Avançar para o conteúdo principal

"II Passeio de BTT dos PÊNÊVÊS de Proença-a-Nova"

Era uma zona por onde ainda não tinha dado umas pedaladas e por isso resolvi este ano participar no passeio da malta dos Pênêvês de Proença-a-Nova.
Saí de Castelo Branco pelas 07h15 na minha "jipose" e com a minha Trek FS a enfeitar o ramo, em direcção a Proença.
Como a malta com quem últimamente tenho participado nos passeios não foi, lá fui sózinho, na expectativa de encontrar malta que partilhasse a minha forma de participar nestes eventos.
Chegado ao local, a azáfama da "praxe". Estacionar, secretariado, descarregar a "bicla", apetrechá-la de conta kms e gps, verificar o restante material vestir e calçar o resto da "fatiota", colocar o capacete e "camelback" e ir para o "molho".
Enquanto me encontrava nestes "entretantos", chega o Pinto Infante e o José Luís e pronto, já tinha companhia.

A partida foi dada pelas 09h00, uma hora após o previsto e lá arrancámos em direcção aos trilhos.
Na primeira hora, tudo se compôs, quem queria andar, abalou, quem queria ficar, ficou e quem não abalou nem ficou, foram os que andam sempre no "fole" de querer chegar à frente e cada vez ficarem mais para trás.
Mas isto é a história de todos os passeio e que "agora não interessa nada".
Percurso sem grandes problemas técnicos e físicos, apesar dos seus quase 1500 de acumulado, mas que estavam bem escalonados no terreno, com excepcção daquela "aberrante" subida final, que não fazia falta nenhuma, assim com o último single no túnel e em descida bastante complicada e que a malta já não tem "pachorra" para lhe dar o devido valor, pois já vem bastante dorida e com os níveis de concentração bastante debilitados.
Se aquela parte final, fosse na primeira parte, ou lá para o meio, seria certamente uma "mais valia" e a malta, com as devidas excepções, gozá-la-ia à "brava".

Mas nada disto foi penalizante para o passeio, pois esteve bem dentro da expectativa, com belos trilhos e single tracks fenomenais e algumas passagens bem engraçadas e divertidas.
As paisagens durante todo o percurso, eram simplesmente fabulosas, com a visão daquelas aldeias "cravadas" naquelas encostas e naqueles bonitos vales, certamente não deixaram ninguém indiferente e eu principalmente gostei bastante do passeio e para o ano lá estarei de novo.
Agora digo-vos uma coisa!!! Aquele primeiro abastecimento com pão de "carcassa" tamanho XL recheados com umas belas bifanas acabadinhas de fazer, quase que faziam esquecer a "bicla" por ali encostada algures numa qualquer parede, enquanto eu trincava aquele belo "naco". E já não falo do restante, pois não eram só as bifanas.

Bem me custou saír dalí, mas a "volumetria" da minha zona "tripeira" já denotava um certo "abaulamento" e lá fui em busca de novas aventuras naqueles trilhos espectaculares.
cerca de 20 kms mais à frente e logo a seguir ao parque de merendas no cruzamento para a "Relva", junto ao aeródromo das Moitas, nova paragem para abastecimento em tendas montadas estilo "tuareg" e com duas mesas montadas, uma com uns belos pãezinhos e presunto fatiado, queijo, (e que queijo) variedade de enchido bem assadinho que até me apareceram umas gotinhas de suor no rosto. "Como raio iria eu saír dali, com todas aquelas iguariasa a olharem para mim!!!".
Como se não bastasse, a outra mesa estava composta com umas belas e grandes "malgas" de tigelada que acabaram por fazer sobressair um dos meus pontos fracos, que nem vou contar, pois acho que alguém já adivinhou. eh eh eh!!!

Como os meus companheiros, nomeadamente o Pinto Infante, O José Luís e o António Pequito, que se juntou a nós a seguir ao primeiro abastecimento, "também não gostavam nada daquilo", por alí nos mantivémos a "dar às matracas" até fazer doer a "bochecha".
Mas meus amigos, compromisso é compromisso e todos nós tinhamos um compromisso de honra!!! Acabar o passeio ainda de dia e se por alí ficássemos à espera de acabar com aquelas iguarias não conseguiríamos de certeza honrar tal compromisso. Por isso e a muito custo lá virámos costas a toda aquela "comidinha" e virámos "peito" ao trilho em direcção a Proença-a-Nova que já se vislumbrava no horizonte, que acabou por se tornar algo longínquo pela dureza da parte final.

Mas lá chegámos e ainda com muita gente atrás de nós e fomos direitinhos à zona de banhos onde, vejam só, havia água bastante quentinha, coisa rara nos tempos que correm.
Depois foi o farto almoço no Restaurante "Milita" na zona industrial de Proença. Um amplo espaço que acomodou toda a malta e priveligiou o convívio.
Na minha modesta opinião, um passeio a não perder no próximo ano.

Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
AC
Album fotográfico
(clique na imagem)
PÊNÊVÊS

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Alvaiade, Perdigão e Vila Velha de Rodão"

Hoje, com um pelotão mais numeroso, fomos tomar o cafézinho matinal à Bolaria Rodense, em Vila Velha de Rodão. Abandonamos a cidade pouco depois das 08h30 e rumamos ao Perdigão, com passagem por Sarnadas de Rodão e Alvaiade. Seguimos depois pela estradinha panorâmica que liga o Perdigão a Vila Velha de Rodão, usufruindo da bonitas paisagens sobre a Serra das Talhadas e Vilas Ruivas. Depois da pequena tertúlia na Bolaria Rodense e já com os níveis repostos, rumamos à cidade, com passagem pelo Coxerro e Sarnadas. Aqui voltamos a encontrar o Joaquim Cabarrão e o Salvado, que deram uma volta mais pequena e juntos seguimos até à entrada da cidade, onde nos voltamos a separar, pois o restante grupo foi pela variante à Carapalha. Numa manhã já bem primaveril, alinharam para esta bonita volta, além de mim, o Jorge Palma, Tó Pinto, Fernando "Caraíbas", Sr. Silva, António Leandro e o João Salavessa.  Foram 75 kms, repletos de divertidas pedaladas, na companhia deste animado grupo de …

"Hoje fomos à romaria"

A manhã acordou hoje límpida e solarenga, num bom incentivo para um bom par de pedaladas asfálticas. Quando saí da garagem já o Álvaro e o Leandro me esperavam. Juntos fomos até à Rotunda das Violetas, ao encontro do Luís Lourenço e do Nuno Eusébio. Pouco depois chegou o Jorge Palma. Para não perder a prática tive ainda que mudar a câmara de ar da minha roda traseira que vinha com um pequeno furo, originado por uma limalha. Já com a "ézinha" pronta a rodar, fizemo-nos à estrada, abandonando a cidade pela Milhã, rumo ao Juncal do Campo pela estradinha panorâmica da Quinta de Valverde. Cruzamos a aldeia e entroncamos na N.12, onde fletimos à direita, rumo ao Padrão, uma pequena aldeia que este fim de semana se encontra engalanada para a festa da Nossa Senhora da Saúde. Entramos na aldeia e fomos tomar o cafezinho matinal no bar junto ao adro da igreja, gentilmente servido por um senhor, creio que festeiro, que fez questão de oferecer os cafezinhos e que agradecemos. Descemos …

"Rota do Bucho/2016"

Pelo segundo ano consecutivo, resolvi editar a Rota do Bucho, com um passeio pelos trilhos de Malpica do Tejo, uma bonita aldeia onde tenho raízes, que termina à mesa com um belo bucho de ossos à boa moda malpiqueira. Convidei um "magote" de amigos, dos quais dezasseis disseram presente. O ponto de reunião, foi desta vez na Pastelaria Cantinho dos Sabores, na Rotunda da Racha, onde tomamos o cafézinho matinal. Pelas 08h20 partimos em pelotão auto rumo a Malpica do Tejo, onde o Rui e a Sandra Tapadas já nos aguardavam. A previsão era de vento forte e alguns aguaceiros e desta vez o S. Pedro não nos "despontou", mandou mesmo umas belas rajadas de vento e umas belas bátegas de água, que nos atingiram por três vezes, um pouco no início desta pequena aventura, sensivelmente a meio, quando estávamos à vista de um local de abrigo, a aldeia de Lentiscais e no final, em jeito de banho. Pelas 09h00, como planeado, abandonávamos a aldeia rumo ao Monte do Couto do Alberto, en…