sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

"Ingarnal"

Hoje, na sempre agradável companhia do Vasco Soares, fomos até ao Ingarnal, uma pitoresca aldeia, cravada quase no cume do Cabeço do Zibreiro, na abas da Serra da Gardunha.
O ponto de encontro foi, como é hábito, na Rotunda da Racha e, com o ponteiro horário já a abandonar as 9h, saímos em direção a Almaceda, passando pelo Salgueiro do Campo e Lameirinha.
  
Entrámos em Almaceda pelo terrivel piso empedrado e parámos na padaria local, também pastelaria, para a matinal dose de cafeína.
Desta vez, troquei o pastelito de nata por uma cremosa bola de Berlim, sendo acompanhado pelo Vasco após alguma indecisão. Como me parece ser um pouco mais virado para o chocolate, umas lindas fatias de bolo com aquela bonita cor aveludada, estavam a baralhar-lhe os neurónios. Mas no final, acho que ficou satisfeito com a decisão, pois as bolinhas de berlim, estavam divinais!!!
Atenção!!! Não me "divorciei" daqueles deliciosos bolinhos, que se assemelham a "malguinhas" . . . os pasteis de nata . . . apenas já não havia!
Comemos o bolinho, bebericámos o café calmamente e saímos da pastelaria, de peito feito, para enfrentar aqueles kms ascendentes até à Lomba, a cumeada que divide o Ingarnal, da Foz do Giraldo.
Até ao Ingarnal, a pendente não ultrapassou os 11%, com amédia a situar-se nos 5/%,  mas a partir da entrada na aldeia, estes valores alteram-se substancialmente, com a média a situar-se nos 15% e com uma pendente máxima de 18%.
Valores declarados, eventualmente superiores, são com certeza publicidade enganosa, agora muito em voga, nos télélés da moda!!!
A mim, particularmente, custam-me "c'mó catano", mas, "caracoleando", ainda lá vou chegando,
à maldita "Lomba".
A componente paisagística, vista lá do alto é simplesmente fantástica. Obriga-me sempre a uma breve paragem para absorver aquelas paisagens únicas e registá-las com a minha digital.
Já satisfeitos e com as forças um pouco recuperadas, descemos de novo a Almaceda, pois é um lugar de volta atrás, para as asfálticas" e regressámos à cidade.
No regresso, o ritmo foi um pouco mais animado, pois a hora de almoço não vinha ao nosso encontro e teríamos que ser nós a chegar a horas da segunda refeição do dia, e isso, aconteceu!
Pelas 13h chegámos à cidade, com 81 kms percorridos pelas bonitas estradas cá do nosso condado e com a visita a uma linda e acolhedora aldeia, agora um pouco abandonada . . . O Ingarnal!
 
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos ou fora deles.
AC

1 comentário:

Luantes Luis Antunes disse...

meu caro amigo e Senhor Cabaço. Como deve calcular sou seu seguidor bem como do seu irmão Luis nas vossas pedaladas, tenho inclusivamente o endereço dos vossos blogues nos meus destaques do Ecos da Aldeia. Este vosso passeio de hoje levou me até á longinqua década de 60 quando passei muitos dias nessa terrinha perdida lá no cabeço Zibreiro Ingarnal terra do meu pai e onde ainda tenho varios familiares. Foi bom ver este vosso passeio de hoje
Abraço e boas pedaladas