Avançar para o conteúdo principal

"V Trilhos da Raia"

BTT a "Rodos"!!!
É assim que eu defino a 5ª. Edição dos Trilhos da Raia.
A verdade, é que nos anos em que tenho participado neste evento, já com marcação vitalícia, no meu calendário de eventos, acabo sempre por ser surpreendido, pela positiva, pela malta da ACIN.
Em cada ano que passa, a ACIN,empenha-se em apresentar um percurso cada vez mais bonito e diversificado.
E Este ano, foi para mim, semplesmente "espectacular"!!!
Bons trilhos, com singles, daqueles que até fazem tremideira, subidas e descidas para todos os gostos, as Aldeias do costume, pois essas não se podem alterar, pessoal empenhado e uma organização, que já atingiu um nível difícil de superar.
O almoço, bem, o almoço também é o do costume, aquele que a malta gosta mais, o afamado porco no espeto e a bela loirinha a brotar à descrição daquelas torneirinhas cromadas.
Que mais se pode desejar após uma bela manhã plena de btt!!
Quanto a mim, logo pela manhã, aprontei-me, coloquei a bike no suporte do carro e pelas 07h30, aí vai ele, em direcção à já considerada capital do Btt . . . Idanha-a-Nova.
Quando cheguei, já umas quantas dezenas de malta se me tinha antecipado.
Estacionei o carro, fui cumprimentar o meu irmão Luís, que também já por alí se encontrava e já montado na bike, fomos tomar o cafézinho matinal.
Fui cumprimentando os amigos que por ali se encontravam e pelas 09h, paratimos para mais uma Edição dos Trilhos da Raia.
Na primeira dezena de kms, a maior dificuldade foi o pó, que nos toldava a visão, pois a malta ainda ía muito junta, mas a partir da barragem e com o aparecimento das subidas, a rapaziada começou naturalmente a criar espaços.
Fiz o todo percurso sem um companheiro definido, ía falando com este ou com aquele, consoante os cruzava, ou era cruzado e nos abastecimentos, onde sempre dava dois dedos de conversa.
Ía parando, aqui e alí, para registar uma ou outra paisagem com a minha digital.
Gozei bastante com os single tracks com que este ano fomos presenteados e a maioria deles, novos.
A minha bike, mais uma vez portou-se à altura, sem furos nem problemas mecânicos e eu, também não me portei muito mal, pois cheguei bem e sem grandes problemas de ordem física, além do cansaço, natural nestas andanças.
Um dia para repetir, pena ser só para o ano.
Ao Afonso, ao Rui Tapadas e a toda a malta que colaborou nestes "V Trilhos da Raia", os meus parabém por me terem proporcionado um belo dia de btt e convívio, sentimento que penso ser comum a toda a malta que participiu.
Para o ano contem comigo!!!
Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
AC

Comentários

Amigo AC.

Concordo plenamente com o enunciado no post e com referência ao V Trilhos da Raia. Para mim e é o segundo ano consecutivo foi irrepreensivel esta prova.

Quero desde já convidá-lo para estar presente na 1ª Maratona de BTT "cidade de Pinhel" a realizar no dia 22/11/2009.

Como sabe Pinhel é uma cidade de grandes costumes quanto á forma de receber os seus visitantes, daí que queiramos alargar os n/ horizontes para com o desporto do BTT.

Como já se pratica um pouco de bTT neste concelho vamos realizar este evento pretendendo ajuda de todos akeles que adoram o BTT e dele fazem parte a sua vida.

Poderá encontrar toda a informação no meu blog http://falcaobtt.blogspot.com

Os trilhos por aqui e quem os conhece são trilhos de paisagens estunteantes em redor do Rio Côa e da Serra da Marofa, passando por aldeias históricas.

Bons trilhos e apareça.

Abraço

Falcaobtt

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Volta vadia a ver o mar"

"A felicidade é um fim de tarde olhando o mar" (Marina Nader)
 . . .e foi esse o objetivo deste meu passeio de bicicleta, que gosto de chamar de "volta vadia". Ir ver o mar na Figueira da Foz.
Delineei o percurso, circular como sempre, juntei um grupo de amigos, também eles fãs deste tipo de passeios velocipédicos e fizémo-nos à estrada.
Saímos de Castelo Branco pelas 06h00 e fomos tomar o primeiro cafezinho da manhã à Pastelaria "Estrela Doce", na Sertã, onde o meu irmão Luís nos esperava.
Depois da dose cafeínica e do pastelinho de nata, seguimos para Condeixa a Nova, o local de partida e chegada desta nossa pequena aventura, estacionando as viaturas no parque auto do Lidl.
Cerca das 08h30, já pedalávamos em direção a Ega, a primeira povoação que passaríamos rumo à Figueira da Foz.
O dia estava ótimo para pedalar e o pouco vento que se fazia sentir era nosso aliado.
Sempre em ritmo animado e em alegre cavaqueira, como é habito, quando algumas "per…

"O Trilho da Mina de Ouro do Conhal"

"Só existe um êxito: a capacidade de levar a vida que se quer." (Cristopher Morley) Logo pela manhã, carinha lavada, pequeno almoço tomado ,cafezinho da praxe e na companhia da minha "Maria", fomos até Santana, na aldeia piscatória do Arneiro para uma manhã lúdica e reconfortante pelo Trilho da Mina de Ouro do Conhal. Ajeitei o trilho, cortando a passagem pela cumeada até ao Miradouro da Serrinha e descida acentuada à Foz da Ribeira do Vale.
Saí da aldeia pelo caminho que lá mais à frente ladeia a Ribeira do Vale até á sua foz.
Neste local, onde a ribeira se encontra com o Rio Tejo, formou-se uma ilha a que dão o nome de Cabecinho. Depois de seguir o caminho até à margem do rio, voltamos atrás e fomos até à ilha, passando por duas pontes suspensas, a primeira sobre a Ribeira do Vale e a segunda mais à frente, para ligar à Ilha do Cabecinho. Esta ilha é pequenina . . .uma ilhota, por assim dizer. Nela encontramos uma casa em ruinas, alguns pinheiros e uma mesa e ba…