sexta-feira, 6 de novembro de 2015

"Foz da Ribeira de Alfrívida"

Hoje juntei-me ao Sandro Gama para uma bonita volta de Btt.
O ponto de encontro foi no café "O Petisco", junto à residência do Sandro, pelas 07h30.
Combinamos ir até à foz da ribeira de Alfrívida, um bonito percurso circular, apesar de um pouco exigente.
Abandonamos a cidade depois do cafézinho e pastelinho de nata, no meu caso e entramos nos trilhos no Valongo  rumo aos Maxiais onde chegamos depois de cruzar o Vale Capitão.
Passamos a aldeia e entramos no eucaliptal rumo à M.553, que percorremos durante umas centenas de metros ate às velhas instalações do pavilhão industrial, onde fletimos á direita e subimos às Olelas, ladeando a barragem dos Carmonas.
Descemos para os Cebolais de Cima e depois dumas passagens catitas por algumas quelas da aldeia voltamos à M.553 que seguimos até às primeiras curvas rumos a Alfrívida, onde voltamos a entrar nos trilhos e descer à Ribeira de Alfrívida por uma sequência de belos e enlameados trilhos.
Depois de voltar a cruzar a estrada, encostamos á Ribeira de Alfrívida que seguimos até à sua foz, no Rio Ponsul, com uma bela panorâmica sobre a ponte que dá acesso aos Lentiscais e embarcadouro do "Balcon de Tajo", o barco turistico que faz a ligação entre aquele cais e o de Cedillo.
Depois de um par de fotos descemos mais um pouco e seguimos o Rio Ponsul durante algum tempo, apreciando aquela bela panorâmica, para enfrentarmos depois um par de duras subidas até às velhas ruínas do Garreta.
Dali seguimos para Vale Pousadas, onde paramos no "Café Oliveira" para um par de mini bjecas e repor algumas calorias.
Saímos daquela aldeia em direção a mais um par de dificuldades, com a subida dos Ratinhos e a mais suave para o VG do Mulato.
Ultrapassada mais estes "cabecinhos" foi passear pelos diversos estradões até ao Retaxo, que cruzamos, subindo de novo às Olelas, agora as antenas, para descermos pelas traseiras da unidade hoteleira ali existente, até à ponte sobre a via férrea, que fomos ladeando até ao estaleiro do cruzamento dos Maxiais.
aqui resolvemos regressar à cidade já por asfalto e cruzamos a cidade pela zona industrial até às violetas, onde entramos nas avenidas até á Quinta Pires marques, onde me despedi do Sandro, após 71 kms de puro btt, num percurso circular repleto de bonitos trilhos e espetaculares paisagens, agora vestidas com as bonitas cores de outono.
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC

Sem comentários: