Avançar para o conteúdo principal

"Passeio asfáltico pelo Pião e Vilar Barroco"

Para que o meu passeio montanhoso da passada quinta feira não ficasse solitário, juntei-lhe hoje mais uma volta também com algum perfil de montanha, para ver como é que anda o corpinho cá do "rapaz!" e derreter mais uma camadita do "toucinho" acumulado pelas feriazitas, onde troco, de bom grado, a bicicleta por uns bons "manjares" e um bom par de iguarias . . . depois, bem . . .depois conto com a minha "ézinha" e com a minha "santa", para voltarem a alisar a "coisa" . . . e lá vamos tentando, pois então!
Hoje, com duas baixas de vulto no pelotão, talvez por ainda estarem a soro, fomos dar uma voltinha pela zona do pinhal.
Apareceram na Racha, além de mim, o Nuno Maia, o Rui Salgueiro e o Pedro Roxo e, pelas 07h10, abandonámos a cidade em direção ao Cabeço do Infante, com passagem pela Taberna Seca e Vilares.
À entrada do Cabeço do Infante, parámos no café ali existente, para a matinal dose de cafeína e dois dedos de conversa.
Seguimos depois para Sarzedas, onde fletimos à direita para a Azenha de Cima.
À entrada do Pé da Serra, virámos à esquerda para enfrentar a mítica subida do Pião, evitada por uns e mistificada por outros, mas o que é fato, é que é apenas uma subida como tantas outras, com umas centenas de metros bem puxadinhos, é um fato, mas acho a publicidade um pouco exagerada e a placa indicativa dos 20% é um logro, pois a subida não tem tal inclinação, apesar de não estar muito longe.
Chegámos ao Pião e continuámos para Poeiros e Ribeira da Azenha, para mais à frente entroncarmos na N238, que seguimos até ao cruzamento para as Sarnadas de S. Simão.
Aqui, virámos à esquerda e rumámos ao Orvalho, com passagem por Póvoa da Ribeira, Vilar Barroco e Vilarinho.
No Orvalho, efetuámos no paragem para nos refrescarmos com uma bebida fresca e continuámos em direção à Foz do Giraldo, com passagem pelas Casas da Zebreira.
A partir daqui tudo foi mais fácil com o percurso, agora em sentido mais descendente até quase ao Salgueiro do Campo, onde voltámos a parar para encher bidons com a fresca água do seu chafariz.
Pouco mais de uma dezena de kms já estávamos em Castelo Branco, ainda com tempo para uma pequena tertúlia no café nas traseiras do Continente, onde bebericando um par de "nêgas" fresquinhas, demos por terminado o nosso passeio asfáltico de hoje, que culminou com 105 kms, numa excelente manhã para a prática deste nosso desporto lúdico, com a temperatura e os excelentes companheiros de hoje a contribuírem para que tudo corresse na perfeição.
 
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Rota do Bucho/2016"

Pelo segundo ano consecutivo, resolvi editar a Rota do Bucho, com um passeio pelos trilhos de Malpica do Tejo, uma bonita aldeia onde tenho raízes, que termina à mesa com um belo bucho de ossos à boa moda malpiqueira. Convidei um "magote" de amigos, dos quais dezasseis disseram presente. O ponto de reunião, foi desta vez na Pastelaria Cantinho dos Sabores, na Rotunda da Racha, onde tomamos o cafézinho matinal. Pelas 08h20 partimos em pelotão auto rumo a Malpica do Tejo, onde o Rui e a Sandra Tapadas já nos aguardavam. A previsão era de vento forte e alguns aguaceiros e desta vez o S. Pedro não nos "despontou", mandou mesmo umas belas rajadas de vento e umas belas bátegas de água, que nos atingiram por três vezes, um pouco no início desta pequena aventura, sensivelmente a meio, quando estávamos à vista de um local de abrigo, a aldeia de Lentiscais e no final, em jeito de banho. Pelas 09h00, como planeado, abandonávamos a aldeia rumo ao Monte do Couto do Alberto, en…

"Hoje fomos à romaria"

A manhã acordou hoje límpida e solarenga, num bom incentivo para um bom par de pedaladas asfálticas. Quando saí da garagem já o Álvaro e o Leandro me esperavam. Juntos fomos até à Rotunda das Violetas, ao encontro do Luís Lourenço e do Nuno Eusébio. Pouco depois chegou o Jorge Palma. Para não perder a prática tive ainda que mudar a câmara de ar da minha roda traseira que vinha com um pequeno furo, originado por uma limalha. Já com a "ézinha" pronta a rodar, fizemo-nos à estrada, abandonando a cidade pela Milhã, rumo ao Juncal do Campo pela estradinha panorâmica da Quinta de Valverde. Cruzamos a aldeia e entroncamos na N.12, onde fletimos à direita, rumo ao Padrão, uma pequena aldeia que este fim de semana se encontra engalanada para a festa da Nossa Senhora da Saúde. Entramos na aldeia e fomos tomar o cafezinho matinal no bar junto ao adro da igreja, gentilmente servido por um senhor, creio que festeiro, que fez questão de oferecer os cafezinhos e que agradecemos. Descemos …

Alvaiade, Perdigão e Vila Velha de Rodão"

Hoje, com um pelotão mais numeroso, fomos tomar o cafézinho matinal à Bolaria Rodense, em Vila Velha de Rodão. Abandonamos a cidade pouco depois das 08h30 e rumamos ao Perdigão, com passagem por Sarnadas de Rodão e Alvaiade. Seguimos depois pela estradinha panorâmica que liga o Perdigão a Vila Velha de Rodão, usufruindo da bonitas paisagens sobre a Serra das Talhadas e Vilas Ruivas. Depois da pequena tertúlia na Bolaria Rodense e já com os níveis repostos, rumamos à cidade, com passagem pelo Coxerro e Sarnadas. Aqui voltamos a encontrar o Joaquim Cabarrão e o Salvado, que deram uma volta mais pequena e juntos seguimos até à entrada da cidade, onde nos voltamos a separar, pois o restante grupo foi pela variante à Carapalha. Numa manhã já bem primaveril, alinharam para esta bonita volta, além de mim, o Jorge Palma, Tó Pinto, Fernando "Caraíbas", Sr. Silva, António Leandro e o João Salavessa.  Foram 75 kms, repletos de divertidas pedaladas, na companhia deste animado grupo de …