Avançar para o conteúdo principal

"V Peregrinação a Fátima em Btt"

Pelo 5º. ano consecutivo e na companhia de 9 amigos, conclui no passado fim de semana, mais uma Peregrinação a Fátima em Btt.
O Nuno Eusébio, o Luís Lourenço, o Carlos Pio, o Jorge Oliveira, o Álvaro, o José Luís, o Abílio Fidalgo, o João Afonso e o Silvério, foram os meus companheiros nesta minha obstinação anual.
Saímos cedo da cidade, pouco depois das 07h, com exceção do Abílio Fidalgo que juntou à malta ao final do dia, para participar no segundo dia.
O pequeno almoço foi na Bolaria Rodense onde ninguém deu a "nega" a um bolinho acabado de ser confecionado.
passámos a ponte para a outra província, o Alentejo, e pedalámos durante algum tempo junto à margem direita do Rio Tejo e num espetacular single track, até às Fisgas do Tejo.
Aqui, seguimos ladeando a Ribeira do Fivenco, também por um bonito single track, subindo depois pelo eucaliptal para descer a S. Simão e ir ganhando altitude até Nisa, onde parámos na Churrasqueira para almoçarmos.
Entre bifanas e frango assado, sempre acompanhado por umas "belas loiras", na maioriada rapaziada, lá saciámos temporáriamente a fome e a sede.
Fomos então em direção à Barragem do Fratel, com passagem por alguns trilhos bastante interessantes e pelas aldeias de Monte Claro e Falagueira.
Crtuzámos a Barragem pelo paredão e após algumas centenas de metros em asfalto, entrámos nos trilhos até Gardete, voltando ao asfalto até à Barragem da Pracana.
Subimos à Central Elétrica e por estradões, fomos até à Zimbreira, enfrentando algumas duras rampas até ao alto da serra.
Com passagem pelo Vilar da Lapa e Vale do Grove, chegámos a Mação, onde ficámos hospedados na Residêncial Mansinho.
Afastar a sede não foi tarefa fácil. As loirinhas circulavam para a nossa mesa em corropio.
Após o jantar, bem servido e de escolha prévia, alguns companheiros foram "apanhar ar" para outras bandas, enquanto que os restantes se ficaram pela residencial a acompanhar o jogo de futebol entre o Benfica e o Beira-Mar.
Logo pela manhã, perdemos um companheiro, o José Luís, que teve que regressar a casa por não se sentir bem, passando a noite a vomitar.
Mas tinhamos também um novo companheiro, o Abílio Fidalgo, que nos iria acompanhar no segundo dia, a pedalar, pois já se nos juntara à hora do jantar do dia anterior.
Saímos de Mação após o pequeno almoço, pelas 08h00, e rumámos ao Penhascoso, seguimdo depois por Queixoperra e Entrevinhas, para pararmos logo de seguida, no Sardoal, para a matinal dose de cafeína.
Já a pensar na bela sandes de presunto e na bjeca escurinha (à pression), seguimos para a Carreira do Mato, com passagem pelas aldeias de Carvalhal, Souto, Ribeira da Brunheta, onde nos divertimos num single track bem catita, seguindo-se o Carregal.
Aquele local ainda se mantinha como há dois anos atrás, quando por ali passámos.
Seguiu-se a Aldeia do Mato e descemos à Praia Fluvial para voltarmos a subir até Martinchel.
Cruzámos a Barragem do Castelo de Bode e fomos até Tomar pelas Fontainhas e Vale Florido, entrando na cidade pelo Recinto da Igreja de Santa Maria dos Olivais.
Ali parámos um pouco para uma foto de grupo e fomos até à zona do jardim da cidade, banhado pelo Rio Nabão.
Procurámos local para almoçar e abancámos no castiço restaurante "Salsinha Verde" junto à Praça da República.
Toda a gente comeu um arrozinho de pato divinal.
A moleza estava a ganhar terreno após aquela horinha á boa mesa.
Saimos da cidade pela estrada de Ourém, virando à esquerda para Brasões e parámos junto ao bonito Aqueduto de Pegões para um par de fotos.
Seguiram-se a Fonte da Longra, Fagulhos e Fungalvaz, para entrarmos numa das zonas que em mais adoro para praticar btt, a carismática Serra d'Aires e Candeeiros.
Daí até Fátima, foi no meu entender, encher o papinho de bons trilhos, onde penso que toda a malta "curtiu", mesmo os que ainda não estão habituados a pisa este tipo de terreno.
A pedra foi rainha, rasgada por fantásticas trialeiras e mais para o final, uns belos singles rasgando o arvoredo até à entrada triunfal, pelos Valinhos, na espetacular Via Sacra.
Os familiares já nos esperavam, seguindo-se um belo "picnic", onde fomos mimados por umas quantas belas iguarias, à descrição e bebidas para todos os gostos.
Obrigado a todos por me acompanharem nesta obstinação anual e para o ano, se tudo correr de feição, lá irei novamente, nos dias 5 e 6 de Outubro.
 
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC

Clip de Vídeo
 

Comentários

Silverio Correia disse…
Já o tinha dito e repito, dois dias espectaculares de Puro BTT, em que tive a oportunidade de por em prática a politica dos 4P's + A's e me permitiu absorver tudo o que de bom tem este desporto/hobby! Um percurso com direito a todos os tipos de trilhos que se possam imaginar num passeio de BTT e em grande parte, para mim, a estrear o que é sempre uma motivação adicional. De realçar o convívio saudável entre os amigos que se juntaram nesta peregrinação, tanto durante o tempo de pedaladas como nos momentos de descanso, e por fim reforçado com alguns familiares proporcionando um bom e grande momento de boa disposição. Foi mais uma passeio de BTT/peregrinação que como sempre deixa água na boca e vontade de repetir. Parabéns a todos pelo desempenho e pela concretização do objectivo.
Embora bastantes vezes lembrado por todos, tenho de mencionar o quanto foi sentida a falta do Zé Luís no 2º dia.
Um abraço para todos
SIlvério
FMicaelo disse…
Mais uma excelente peregrinação, num modo que nunca fiz - BTT. Um ano deste irei concerteza. è bonito ver-se assim uma rapaziada toda junta a curtir os trilhos, com bons momentos entre todos. Quem sabe se pro ano vos farei companhia!

Mensagens populares deste blogue

Alvaiade, Perdigão e Vila Velha de Rodão"

Hoje, com um pelotão mais numeroso, fomos tomar o cafézinho matinal à Bolaria Rodense, em Vila Velha de Rodão. Abandonamos a cidade pouco depois das 08h30 e rumamos ao Perdigão, com passagem por Sarnadas de Rodão e Alvaiade. Seguimos depois pela estradinha panorâmica que liga o Perdigão a Vila Velha de Rodão, usufruindo da bonitas paisagens sobre a Serra das Talhadas e Vilas Ruivas. Depois da pequena tertúlia na Bolaria Rodense e já com os níveis repostos, rumamos à cidade, com passagem pelo Coxerro e Sarnadas. Aqui voltamos a encontrar o Joaquim Cabarrão e o Salvado, que deram uma volta mais pequena e juntos seguimos até à entrada da cidade, onde nos voltamos a separar, pois o restante grupo foi pela variante à Carapalha. Numa manhã já bem primaveril, alinharam para esta bonita volta, além de mim, o Jorge Palma, Tó Pinto, Fernando "Caraíbas", Sr. Silva, António Leandro e o João Salavessa.  Foram 75 kms, repletos de divertidas pedaladas, na companhia deste animado grupo de …

"Hoje fomos à romaria"

A manhã acordou hoje límpida e solarenga, num bom incentivo para um bom par de pedaladas asfálticas. Quando saí da garagem já o Álvaro e o Leandro me esperavam. Juntos fomos até à Rotunda das Violetas, ao encontro do Luís Lourenço e do Nuno Eusébio. Pouco depois chegou o Jorge Palma. Para não perder a prática tive ainda que mudar a câmara de ar da minha roda traseira que vinha com um pequeno furo, originado por uma limalha. Já com a "ézinha" pronta a rodar, fizemo-nos à estrada, abandonando a cidade pela Milhã, rumo ao Juncal do Campo pela estradinha panorâmica da Quinta de Valverde. Cruzamos a aldeia e entroncamos na N.12, onde fletimos à direita, rumo ao Padrão, uma pequena aldeia que este fim de semana se encontra engalanada para a festa da Nossa Senhora da Saúde. Entramos na aldeia e fomos tomar o cafezinho matinal no bar junto ao adro da igreja, gentilmente servido por um senhor, creio que festeiro, que fez questão de oferecer os cafezinhos e que agradecemos. Descemos …

"Rota do Bucho/2016"

Pelo segundo ano consecutivo, resolvi editar a Rota do Bucho, com um passeio pelos trilhos de Malpica do Tejo, uma bonita aldeia onde tenho raízes, que termina à mesa com um belo bucho de ossos à boa moda malpiqueira. Convidei um "magote" de amigos, dos quais dezasseis disseram presente. O ponto de reunião, foi desta vez na Pastelaria Cantinho dos Sabores, na Rotunda da Racha, onde tomamos o cafézinho matinal. Pelas 08h20 partimos em pelotão auto rumo a Malpica do Tejo, onde o Rui e a Sandra Tapadas já nos aguardavam. A previsão era de vento forte e alguns aguaceiros e desta vez o S. Pedro não nos "despontou", mandou mesmo umas belas rajadas de vento e umas belas bátegas de água, que nos atingiram por três vezes, um pouco no início desta pequena aventura, sensivelmente a meio, quando estávamos à vista de um local de abrigo, a aldeia de Lentiscais e no final, em jeito de banho. Pelas 09h00, como planeado, abandonávamos a aldeia rumo ao Monte do Couto do Alberto, en…