Avançar para o conteúdo principal

"Um visita ao Miradouro da Capela de Sta Cruz"

Numa manhã primaveril e um pouco fria, compareceram na Pires Marques, AC, Álvaro, Filipe, Dino e Humberto, para mais uma terça feira de Btt.
Desta vez "passei a bola" ao Álvaro, que foi o "inventor" do percurso de hoje e que acabou por nos levar ao bonito miradouro da Capela de Santa Cruz no Sobral do Campo.
Partimos inicialmente com rumo ao Maxial do Campo, terra natal do Álvaro, mas mais tarde acabámos por alterar o percurso, por ser demasiado longo e haver necessidade de estar a horas cá no burgo, para o Filipe se preparar para ir trabalhar.
Mas a "coisa" não correu bem, com dois furos, Humberto e Dino e como se não bastasse, enganámo-nos num trilho que nos somou uma série de kms aos inicialmente previstos. "Betêtista sofre. eh eh eh!!!"
saimos então da cidade em direcção a Alcains e rumámos à Lardosa, onde verificámos que mais um dos nossos trilhos preferidos já está a ser alcatroado à saída daquela povoação desconhecendo ainda a sua extensão.
Da Lardosa apontámos os guiadores das nossas bikes ao Louriçal, onde entrámos pelo estradão de S. Fiel para tirarmos azimute ao Sobral do Campo.
Naquela bonita povoação subimos à Capela de Santa Cruz, lá bem no alto e onde no seu adro existe um miradouro que nos abre vastos horizontes com lindíssimas paisagens a perder de vista.
O citado miradouro tem quatro cantos, todos eles com um enquadramento paisagístico diferente.
abandonámos o Sobral em direcção ao Ninho do Açor e aqui a coisa complicou-se, pois tomámos o trilho errado e que terminou abruptamente num extenso matagal.
Para não voltar atrás e como se vislumbrava outro trilho a cerca de duas centenas de metros, resolvemos embrenharmo-nos no matagal e aí é que a "coisa" se complicou.
Era uma barreira com mato denso e alto e lá fomos nós encosta abaixo furando o mato com as biclas às costas, que se prendiam em tudo o que era rama e mato e o trilho que tinhamos visto lá do alto nunca mais aparecia, até que o Filipe gritou.!!! . . .não "Terra à vista.!!!" . . . mas sim, já estou a ver o trilho. Foi um alívio!!!
Mas tudo isto faz parte da aventura e está sempre presente nas nossas "andanças" betêtísticas.
Lá seguimos então o trilho, não em direcção ao Ninho do Açor, pois esse já ficara lá para outras bandas, mas em direcção à Várzea do Porto do Conde, onde virámos à esquerda para o trilho que nos levou ao Barbaído.
Passámos a Povoação e já com alguma pressa em chegar à cidade, cruzámos o Juncal e apanhámos o estradão para a Quinta de Valverde junto ao Lagar, passando pela Lameira do Velho.
Já na N.551, continuámos por asfalto até virarmos para a Tapada das Figueiras e passando o Parque de Campismo, cruzámos a N.18 para entramos na cidade pelas 13h30, com 78 kms percorridos à média de 17,5 kms/h, derivado aos contratempos, que nos obrigaram a acelerar um pouco o ritmo.
Foi muma manhã divertida e cheia de adrenalina e onde a camaradagem mais uma vez foi rainha.

Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
AC
Slideshow

Comentários

FMicaelo disse…
Excelente reportagem e claro, boas fotos como sempre. Tá-me a parecer que foi uma excelente voltinha! E eu que não pude ir!... (O Sócrates não me dispensou da Função Pública....ehehehehe)
Outros bons momentos haverá e eu lá espero estar. Têm que repetir esta comigo! Até terça!

Mensagens populares deste blogue

"Rota do Bucho/2016"

Pelo segundo ano consecutivo, resolvi editar a Rota do Bucho, com um passeio pelos trilhos de Malpica do Tejo, uma bonita aldeia onde tenho raízes, que termina à mesa com um belo bucho de ossos à boa moda malpiqueira. Convidei um "magote" de amigos, dos quais dezasseis disseram presente. O ponto de reunião, foi desta vez na Pastelaria Cantinho dos Sabores, na Rotunda da Racha, onde tomamos o cafézinho matinal. Pelas 08h20 partimos em pelotão auto rumo a Malpica do Tejo, onde o Rui e a Sandra Tapadas já nos aguardavam. A previsão era de vento forte e alguns aguaceiros e desta vez o S. Pedro não nos "despontou", mandou mesmo umas belas rajadas de vento e umas belas bátegas de água, que nos atingiram por três vezes, um pouco no início desta pequena aventura, sensivelmente a meio, quando estávamos à vista de um local de abrigo, a aldeia de Lentiscais e no final, em jeito de banho. Pelas 09h00, como planeado, abandonávamos a aldeia rumo ao Monte do Couto do Alberto, en…

"Hoje fomos à romaria"

A manhã acordou hoje límpida e solarenga, num bom incentivo para um bom par de pedaladas asfálticas. Quando saí da garagem já o Álvaro e o Leandro me esperavam. Juntos fomos até à Rotunda das Violetas, ao encontro do Luís Lourenço e do Nuno Eusébio. Pouco depois chegou o Jorge Palma. Para não perder a prática tive ainda que mudar a câmara de ar da minha roda traseira que vinha com um pequeno furo, originado por uma limalha. Já com a "ézinha" pronta a rodar, fizemo-nos à estrada, abandonando a cidade pela Milhã, rumo ao Juncal do Campo pela estradinha panorâmica da Quinta de Valverde. Cruzamos a aldeia e entroncamos na N.12, onde fletimos à direita, rumo ao Padrão, uma pequena aldeia que este fim de semana se encontra engalanada para a festa da Nossa Senhora da Saúde. Entramos na aldeia e fomos tomar o cafezinho matinal no bar junto ao adro da igreja, gentilmente servido por um senhor, creio que festeiro, que fez questão de oferecer os cafezinhos e que agradecemos. Descemos …

Alvaiade, Perdigão e Vila Velha de Rodão"

Hoje, com um pelotão mais numeroso, fomos tomar o cafézinho matinal à Bolaria Rodense, em Vila Velha de Rodão. Abandonamos a cidade pouco depois das 08h30 e rumamos ao Perdigão, com passagem por Sarnadas de Rodão e Alvaiade. Seguimos depois pela estradinha panorâmica que liga o Perdigão a Vila Velha de Rodão, usufruindo da bonitas paisagens sobre a Serra das Talhadas e Vilas Ruivas. Depois da pequena tertúlia na Bolaria Rodense e já com os níveis repostos, rumamos à cidade, com passagem pelo Coxerro e Sarnadas. Aqui voltamos a encontrar o Joaquim Cabarrão e o Salvado, que deram uma volta mais pequena e juntos seguimos até à entrada da cidade, onde nos voltamos a separar, pois o restante grupo foi pela variante à Carapalha. Numa manhã já bem primaveril, alinharam para esta bonita volta, além de mim, o Jorge Palma, Tó Pinto, Fernando "Caraíbas", Sr. Silva, António Leandro e o João Salavessa.  Foram 75 kms, repletos de divertidas pedaladas, na companhia deste animado grupo de …