Avançar para o conteúdo principal

"Onze Indomáveis Bêtetistas"

Pensamento:
"A civilização é uma ilimitada multiplicação de necessidades desnecessárias"

(M. Twain)
.o0o.
Hoje a saída era às 08h30.
Apesar de coincidir com a mudança da hora para o horário de verão, compareceram na P. Marques 11 bêtetistas prontos a pedalar. AC, Joaquim Cabarrão, Marcelo, Pedro Antunes, Álvaro, Nuno Maia e o cunhado, cujo nome de momento não recordo, Martin, Arlindo, Agnelo e Jorge Palma.
Com uma manhã airosa e propícia a pedalar, saímos pouco depois das 08h30 em direcção á Capa Rota por alcatrão, tomámos o trilho para o Compasso de Baixo, um pouco técnico de início, mas que seu gozo e logo ali elevou os níveis de adrenalina da malta, sempre em descida até ao pontão da Ribeirinha.
Seguiu-se uma longa subida que nos pôs a arfar durante algum tempo e que culminou nos Bonchalinos. Entrámos depois no eucaliptal, onde o cunhado do Nuno Maia nos deixou para rumar a Castelo Branco, por sentir algumas dificudades e que atravessámos até entrarmos na estrada alcatroada para Belgais, que seguimos durante umas centenas de metros até virarmos à esquerda para a cumeada da qual se avista todo o Vale do Ponsul, com paisagens deslumbrantes.
Aí parámos um pouco para tirar umas fotos e conversar um pouco. Entrámos depois por um caminho que contorna o eucaliptal, já quase cortado e que nos deliciou com algumas passagens técnicas e descidas de chegar o rabinho para tras. Que o digam o Pedro e o Agnelo que ao passaram por mim até me abanaram o capacete com a desloação do ar. E eu a pensar que ia com velocidade. eheheh!!!
E mais uma vez a lógica não fugiu à regra. Quem desce, também tem que subir e foi o que se seguiu até à Parrocha, onde de novo entrocámos na estrada de Belgais que pisámos por umas dezenas de metros para virar depois à direita por uma descida rápida que dá acesso à Teixeira. Mas antes de chegar ao casario parámos para assistirmos à passagem dum passeio TT de quads, motos e jipes, que deu para nos divertirmos um pouco com as peripécias de alguns participantes.
Dirigimo-nos seguidamente para S. Luís, onde fizémos nova paragem, pois ainda era cedo e que aproveitámos para conversar e dizer algumas piadas.
Dalí retomámos o regresso à cidade, com passagem pela Garalheira, onde chegámos pelas 12h15 com 38 kms percorridos, que apesar de alguma dureza, foram agradáveis, quer pelo trajecto, quer pelos companheiros que hoje se juntaram e que tornaram a aventura de hoje numa bela manhã de BTT.
O andamento de hoje imprimido pelo grupo foi suave e acessível a qualquer bttista, apenas o percurso poderia apresentar alguma dificuldade, mas valeu pela componente paisagística, pelos trilhos pisados e sobretudo pelo companheirismo.
.o0o.
Terça Feira, dia 27, no P. Infantil da P. Marques. Vem pedalar connosco.
Até lá.
.o0o.


Comentários

Varadero disse…
O meu cunhado é o Vitor.

Ac a próxima terça é 27!!! :)

Mensagens populares deste blogue

"Rota do Bucho/2016"

Pelo segundo ano consecutivo, resolvi editar a Rota do Bucho, com um passeio pelos trilhos de Malpica do Tejo, uma bonita aldeia onde tenho raízes, que termina à mesa com um belo bucho de ossos à boa moda malpiqueira. Convidei um "magote" de amigos, dos quais dezasseis disseram presente. O ponto de reunião, foi desta vez na Pastelaria Cantinho dos Sabores, na Rotunda da Racha, onde tomamos o cafézinho matinal. Pelas 08h20 partimos em pelotão auto rumo a Malpica do Tejo, onde o Rui e a Sandra Tapadas já nos aguardavam. A previsão era de vento forte e alguns aguaceiros e desta vez o S. Pedro não nos "despontou", mandou mesmo umas belas rajadas de vento e umas belas bátegas de água, que nos atingiram por três vezes, um pouco no início desta pequena aventura, sensivelmente a meio, quando estávamos à vista de um local de abrigo, a aldeia de Lentiscais e no final, em jeito de banho. Pelas 09h00, como planeado, abandonávamos a aldeia rumo ao Monte do Couto do Alberto, en…

"Hoje fomos à romaria"

A manhã acordou hoje límpida e solarenga, num bom incentivo para um bom par de pedaladas asfálticas. Quando saí da garagem já o Álvaro e o Leandro me esperavam. Juntos fomos até à Rotunda das Violetas, ao encontro do Luís Lourenço e do Nuno Eusébio. Pouco depois chegou o Jorge Palma. Para não perder a prática tive ainda que mudar a câmara de ar da minha roda traseira que vinha com um pequeno furo, originado por uma limalha. Já com a "ézinha" pronta a rodar, fizemo-nos à estrada, abandonando a cidade pela Milhã, rumo ao Juncal do Campo pela estradinha panorâmica da Quinta de Valverde. Cruzamos a aldeia e entroncamos na N.12, onde fletimos à direita, rumo ao Padrão, uma pequena aldeia que este fim de semana se encontra engalanada para a festa da Nossa Senhora da Saúde. Entramos na aldeia e fomos tomar o cafezinho matinal no bar junto ao adro da igreja, gentilmente servido por um senhor, creio que festeiro, que fez questão de oferecer os cafezinhos e que agradecemos. Descemos …

Alvaiade, Perdigão e Vila Velha de Rodão"

Hoje, com um pelotão mais numeroso, fomos tomar o cafézinho matinal à Bolaria Rodense, em Vila Velha de Rodão. Abandonamos a cidade pouco depois das 08h30 e rumamos ao Perdigão, com passagem por Sarnadas de Rodão e Alvaiade. Seguimos depois pela estradinha panorâmica que liga o Perdigão a Vila Velha de Rodão, usufruindo da bonitas paisagens sobre a Serra das Talhadas e Vilas Ruivas. Depois da pequena tertúlia na Bolaria Rodense e já com os níveis repostos, rumamos à cidade, com passagem pelo Coxerro e Sarnadas. Aqui voltamos a encontrar o Joaquim Cabarrão e o Salvado, que deram uma volta mais pequena e juntos seguimos até à entrada da cidade, onde nos voltamos a separar, pois o restante grupo foi pela variante à Carapalha. Numa manhã já bem primaveril, alinharam para esta bonita volta, além de mim, o Jorge Palma, Tó Pinto, Fernando "Caraíbas", Sr. Silva, António Leandro e o João Salavessa.  Foram 75 kms, repletos de divertidas pedaladas, na companhia deste animado grupo de …