Avançar para o conteúdo principal

"II Maratona Alcains - Gardunha"


A minha primeira participação na Maratona de Alcains - Gardunha, não correu dentro das minhas expectativas, por diversos factores.- A intempérie que tem assolado a nossa zona, alterou bastante o rumo das coisas e prejudicou um pouco a "rapaziada" do Papaléguas obrigando-os certamente a mais trabalho, mas que não os impediu de mostrar o que eles bem sabem fazer . . . bem receber e organizar eventos de qualidade e que mais uma vez ficou demonstrado nesta II maratona de Alcains.

- O facto de no domingo anterior ter contraído uma microrotura nos ligamentos do gémeo direito, que me obrigou a tratamento durante toda a semana para amenizar o problema.
- Daí ter resolvido, por percaução, apenas participar na Mini Maratona (47 kms) pela menor quilometragem e pela orografia do terreno mais suave.
Como combinado, juntámo-nos na Padaria de Montalvão junto à Rotunda do Modelo uma "catrefada" de malta, toda ela participante nesta Maratona para unidos seguirmos para Alcains, bem acompanhados pela chuva que há alguns dias cai de forma agúdana nossa região.
Depois de estacionar as viaturas junto à Escola de Alcains, não apetecia nada retirar as bikes dos suportes, pois a chuva não deixava de cair.
Durante a viagem e olhando os campos em nosso redor, eram autênticos mares de àgua.
Lá tomei coragem para me dirigir ao secretariado e os meus olhos brilharam ao ver aquela bem ornamentada mesa com uns deliciosos pastéis de nata. E eu que não sou nada guloso.
Valeu-me ter levantado o dorsal no dia anterior!!!
Mudei então a minha participação para a Mini Maratona, pelo motivo atrás descrito e lá resolvi retirar a bike do suporte e prepará-la para o "embate"
Como já vem sendo hábito partí nos últimos lugares, mas desta vez por distração, pois já nem fui ao local de partida e segui atrás dos últimos que vislumbrei ao longe.
acompanhei o Roberto práticamente até ao primeiro abastecimento, onde nos desencontrámos definitivamente.
Até lá foi um sem fim de peripécias derivado ao estado dos terrenos, que acabou por ser divertido pelas situações observadas noutros participantes e outras em que fomos envolvidos.
Depois do primeiro abastecimento segui com o Fidalgo, o Marcelo, o Nuno Dias, o Martin e outros mas acabei por me adiantar um pouco derivado ao facto do Fidalgo ter partido a corrente e eu não me ter apercebido.
Continuei com o Martim até ao final em ritmo de cruzeiro, pois não estava em condições de efectuar grandes esforços, ou pelo menos não deveria.
Apesar do tempo e do estado lastimável dos trilhos gostei imenso desta minha primeira participação na Maratona de Alcains.
O tempo e o estado dos terrenos em nada desvirtuou a organização do evento e quanto a mim, apenas valorizou o seu trabalho, pois apesar das dificuldades, apresentaram uma organização cuidada e bam direccionada em prol dos participantes.Parabéns Carlos Pio e demais elementos da organização!!!
Para o ano lá estarei certamente!!!
Desta vez não me fiz acompanhar da minha fiel digital e por tal motivo não tirei qualquer foto, valendo-me de algumas fotos tiradas pelos meus amigos.!!!


Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
AC

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Passeio de mota pelo Geopark Las Villuercas e Guadalupe"

"Feliz do homem que possui uma moto, ele pode viajar, ver paisagens e entender-se a si próprio." (Eric Viking) Hoje foi dia de dar liberdade à mota. Na companhia dum casal amigo, o José Paulo e a Carla, fomos passear de mota pelas Dehezas Extremeñas, Geopark de las Villuercas e uma pequena visita a Guadalupe, um dos mais bonitos "pueblos" de Espanha. marcamos encontro na Pastelaria "A Ministra", numa das rotundas do Bairro da Carapalha e pouco depois das 08h30, já com a matinal dose de cafeína ingerida, fizemo-nos à estrada. Rumamos a Segura, onde entramos na "tierra de nuestros hermanos" seguindo depois até á Ponte Romana de Alcântara, onde efetuamos uma pequena paragem para apreciar aquela fantástica obra de engenharia romana que maravilhou o mundo antigo. Com uma história que se perde no tempo, esta ponte carrega peripécias e curiosidades. Não entramos na povoação e por uma estradinha "vecinal" seguimos para Mata de Alcântara e Gar…

"Volta vadia a ver o mar"

"A felicidade é um fim de tarde olhando o mar" (Marina Nader)
 . . .e foi esse o objetivo deste meu passeio de bicicleta, que gosto de chamar de "volta vadia". Ir ver o mar na Figueira da Foz.
Delineei o percurso, circular como sempre, juntei um grupo de amigos, também eles fãs deste tipo de passeios velocipédicos e fizémo-nos à estrada.
Saímos de Castelo Branco pelas 06h00 e fomos tomar o primeiro cafezinho da manhã à Pastelaria "Estrela Doce", na Sertã, onde o meu irmão Luís nos esperava.
Depois da dose cafeínica e do pastelinho de nata, seguimos para Condeixa a Nova, o local de partida e chegada desta nossa pequena aventura, estacionando as viaturas no parque auto do Lidl.
Cerca das 08h30, já pedalávamos em direção a Ega, a primeira povoação que passaríamos rumo à Figueira da Foz.
O dia estava ótimo para pedalar e o pouco vento que se fazia sentir era nosso aliado.
Sempre em ritmo animado e em alegre cavaqueira, como é habito, quando algumas "per…