Avançar para o conteúdo principal

"Branco ou Tinto . . . tanto faz!!!"

Depois do "esticanço" de sábado até às Termas de Monfortinho, este domingo queria-se calmo e descomprimido.
E foi mais ou menos isso que aconteceu.
Pelas 08h juntaram-se na Pires Marques sete madrugadores betetistas para mais uma voltinha domingueira. AC, Álvaro, Nuno Maia, Jorge Palma, Filipe, Marcelo e Bruno.
Perguntei se alguém tinha uma idéia para o percurso de hoje e logo o Nuno Maia suscitou uma voltinha lá para os lados do Palvarinho.
Tudo bem . . . lá vamos nós em direcção ao Palvarinho, com saída da cidade pelo "tal portal" e rumámos a Sta Apolónia ( a nossa) entrando seguidamente em Alcains, pelas Escolas, para entrarmos nos trilhos que nos levaram às Passadouras da Rabaça, um local sempre bonito.
Dalí até Caféde, foi um saltinho e já a pensar nos bolinhos da Dª. Júlia, apontámos azimutes ao Café da qual é proprietária e lá vieram umas bolachinhas estaladiças a acompanhar o cafézinho.
Bem haja Dª. Júlia, a malta betêtista "adora-a", pela sua simpatia e forma de bem receber!!!
Ainda com a língua a procurar bocadinhos de bolacha nos dentes, lá montámos as nossas bikes, desta vez com destino ao Palvarinho e já a esfregar a mãos, a pensar naquele "singlezinho" que dá acesso à Povoação pelo lado da igreja.
Lá pedalávamos nós em amena cavaqueira, quando lá para os lados das Quintas de Valverde nos cruzámos com outro betêtista, que pedalava solitário, por segundo disse, não ter companhia.
Problema resolvido!!! Ora, era nem mais nem menos que o Vitor Cravo do Salgueiro, que acabou por se juntar ao grupo.
Mas passados uns kms, o Vitor mandou virar à direita para uma bonita vinha, inserida numa propriedade onde moravam os pais.
A viragem foi unânime, ninguém reclamou!!!
Eu, num momento de distração a olhar para aquelas belas cepas, ía-me espalhando. Foi por pouco!!!
Alguns metros mais à frente e após curvarmos em direcção ao portão da quinta, o Jorge Palma, depois de um "lamentoso" palavrão, acabou mesmo por aterrar.
"C'um caneco!!! Só com a visão das cepas criou aqueles "abanicos", então a "pinga" devia ser daquela de verdade, eh eh!!!
Bom chegados ao "adro" da "maison" a malta espalhou as biclas por ali, em qualquer sítio e ficou tudo à espera do convite formal do proprietário.
Havia branco ou tinto!!! Ninguém pôs entraves a qualquer dos "néctares" e foram duas jarrinhas uma de cada. Que maravilha!!!
Até o Filipe, um dos maiores "sugadores de coca" (cola) cá do burgo, bebeu um branquinho. E esta. Heim!!!
O Marcelo ao ver aquelas jarrinhas até os olhinhos se lhe iluminaram, como quando da sua primeira comunhão. eh eh!!!
Mas é um rapaz muito solidário e logo comentou!!!
O que o Fidalgo perdeu em não vir hoje!!! Mas não faz mal . . . sempre se poupou meio litrinho. Amigo??? Pois então!!!
Mas aquela espectacular "pinguinha" tinha umas propriedades estranhas, pois a malta que já se vinha arrastando em cima da "burrinha", foi vê-los "galgar" por alí fora. Chiça!!! parecia que tinham "mamado" gasóleo premium da BP. eh eh!!!
Chegou então o momento do single do Palvarinho e com a mistura da adrenalina, a coisa acalmou e voltou à normalidade.
Demos depois uma voltinha em redondo pela zona dos eucaliptais e rumámos ao Salgueiro do Campo, onde o Vitor Cravo nos deixou, pois morava ali e a quem agradeço a companhia e a maravilhosa "pinguinha".
Como a hora de almoço se aproximava rápidamente, encurtámos caminho e virámos de novo em direcção às Quintas de Valverde, desta vez com passagem no Recinto da Santa e onde constatámos que mais um dos nossos habituais trilhos vai desaparecer debaixo do moderno alcatrão.
Chegámos à Estrada de Caféde e sempre em asfalto continuámos até virarmos para a Tapada das Figueiras para entrarmos na cidade cerca das 13h com 57 kms percorridos numa bela manhã de Btt.

Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
AC
Clique aqui para ver mais fotos
Branco ou Tinto . . . tanto faz!!!

Comentários

LR disse…
Genial, é caso para dizer...branco ou tinto? Pode ser...cheio!
LR
vmmc disse…
Eu é que agradeço a companhia. A minha porta estará sempre aberta para mais um branquinho do Salgueiro.
Cravo
Phantom disse…
É de louvar a vossa paixão pelo BTT e pelo companheirismo. Também eu sou amante do BTT. Não o tenho praticado com tanta regularidade como gostaria, mas de vez em quando lá vou eu trilhar mais uns "caminhos".
Tenho acompanhado as vossas "aventuras" através dos vossos blogues. Continuem assim.
Fidalgo disse…
Não sei porque é que será que voçês se lembram de mim, nessas ocasiões. Eu até nem bebo muito vinho. Branco ou Tinto? Só tem uma resposta CHEIO.
Um abraço, é bom saber que se nota a minha falta.

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Passeio de mota pelo Geopark Las Villuercas e Guadalupe"

"Feliz do homem que possui uma moto, ele pode viajar, ver paisagens e entender-se a si próprio." (Eric Viking) Hoje foi dia de dar liberdade à mota. Na companhia dum casal amigo, o José Paulo e a Carla, fomos passear de mota pelas Dehezas Extremeñas, Geopark de las Villuercas e uma pequena visita a Guadalupe, um dos mais bonitos "pueblos" de Espanha. marcamos encontro na Pastelaria "A Ministra", numa das rotundas do Bairro da Carapalha e pouco depois das 08h30, já com a matinal dose de cafeína ingerida, fizemo-nos à estrada. Rumamos a Segura, onde entramos na "tierra de nuestros hermanos" seguindo depois até á Ponte Romana de Alcântara, onde efetuamos uma pequena paragem para apreciar aquela fantástica obra de engenharia romana que maravilhou o mundo antigo. Com uma história que se perde no tempo, esta ponte carrega peripécias e curiosidades. Não entramos na povoação e por uma estradinha "vecinal" seguimos para Mata de Alcântara e Gar…

"Volta vadia a ver o mar"

"A felicidade é um fim de tarde olhando o mar" (Marina Nader)
 . . .e foi esse o objetivo deste meu passeio de bicicleta, que gosto de chamar de "volta vadia". Ir ver o mar na Figueira da Foz.
Delineei o percurso, circular como sempre, juntei um grupo de amigos, também eles fãs deste tipo de passeios velocipédicos e fizémo-nos à estrada.
Saímos de Castelo Branco pelas 06h00 e fomos tomar o primeiro cafezinho da manhã à Pastelaria "Estrela Doce", na Sertã, onde o meu irmão Luís nos esperava.
Depois da dose cafeínica e do pastelinho de nata, seguimos para Condeixa a Nova, o local de partida e chegada desta nossa pequena aventura, estacionando as viaturas no parque auto do Lidl.
Cerca das 08h30, já pedalávamos em direção a Ega, a primeira povoação que passaríamos rumo à Figueira da Foz.
O dia estava ótimo para pedalar e o pouco vento que se fazia sentir era nosso aliado.
Sempre em ritmo animado e em alegre cavaqueira, como é habito, quando algumas "per…