Avançar para o conteúdo principal

"Últimos retoques"

No passado domingo, na companhia do Pedro Barroca, Nuno Eusébio, Luís Lourenço, Sérgio Marujo e Nuno, fui dar os últimos retoques na parte final do "VI Raid AC - Trilhos e Aventuras" a realizar no dia 08 de Novembro com um percurso por mim delineado, tem passagem por terras de montado até Monforte da Beira, onde se chegará através duma técnica e inclinada subida e descida entre olivais, por trilhos dissimulados e quelhas pedregosas.
Em caminhos arenosos e sinuosos atravessa-se o Rio Aravil,, em pleno Parque do Tejo Internacional e em constante subida, com a primeira metade a manter-se sempre acima dos dois digitos, atinge-se a bonita Aldeia de Soalheiras, bem dissimulada numa cova, onde será efectuadaa uma paragem para abastecimento num café local.
Dali, o objectivo será a abandonada Aldeia dos Alares, completamente em ruínas, onde após breve visita se seguirá em direcção ao Rosmaninhal, onde está previsto o almoço, na Tasca do Fatela.
Já com o estômago aconchegado, a rota seguirá por caminhos entre eucaliptal e mato rasteiro até à Aldeia de Cegonhas, com nova descida ao Rio Aravil, sempre fora do asfalto e sempre em subida até ao Monte dos Paredinos. Monforte entrará então no nosso campo visual.
Sem grande dificuldade, a partir de então, será feita a segunda passagem pela aldeia, para abastecimento, pois até final não haverá outro local para tal.
Depois de atravessar o Monte do Grilo, seguir-se-á um longo single track, algo pedregoso, onde o equilíbrio e alguma técnica fará jeito, para ladearmos a bonita Barragem do Monte Grande e atingirmos o Rio Ponsul, última passagem aquática do dia em esforço se atingir a cidade ,após longa subida pelo Monte do Pombal e Queijeiras da Rebouça.
Serão 113 kms de Puro Btt, arredados dos centros urbanos e em completa harmonia com a natureza selvagem, onde o avistamento de animais de grande porte é quase garantido.
Quando fiz o reconhecimento do percurso, tive 5 avistamentos de veados. Simplesmente espectacular!!!
Apresentado o Raid, vou agora resumidamente relatar a volta de domingo.
Saímos da Pires Marques pelas 08h15 e por trilhos sobejamente conhecidos, chegámos ao Monte do Chaveiro e Ponte Romana do Rio Ponsul.
Com pouco mais de meia ddúzia de kms percorridos, o Nuno teve que abandonar o grupo e regressar á cidade, por ter empenado o dropout da sua bike, presumivelmente com uma pedra.
Subímos ao Monte dos Cancelos e dalí continuámos até à Farropa, Grifo, Represa, Caldeireiro, sempre em terras de montado, entrando seguidamente em mata de eucaliptal até aos olivais da Serra de Monforte.
Seguiu-se uma dura e técnica subida até ao alto, onde serpenteámos depois, num dissimulado caminhos em zona pedregosa, caminho esse que já buscava há algum tempo e que só agora concluí.
A chegada à aldeia deu-se por umas antigas e bonitas quelhas e parámos no Café do Joaquim Padeiro, para a dose matinal de cafeína.
Dalí seguímos em estradões "dançarinos", pois a bike vai sempre a dançar na areia e pedra roliça, até chegarmos ao single track que reservara aos meus amigos e, que já há uns tempos andava a juntar às peças.
A passagem pela Barragem do Monte Grande foi bastante bonita, trazendo à recordação antigas pescarias ao achigã, não só a mim como a outros companheiros e já em estradão foi sempre a rolar a bom ritmo até ao Rio Ponsul.
Depois de cruzar o rio para o Monte do Pombal, demos início à penosa subida até às Queijeiras da Rebouça, fazendo a ligação ao Santuário da Sra de Mércules, com excepção do Sérgio Marujo, que seguiu para casa, efectuámos a derradeira paragem para tragar uma bjeca fresquinha, divagar sobre os nossos queixumes e lavar um pouco de "roupa suja".
Quanto a fotos, são limitadas, reservando as belas imagens deste percurso, para as retinas dos companheiros que a mim se unam neste bonito Raid.
No próximo fim de semana vou efectuar a ligação Castelo Branco-Fátima, a minha 2ª. peregrinação em Btt àquele Santuário.


Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
AC

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Passeio de Mota à Serra da Lousã"

"Penso noventa e nove vezes e nada descubro; deixo de pensar, mergulho em profundo silêncio - e eis que a verdade se me revela."
(Albert Einstein)
Dia apetecível para andar de mota, com algum vento trapalhão durante a manhã, mas que em nada beliscou este esplêndido dia de passeio co amigos. Com concentração marcada para as 08h30 na Padaria do Montalvão, apareceram o José Correia, Rafa Riscado, Carlos Marques e Paulo Santos. Depois do cafezinho tomado acompanhado de dois dedos de conversa, fizemo-nos à estrada, rumo a Pampilhosa da Serra, onde estava programada a primeira paragem. Estacionamos as motas no estacionamento do Pavilhão Municipal e demos um pequeno giro pelo Jardim da Praça do Regionalismo e Praia Fluvial, indo depois comer algo à pastelaria padaria no beco defronte do jardim Abandonamos aquela bonita vila, não sem antes efetuarmos uma pequena paragem no Miradouro do Calvário, com uma ampla visão sobre aquela vila tipicamente serra, cruzada pelo Rio Unhais. Voltamo…

"Trilho das Bufareiras e Penedo Furado"

"Às vezes ouço passar o vento; e só de o ouvir passar, vale a pena ter nascido"
(Fernando Pessoa)
Numa espécie de homenagem ao primeiro dia de primavera, que se apresentou como tal, solarengo e luminoso, fui mais a minha "Maria" fazer um pequeno passeio pedestre, ali para os lados de Vila de Rei. Saímos de casa já com os ponteiros do relógio a aproximarem-se das 09h00 e fomos até à Padaria do Montalvão, onde tomei a matinal dose de cafeína. Seguimos depois para a Praia Fluvial do Penedo Furado, para caminharmos um pouco pelo Trilho das Bufareiras e percorrer os recém inaugurados passadiços do Penedo Furado. Já a manhã ia a meio quando iniciamos a nossa caminhada, que teve inicio na Praia Fluvial, seguindo durante umas centenas de metros a Ribeira de Codes, pelos novos passadiços, até ao pequeno ribeiro da zona das cascatas. São 532 metros lineares, que trazem ainda mais beleza ao local e facilitam o acesso às cascatas. Terminada a passagem pelos passadiços, entramos…