Avançar para o conteúdo principal

"Grande Rota do Zêzere"

Hoje foi dia de vadiagem.
Acompanharam-me os amigos Álvaro Lourenço e José Luís até á zona do pinhal, para percorrermos parte dos trilhos que compõem a GRZ.
Saímos de Castelo Branco já perto das 07h30 e rumámos a Cambas, onde deixámos as viaturas junto ao cemitério local.
Foi uma grande pena o baixo nevoeiro que nos privou da primeira metade do percurso, sempre paralelo ao Rio Zêzere. Assim, não pude mostrar aos meus amigo a grande beleza daquela zona, onde o rio corre rápidamente entre fragas, criando uma panorâmica espetacular. Ficará para outra ocasião.
Saímos de Cambas pelo trilho que ladeia o rio por uma curva de nível até ao Cabeço do Folhadal, onde enfrentámos umas das longas e "endiabradas" subidas do dia, com posterior descida para a Barroca do Espinhaço, onde efetuámos nova subida, agora mais suave até à primeira das muitas povoações que cruzámos . . . Caneiros.
Seguimos depois até à Azeireira, sempre em sobe e desce, com nova subida, também um pouco "musculada" para a bonita povoação da Selada das Pedras.
Voltámos a descer para depois atacarmos outra subida, com alguma dificuldade, pela zona do Muro e que nos levou até à Sancha Moura.
Por trilhos bastante ondulados, ornamentados aqui e ali por alguns singles que nos faziam subir a adrenalina, passámos por Gavião de Cima, Brejos do Gavião, e Sobral do Gavião, subindo ainda ao VG da Cabeça Gorda, para seguidamente nos divertirmos uma rápida e adrenalínica descida, com uma pendente considerável até ao Armadouro, onde tencionávamos comer algo mais sólido, mas os dois cafés da aldeia estavam fechados.
Tivemos que continuar e valer-nos duma das barrinhas que cautelosamente transportávamos.
Passámos pelos Brejos do Barco e rumámos às Estremanças de Cima e Estremanças de Baixo para de novo, numa espetacular descida e com uma panorâmica espetacular sobre o Rio Zêzere, entrarmos em Janeiro de Baixo, onde parámos no único café da aldeia.
Aqui, a simpatia foi rainha, por parte da velhota do café.
Fez uma pausa seu no almoço para nos atender, confecionando-nos uma refeição, tipo rapidinha, com três latas de atum, a que juntou algumas das batatas cozidas do seu almoço e azeite de produção própria, assim como a cebola. Que bem nos soube.
Após aquela singela refeição, acompanhada dum par de "jolas" fresquinhas, negociámos 300 gramas de queijo à ovelheira, para acabar com o resto do "casqueiro" que a simpática senhora colocou na mesa à nossa disposição.
Para sobremesa, e por escolha do José Luís, foi uma torta de chocolate e para terminar, o cafézinho da praxe. Só faltou a sestinha retemperadora. Como eu gosto destas voltinhas "vadias" partilhadas com os amigos que me queiram acompanhar, ou a solo . . . não sou esquisito!!!
Contornámos a praia fluvial da aldeia e continuámos num dos trilhos da GRZ, que culminou com um single track com algumas passagens de arrepiar . . . gostei à brava. Ainda lá hei-de voltar um outro dia.
Passámos pela soberba Garganta do Zêzere . . . impressionante!!! Já a tinha espreitado lá de cima, mas agora, espreitei-a cá de baixo. Um espetáculo.
Pena ter uma seção rochosa não ciclável, onde até com a bike às costas apresenta alguma dificuldade.
Mas vale pela panorâmica!!!
Rápidamente chegámos a Ademoço e daqui até à ponte de Cambas, foi por asfalto, chegando a Cambas pela zona de lazer, bem bonita por sinal, com aquele espelho de água formado pelo rio a entrar nos nossos olhos.
Todos gostámos desta bonita manhã de btt, preenchida com 44 kms bem divertidos, por trilhos e single tracks que nos alegraram a alma e aceleraram o coração.
 
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC

Clip.
 
 

Comentários

Luis Antunes disse…
Mas que belo passeio ás minhas origens
Revivi muitos dos meus bons momentos que passei quando era jovem por estas paragens.
Grande passeio, as aldeias encontram se meio desertas sem grande possibilidade de oferecer condições aos seus visitantes mas as pessoas são afáveis e hospitaleiras.
Continuo a visitar o o AC-Trilhos e Aventuras diariamente e a partilhar algumas das vossas belas imagens em https://www.facebook.com/AdeiasDePortugal
Abraço

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Passeio de mota pelo Geopark Las Villuercas e Guadalupe"

"Feliz do homem que possui uma moto, ele pode viajar, ver paisagens e entender-se a si próprio." (Eric Viking) Hoje foi dia de dar liberdade à mota. Na companhia dum casal amigo, o José Paulo e a Carla, fomos passear de mota pelas Dehezas Extremeñas, Geopark de las Villuercas e uma pequena visita a Guadalupe, um dos mais bonitos "pueblos" de Espanha. marcamos encontro na Pastelaria "A Ministra", numa das rotundas do Bairro da Carapalha e pouco depois das 08h30, já com a matinal dose de cafeína ingerida, fizemo-nos à estrada. Rumamos a Segura, onde entramos na "tierra de nuestros hermanos" seguindo depois até á Ponte Romana de Alcântara, onde efetuamos uma pequena paragem para apreciar aquela fantástica obra de engenharia romana que maravilhou o mundo antigo. Com uma história que se perde no tempo, esta ponte carrega peripécias e curiosidades. Não entramos na povoação e por uma estradinha "vecinal" seguimos para Mata de Alcântara e Gar…

"Volta vadia a ver o mar"

"A felicidade é um fim de tarde olhando o mar" (Marina Nader)
 . . .e foi esse o objetivo deste meu passeio de bicicleta, que gosto de chamar de "volta vadia". Ir ver o mar na Figueira da Foz.
Delineei o percurso, circular como sempre, juntei um grupo de amigos, também eles fãs deste tipo de passeios velocipédicos e fizémo-nos à estrada.
Saímos de Castelo Branco pelas 06h00 e fomos tomar o primeiro cafezinho da manhã à Pastelaria "Estrela Doce", na Sertã, onde o meu irmão Luís nos esperava.
Depois da dose cafeínica e do pastelinho de nata, seguimos para Condeixa a Nova, o local de partida e chegada desta nossa pequena aventura, estacionando as viaturas no parque auto do Lidl.
Cerca das 08h30, já pedalávamos em direção a Ega, a primeira povoação que passaríamos rumo à Figueira da Foz.
O dia estava ótimo para pedalar e o pouco vento que se fazia sentir era nosso aliado.
Sempre em ritmo animado e em alegre cavaqueira, como é habito, quando algumas "per…