Avançar para o conteúdo principal

"Maratona Ribeiras da Estrela # Paúl"

SOBERBO ... LINDO ... ESPECTACULAR!!!
Foi assim na minha óptica, esta bem organizada Maratona das Ribeiras da Estrela na bonita aldeia do Paúl.

Não participei no ano passado por desconhecimento, mas depois de ouvir os comentários da malta que participou, ficou desde logo registada no meu calendário de passeios.
Para mim, superou em muito a expectativa!!!
Com um enquadramento fenomenal e paisagens deslumbrantes, esta maratona fica na retina de qualquer participante, mesmo os menos atentos.
Passagens sobre várias ribeiras construídas em madeira, pontes antigas, single tracks para todos os gostos e feitios, passagens singulares nalgumas aldeias por onde passámos, abastecimentos fartos e diversificados com "fumeiro" e queijo fresco da região, broa, bolos, filhoses fruta diversificada e bebidas hipotónicas de 500 ml, além de barras energéticas e gel de qualidade, que mais se pode desejar num evento destes. Para mim foi uma Romaria e para terminar em beleza ganhei ainda a "Scott Aspect 45 Disc" no sorteio final, quando ainda desfrutava os trilhos na companhia do amigo Nuno Maia.
Depois do empeno do 25 de Abril na Serra da Malcata, contava apanhar novo empeno nesta Maratona, mas apesar de ainda um pouco dorido ,fí-la com relativo à vontade, pois também a enfrentei de forma lúdica, como gosto, apreciando as paisagens e registando na minha digital.
Para este evento saí de Castelo Branco com o Nuno Maia e o Agnelo Quelhas, na viatura do Nuno e quando chegámos ao Paúl já a azáfama era grande, com a malta a preparar as bikes e dar os últimos retoques.
Apesar de já termos os dorsais, enviados para as lojas de Castelo Branco, fomos ao Secretariado levantar os brindes e a senha de almoço.
Depois fomos tomar o segundo pequeno almoço, também ele farto e diversificado e ainda com direito a cafézinho expresso, ou para os mais audazes, uma "maquineta" de tirar imperial, esta à descrição e a quem não faltou clientes. eh eh eh!!!
Cerca das 09h20 rumámos depois para o local da partida e colocámo-nos na cauda do pelotão, eu e o Nuno Maia, pois o Agnelo ia dar uma "litrada" nesta maratona, acabando por conquistar o sexto lugar e apanhar uma valente seca à nossa espera.
E foi o Agnelo que me telefonou a informar-me que tinha ganho a Scott no sorteio, andava eu lá para as bandas de Silvares!!!
às 09h30, foi dada a partida para uma volta circular por alguns arruamentos do Paúl para na passagem seguinte ser dada a partida oficial e lá fomos nós em direcção aos trilhos, onde logo nos kms iniciais se poderia abreviar o que seria esta maratona em termos paisagísticos, com o alto da Serra da Estrela quase ao nosso alcance.
Muitas ribeiras, muitas passagens singelas, muitos single tracks, muitos trilhos bonitos e onde era um gozo pedalar, muita gente envolvida nesta exemplar organização, muita gente a aplaudir e a colaborar. Uma maratona a não perder e de que eu já fiquei fã!!!
Assim dá gosto pedalar e participar em eventos, que como este, se nota que uns dos principais objectivos é promover a modalidade e a terra onde é organizado, sem que o lucro seja o grande objectivo. E tudo isto por 15 euros!!! Já paguei muito mais por um só abastecimento apenas com água e uma peça de fruta!!!
Por isso, para o ano lá estarei, de preferência acompanhado de alguns amigos.


Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
AC
Slideshow

Comentários

BTT-ALBI disse…
Eu até podia ter ido !!!
Então porque é que não fui ???
Para o ano só se não der mesmo !!!
um abraÇo.
rockbike disse…
MUITO OBRIGADO PELA PRESENÇA E PELO REGISTO DIGITAL DA PROVA
ROGERIO...APCD-PEDAISDOPAUL
Ferrão disse…
Boas António,

Apesar de seguir as tuas pedaladas no teu cantinho, já não te vi há muito. Gostei de te reencontrar. Havemos de fazê-lo mais vezes.
Já agora, subscrevo todo o que disseste sobre a maratona do Paul.
Esteve tudo perfeito.
Um abraço.

Mensagens populares deste blogue

"O outro lado da Estrêla"

Uma vez mais, resolvi fazer umas das minhas "voltas vadias", programadas para este ano, que espero mais rico em aventuras lúdicas e de partilha com amigos. Criei um percurso que chamei de "o outro lado da Estrela", pois a nossa querida Serra da Estrela só é conhecida pela maioria da malta pelas " Torres, Adamastores e outros alimentadores de egos". Mas a serra não é só isso, tem o outro lado, bem bonito por sinal, repleto de lindas panorâmicas e bonitas aldeias. Umas históricas, outras não, mas todas elas com encanto e uma história para contar. Juntaram-se à minha ideia, 14 companheiros e amigos, todos eles ávidos de uma boa aventura e bons momentos de convívio e sã camaradagem. Juntámo-nos na Rotunda da Racha, junto à loja do David, a Feelsbike, pelas 07h00, rumando seguidamente ao Vale da Amoreira, onde estabelecemos o "paddock", junto à Casa de Pasto Ideal, para uma reposição calórica e hidratação atempada, logo após a chegada. Saímos para a…

"Volta vadia a ver o mar"

"A felicidade é um fim de tarde olhando o mar" (Marina Nader)
 . . .e foi esse o objetivo deste meu passeio de bicicleta, que gosto de chamar de "volta vadia". Ir ver o mar na Figueira da Foz.
Delineei o percurso, circular como sempre, juntei um grupo de amigos, também eles fãs deste tipo de passeios velocipédicos e fizémo-nos à estrada.
Saímos de Castelo Branco pelas 06h00 e fomos tomar o primeiro cafezinho da manhã à Pastelaria "Estrela Doce", na Sertã, onde o meu irmão Luís nos esperava.
Depois da dose cafeínica e do pastelinho de nata, seguimos para Condeixa a Nova, o local de partida e chegada desta nossa pequena aventura, estacionando as viaturas no parque auto do Lidl.
Cerca das 08h30, já pedalávamos em direção a Ega, a primeira povoação que passaríamos rumo à Figueira da Foz.
O dia estava ótimo para pedalar e o pouco vento que se fazia sentir era nosso aliado.
Sempre em ritmo animado e em alegre cavaqueira, como é habito, quando algumas "per…

"O Trilho da Mina de Ouro do Conhal"

"Só existe um êxito: a capacidade de levar a vida que se quer." (Cristopher Morley) Logo pela manhã, carinha lavada, pequeno almoço tomado ,cafezinho da praxe e na companhia da minha "Maria", fomos até Santana, na aldeia piscatória do Arneiro para uma manhã lúdica e reconfortante pelo Trilho da Mina de Ouro do Conhal. Ajeitei o trilho, cortando a passagem pela cumeada até ao Miradouro da Serrinha e descida acentuada à Foz da Ribeira do Vale.
Saí da aldeia pelo caminho que lá mais à frente ladeia a Ribeira do Vale até á sua foz.
Neste local, onde a ribeira se encontra com o Rio Tejo, formou-se uma ilha a que dão o nome de Cabecinho. Depois de seguir o caminho até à margem do rio, voltamos atrás e fomos até à ilha, passando por duas pontes suspensas, a primeira sobre a Ribeira do Vale e a segunda mais à frente, para ligar à Ilha do Cabecinho. Esta ilha é pequenina . . .uma ilhota, por assim dizer. Nela encontramos uma casa em ruinas, alguns pinheiros e uma mesa e ba…