos de Baixo, estacionámos as "montadas" junto ao café " O Lanche", para a matinal dose de cafeína, para uns e umas "nêgas" para outros, que logo ali começaram a adiantar serviço.
A saída da aldeia foi por asfalto, em amena cavaqueira e rumámos ao casal Mourão.
Passámos Alcains, Santa Apolónia e a Atacanha, para uma derradeira paragem na tasca do futebol, para mais uma sessão de "nêgas", em são convívio e excelente camaradagem.
A partir dali a malta espalhou-se, para se juntar mais tarde, agora à mesa, na quintarola do Carlos, onde a tarde foi curta para tanta animação.
Começámos com uns tordinhos fritos, uma boa grelhada e um arrozinho de pato a acompanhar o corrupio ao pipo de cerveja, que chegou à bonita soma de três, o resultado que a malta ambicionava para o jogo do glorioso a que iriamos assistir mais tarde.
Bons vinhos, também faziam parte da ementa, assim como uns digestivos caseiros, para manter tradições.
Já com os botões das camisas em esforço para se manterem no sítio, seguiram-se umas sessões de jogo da sueca, para alguns, uns catchapuns na piscina para outros, e até uma sestinha para outros, pois haveria que estar em forma para a segunda parte e eventual prolongamento.
Seguiu-se um valente lanche com umas travessas de camarão e onde não faltou o belo do caracol, que bem acasala com a loirinha, que não parava de jorrar do pipo mesmo ali ao lado.
Chegou a hora do futebol e lá fomos para a sala ver o jogo, que diga-se de passagem não mantinha grande interesse. Um golo, uma taça. valeu!!!
Nós tínhamos outra disputa em jogo, a continuação da nossa tertúlia, que ainda mantivemos por mais algumas horas.
Chegou a hora do prolongamento!
Mais umas chouriças e umas morcelitas assadas na hora . . . e toca a dar de novo ao dente e tentar enfiar ainda mais um par de loirinhas, apesar do aviso de "limit load" do nosso subconsciente.
A noite já se preparava para nos fazer companhia, quando começaram as despedidas . . . já não havia "cabedal" para mais.
Na companhia do António Bispo, Juca, José Manuel e Álvaro, demos anda uma passagem pela Esplanada das Laranjeiras para uma sossega final, com mais um par de bjecas e dois dedos de conversa.
Um dia bem passado na companhia de amigos e familiares, onde a bicicleta, foi o elo de união, desta fabulosa tertúlia entre amigos
Quanto aos kms, velocidade média e acumulado . . . peço desculpa . . . mas esqueci-me de olhar para o "aparelhómetro!!!
 
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC 

Comentários

Silvério disse…
Grande evento de BTT, com uma Maratona super interessante e muito apetitosa! Deve ser difícil de encontrar melhor à face da terra!
Muitos Parabéns à organização e a todos os participantes.
Grande Abraço
Silvério
Tenho seguido atentamente as vossas pedaladas e tenho reparado que pelo meio se fazem belas patuscadas
Ainda há ricas vidas.
Continuem assim que estão no bom caminho.
Abraços á malta da pedaleira

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Passeio de mota pelo Geopark Las Villuercas e Guadalupe"

"Feliz do homem que possui uma moto, ele pode viajar, ver paisagens e entender-se a si próprio." (Eric Viking) Hoje foi dia de dar liberdade à mota. Na companhia dum casal amigo, o José Paulo e a Carla, fomos passear de mota pelas Dehezas Extremeñas, Geopark de las Villuercas e uma pequena visita a Guadalupe, um dos mais bonitos "pueblos" de Espanha. marcamos encontro na Pastelaria "A Ministra", numa das rotundas do Bairro da Carapalha e pouco depois das 08h30, já com a matinal dose de cafeína ingerida, fizemo-nos à estrada. Rumamos a Segura, onde entramos na "tierra de nuestros hermanos" seguindo depois até á Ponte Romana de Alcântara, onde efetuamos uma pequena paragem para apreciar aquela fantástica obra de engenharia romana que maravilhou o mundo antigo. Com uma história que se perde no tempo, esta ponte carrega peripécias e curiosidades. Não entramos na povoação e por uma estradinha "vecinal" seguimos para Mata de Alcântara e Gar…

"Volta vadia a ver o mar"

"A felicidade é um fim de tarde olhando o mar" (Marina Nader)
 . . .e foi esse o objetivo deste meu passeio de bicicleta, que gosto de chamar de "volta vadia". Ir ver o mar na Figueira da Foz.
Delineei o percurso, circular como sempre, juntei um grupo de amigos, também eles fãs deste tipo de passeios velocipédicos e fizémo-nos à estrada.
Saímos de Castelo Branco pelas 06h00 e fomos tomar o primeiro cafezinho da manhã à Pastelaria "Estrela Doce", na Sertã, onde o meu irmão Luís nos esperava.
Depois da dose cafeínica e do pastelinho de nata, seguimos para Condeixa a Nova, o local de partida e chegada desta nossa pequena aventura, estacionando as viaturas no parque auto do Lidl.
Cerca das 08h30, já pedalávamos em direção a Ega, a primeira povoação que passaríamos rumo à Figueira da Foz.
O dia estava ótimo para pedalar e o pouco vento que se fazia sentir era nosso aliado.
Sempre em ritmo animado e em alegre cavaqueira, como é habito, quando algumas "per…