Avançar para o conteúdo principal

"II Passeio de BTT dos PÊNÊVÊS de Proença-a-Nova"

Era uma zona por onde ainda não tinha dado umas pedaladas e por isso resolvi este ano participar no passeio da malta dos Pênêvês de Proença-a-Nova.
Saí de Castelo Branco pelas 07h15 na minha "jipose" e com a minha Trek FS a enfeitar o ramo, em direcção a Proença.
Como a malta com quem últimamente tenho participado nos passeios não foi, lá fui sózinho, na expectativa de encontrar malta que partilhasse a minha forma de participar nestes eventos.
Chegado ao local, a azáfama da "praxe". Estacionar, secretariado, descarregar a "bicla", apetrechá-la de conta kms e gps, verificar o restante material vestir e calçar o resto da "fatiota", colocar o capacete e "camelback" e ir para o "molho".
Enquanto me encontrava nestes "entretantos", chega o Pinto Infante e o José Luís e pronto, já tinha companhia.

A partida foi dada pelas 09h00, uma hora após o previsto e lá arrancámos em direcção aos trilhos.
Na primeira hora, tudo se compôs, quem queria andar, abalou, quem queria ficar, ficou e quem não abalou nem ficou, foram os que andam sempre no "fole" de querer chegar à frente e cada vez ficarem mais para trás.
Mas isto é a história de todos os passeio e que "agora não interessa nada".
Percurso sem grandes problemas técnicos e físicos, apesar dos seus quase 1500 de acumulado, mas que estavam bem escalonados no terreno, com excepcção daquela "aberrante" subida final, que não fazia falta nenhuma, assim com o último single no túnel e em descida bastante complicada e que a malta já não tem "pachorra" para lhe dar o devido valor, pois já vem bastante dorida e com os níveis de concentração bastante debilitados.
Se aquela parte final, fosse na primeira parte, ou lá para o meio, seria certamente uma "mais valia" e a malta, com as devidas excepções, gozá-la-ia à "brava".

Mas nada disto foi penalizante para o passeio, pois esteve bem dentro da expectativa, com belos trilhos e single tracks fenomenais e algumas passagens bem engraçadas e divertidas.
As paisagens durante todo o percurso, eram simplesmente fabulosas, com a visão daquelas aldeias "cravadas" naquelas encostas e naqueles bonitos vales, certamente não deixaram ninguém indiferente e eu principalmente gostei bastante do passeio e para o ano lá estarei de novo.
Agora digo-vos uma coisa!!! Aquele primeiro abastecimento com pão de "carcassa" tamanho XL recheados com umas belas bifanas acabadinhas de fazer, quase que faziam esquecer a "bicla" por ali encostada algures numa qualquer parede, enquanto eu trincava aquele belo "naco". E já não falo do restante, pois não eram só as bifanas.

Bem me custou saír dalí, mas a "volumetria" da minha zona "tripeira" já denotava um certo "abaulamento" e lá fui em busca de novas aventuras naqueles trilhos espectaculares.
cerca de 20 kms mais à frente e logo a seguir ao parque de merendas no cruzamento para a "Relva", junto ao aeródromo das Moitas, nova paragem para abastecimento em tendas montadas estilo "tuareg" e com duas mesas montadas, uma com uns belos pãezinhos e presunto fatiado, queijo, (e que queijo) variedade de enchido bem assadinho que até me apareceram umas gotinhas de suor no rosto. "Como raio iria eu saír dali, com todas aquelas iguariasa a olharem para mim!!!".
Como se não bastasse, a outra mesa estava composta com umas belas e grandes "malgas" de tigelada que acabaram por fazer sobressair um dos meus pontos fracos, que nem vou contar, pois acho que alguém já adivinhou. eh eh eh!!!

Como os meus companheiros, nomeadamente o Pinto Infante, O José Luís e o António Pequito, que se juntou a nós a seguir ao primeiro abastecimento, "também não gostavam nada daquilo", por alí nos mantivémos a "dar às matracas" até fazer doer a "bochecha".
Mas meus amigos, compromisso é compromisso e todos nós tinhamos um compromisso de honra!!! Acabar o passeio ainda de dia e se por alí ficássemos à espera de acabar com aquelas iguarias não conseguiríamos de certeza honrar tal compromisso. Por isso e a muito custo lá virámos costas a toda aquela "comidinha" e virámos "peito" ao trilho em direcção a Proença-a-Nova que já se vislumbrava no horizonte, que acabou por se tornar algo longínquo pela dureza da parte final.

Mas lá chegámos e ainda com muita gente atrás de nós e fomos direitinhos à zona de banhos onde, vejam só, havia água bastante quentinha, coisa rara nos tempos que correm.
Depois foi o farto almoço no Restaurante "Milita" na zona industrial de Proença. Um amplo espaço que acomodou toda a malta e priveligiou o convívio.
Na minha modesta opinião, um passeio a não perder no próximo ano.

Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
AC
Album fotográfico
(clique na imagem)
PÊNÊVÊS

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Volta vadia a ver o mar"

"A felicidade é um fim de tarde olhando o mar" (Marina Nader)
 . . .e foi esse o objetivo deste meu passeio de bicicleta, que gosto de chamar de "volta vadia". Ir ver o mar na Figueira da Foz.
Delineei o percurso, circular como sempre, juntei um grupo de amigos, também eles fãs deste tipo de passeios velocipédicos e fizémo-nos à estrada.
Saímos de Castelo Branco pelas 06h00 e fomos tomar o primeiro cafezinho da manhã à Pastelaria "Estrela Doce", na Sertã, onde o meu irmão Luís nos esperava.
Depois da dose cafeínica e do pastelinho de nata, seguimos para Condeixa a Nova, o local de partida e chegada desta nossa pequena aventura, estacionando as viaturas no parque auto do Lidl.
Cerca das 08h30, já pedalávamos em direção a Ega, a primeira povoação que passaríamos rumo à Figueira da Foz.
O dia estava ótimo para pedalar e o pouco vento que se fazia sentir era nosso aliado.
Sempre em ritmo animado e em alegre cavaqueira, como é habito, quando algumas "per…

"O outro lado da Estrêla"

Uma vez mais, resolvi fazer umas das minhas "voltas vadias", programadas para este ano, que espero mais rico em aventuras lúdicas e de partilha com amigos. Criei um percurso que chamei de "o outro lado da Estrela", pois a nossa querida Serra da Estrela só é conhecida pela maioria da malta pelas " Torres, Adamastores e outros alimentadores de egos". Mas a serra não é só isso, tem o outro lado, bem bonito por sinal, repleto de lindas panorâmicas e bonitas aldeias. Umas históricas, outras não, mas todas elas com encanto e uma história para contar. Juntaram-se à minha ideia, 14 companheiros e amigos, todos eles ávidos de uma boa aventura e bons momentos de convívio e sã camaradagem. Juntámo-nos na Rotunda da Racha, junto à loja do David, a Feelsbike, pelas 07h00, rumando seguidamente ao Vale da Amoreira, onde estabelecemos o "paddock", junto à Casa de Pasto Ideal, para uma reposição calórica e hidratação atempada, logo após a chegada. Saímos para a…