terça-feira, 29 de setembro de 2015

"Pelo parque eólico do pinhal interior."

Hoje resolvi pôr a minha "ézinha" a ranger, pelas serranias do Parque Eólico do Pinhal Interior.
Levantei-me cedo, dei uma espreitadela pela janela da cozinha para ver como estava o tempo e depois de tomada a primeira refeição do dia, fiz-me à estrada.
Resolvi ir até à central de Transformação do Parque Eólico do Pinhal Interior com passagem pela Lisga e Isna.
Abandonei a cidade pelas 07h30 e pela Milhã segui pelo Salgueiro do Campo até ao final da reta da Esteveira, onde fleti à esquerda para o Vale Ferradas, Grade e Vale Maria Dona.
Cheguei à Azenha de Cima e depois da pequena subida, virei à dereita e desci ao Pomar para enfrentar a longuíssima subida às eólicas com passagem pela Lisga.
Uma duríssima subida sempre nos dois dígitos, apenas com um descanso antes da Lisga, para chegar aos 18% já quase no final da aldeia e à chegada à capela, transformando-se anda mais penoso pelo fato de ser empedrado.
Depois da passagem pela aldeia, há ainda uma longa distância até culminar a subida, junto à central elétrica.
Depois foi gozar a descida até à Isna, uma bonita aldeia cá do nosso belo interior.
Continuei pelo Vale da Cuba e desci à Barragem das Corgas, onde parei um pouco para apreciar aquela média bacia hidrográfica e criar peito para a segunda e também bastante longa subida até à Central de Transformação.
Nova paragem para apreciar aquela brutal panorâmica e alimentar-me um pouco.
Desci à Castanheira e com passagem pelo Souto e Casa Nova, cheguei à Sobreira Formosa, onde virei à esquerda e segui pela já bem conhecida estrada, rumo a Castelo Branco.
Passei pela Froia e parei na Catraia para comer algo mais sólido e tomar um cafézinho, seguindo depois para a Catraia Cimeira, Monte Gordo, Vale d'Agua, Sarzedas, Cabeço do Infante, Vilares e Taberna Seca, onde cheguei depois da última dificuldade do dia, com a subida desde a ponte do Rio Ocreza.
Cheguei à cidade pelas 13h15, com 116 durinhos kms, pedalados pelas bonitas e panorâmicas estradinhas do pinhal interior, cruzando castiças aldeias e vencendo um bom par de dificuldades montanhosas entre paisagens únicas.
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC

Sem comentários: