quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

"Alfrívida e Tamujais"

Hoje, apeteceu-me ir dar mais uma voltinha vadia, desta vez com a minha "santa", com o azimute virado a sul.
Abandonei a cidade pelas 07h45, com a ideia de ir tomar o cafézinho matinal a Alfrívida, regressando pelos Tamujais e Sarnadas de Rodão.
Subi à serra das Olelas e desci ao Retaxo e, com passagem pelos Cebolais, embrenhei-me nos trilhos, rumo a Alfrívida.
Serpenteando por cabeços e vales, com alguns recantos, novos para mim, e que já há algum tempo aguardava, vontade ou oportunidade para os visitar.
Valeu a pena! Bonitos e inóspitos fizeram-me sentir como o peixinho na água . . .como eu gosto, em modo aventura e contemplativo.
Cheguei a Alfrívida e fui até ao restaurante "O Rato", onde tomei a matinal dose de cafeína, nas calmas, pois a manhã estava por minha conta e os trilhos também não iriam mudar de sítio.
Cruzei o vale que procede a aldeia e tomei o rumo ao Vale de Pousadas, que ladeei, seguindo para os Tamujais, onde pretendia ladear a sua bonita bacia hidrográfica, no Monte da Coutada.
Subi depois à Serrasqueira também por um traçado novo e fiz um pouco de asfalto para adiantar um pouco, voltando a entrar nos trilhos na proximidade da Atalaia.
Já por trilhos segui para Sarnadas, que cruzei, ladeando depois o IP2 até à Represa, onde voltei a subir às Olelas, descenso a serra pelo lado do complexo turístico.
Até à cidade foi um instante e pelas 12h30 estava de novo no ponto de partida, após uma rica manhã repleta de bonitos trilhos, pedalados em modo vadio, rodeado de belas panorâmicas, cruzando vales e cabeços, sob um sol radioso e temperatura amena. 
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC

Sem comentários: