Avançar para o conteúdo principal

"V Peregrinação a Fátima em Btt"

Pelo 5º. ano consecutivo e na companhia de 9 amigos, conclui no passado fim de semana, mais uma Peregrinação a Fátima em Btt.
O Nuno Eusébio, o Luís Lourenço, o Carlos Pio, o Jorge Oliveira, o Álvaro, o José Luís, o Abílio Fidalgo, o João Afonso e o Silvério, foram os meus companheiros nesta minha obstinação anual.
Saímos cedo da cidade, pouco depois das 07h, com exceção do Abílio Fidalgo que juntou à malta ao final do dia, para participar no segundo dia.
O pequeno almoço foi na Bolaria Rodense onde ninguém deu a "nega" a um bolinho acabado de ser confecionado.
passámos a ponte para a outra província, o Alentejo, e pedalámos durante algum tempo junto à margem direita do Rio Tejo e num espetacular single track, até às Fisgas do Tejo.
Aqui, seguimos ladeando a Ribeira do Fivenco, também por um bonito single track, subindo depois pelo eucaliptal para descer a S. Simão e ir ganhando altitude até Nisa, onde parámos na Churrasqueira para almoçarmos.
Entre bifanas e frango assado, sempre acompanhado por umas "belas loiras", na maioriada rapaziada, lá saciámos temporáriamente a fome e a sede.
Fomos então em direção à Barragem do Fratel, com passagem por alguns trilhos bastante interessantes e pelas aldeias de Monte Claro e Falagueira.
Crtuzámos a Barragem pelo paredão e após algumas centenas de metros em asfalto, entrámos nos trilhos até Gardete, voltando ao asfalto até à Barragem da Pracana.
Subimos à Central Elétrica e por estradões, fomos até à Zimbreira, enfrentando algumas duras rampas até ao alto da serra.
Com passagem pelo Vilar da Lapa e Vale do Grove, chegámos a Mação, onde ficámos hospedados na Residêncial Mansinho.
Afastar a sede não foi tarefa fácil. As loirinhas circulavam para a nossa mesa em corropio.
Após o jantar, bem servido e de escolha prévia, alguns companheiros foram "apanhar ar" para outras bandas, enquanto que os restantes se ficaram pela residencial a acompanhar o jogo de futebol entre o Benfica e o Beira-Mar.
Logo pela manhã, perdemos um companheiro, o José Luís, que teve que regressar a casa por não se sentir bem, passando a noite a vomitar.
Mas tinhamos também um novo companheiro, o Abílio Fidalgo, que nos iria acompanhar no segundo dia, a pedalar, pois já se nos juntara à hora do jantar do dia anterior.
Saímos de Mação após o pequeno almoço, pelas 08h00, e rumámos ao Penhascoso, seguimdo depois por Queixoperra e Entrevinhas, para pararmos logo de seguida, no Sardoal, para a matinal dose de cafeína.
Já a pensar na bela sandes de presunto e na bjeca escurinha (à pression), seguimos para a Carreira do Mato, com passagem pelas aldeias de Carvalhal, Souto, Ribeira da Brunheta, onde nos divertimos num single track bem catita, seguindo-se o Carregal.
Aquele local ainda se mantinha como há dois anos atrás, quando por ali passámos.
Seguiu-se a Aldeia do Mato e descemos à Praia Fluvial para voltarmos a subir até Martinchel.
Cruzámos a Barragem do Castelo de Bode e fomos até Tomar pelas Fontainhas e Vale Florido, entrando na cidade pelo Recinto da Igreja de Santa Maria dos Olivais.
Ali parámos um pouco para uma foto de grupo e fomos até à zona do jardim da cidade, banhado pelo Rio Nabão.
Procurámos local para almoçar e abancámos no castiço restaurante "Salsinha Verde" junto à Praça da República.
Toda a gente comeu um arrozinho de pato divinal.
A moleza estava a ganhar terreno após aquela horinha á boa mesa.
Saimos da cidade pela estrada de Ourém, virando à esquerda para Brasões e parámos junto ao bonito Aqueduto de Pegões para um par de fotos.
Seguiram-se a Fonte da Longra, Fagulhos e Fungalvaz, para entrarmos numa das zonas que em mais adoro para praticar btt, a carismática Serra d'Aires e Candeeiros.
Daí até Fátima, foi no meu entender, encher o papinho de bons trilhos, onde penso que toda a malta "curtiu", mesmo os que ainda não estão habituados a pisa este tipo de terreno.
A pedra foi rainha, rasgada por fantásticas trialeiras e mais para o final, uns belos singles rasgando o arvoredo até à entrada triunfal, pelos Valinhos, na espetacular Via Sacra.
Os familiares já nos esperavam, seguindo-se um belo "picnic", onde fomos mimados por umas quantas belas iguarias, à descrição e bebidas para todos os gostos.
Obrigado a todos por me acompanharem nesta obstinação anual e para o ano, se tudo correr de feição, lá irei novamente, nos dias 5 e 6 de Outubro.
 
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC

Clip de Vídeo
 

Comentários

Já o tinha dito e repito, dois dias espectaculares de Puro BTT, em que tive a oportunidade de por em prática a politica dos 4P's + A's e me permitiu absorver tudo o que de bom tem este desporto/hobby! Um percurso com direito a todos os tipos de trilhos que se possam imaginar num passeio de BTT e em grande parte, para mim, a estrear o que é sempre uma motivação adicional. De realçar o convívio saudável entre os amigos que se juntaram nesta peregrinação, tanto durante o tempo de pedaladas como nos momentos de descanso, e por fim reforçado com alguns familiares proporcionando um bom e grande momento de boa disposição. Foi mais uma passeio de BTT/peregrinação que como sempre deixa água na boca e vontade de repetir. Parabéns a todos pelo desempenho e pela concretização do objectivo.
Embora bastantes vezes lembrado por todos, tenho de mencionar o quanto foi sentida a falta do Zé Luís no 2º dia.
Um abraço para todos
SIlvério
FMicaelo disse…
Mais uma excelente peregrinação, num modo que nunca fiz - BTT. Um ano deste irei concerteza. è bonito ver-se assim uma rapaziada toda junta a curtir os trilhos, com bons momentos entre todos. Quem sabe se pro ano vos farei companhia!

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Passeio de Mota à Serra da Lousã"

"Penso noventa e nove vezes e nada descubro; deixo de pensar, mergulho em profundo silêncio - e eis que a verdade se me revela."
(Albert Einstein)
Dia apetecível para andar de mota, com algum vento trapalhão durante a manhã, mas que em nada beliscou este esplêndido dia de passeio co amigos. Com concentração marcada para as 08h30 na Padaria do Montalvão, apareceram o José Correia, Rafa Riscado, Carlos Marques e Paulo Santos. Depois do cafezinho tomado acompanhado de dois dedos de conversa, fizemo-nos à estrada, rumo a Pampilhosa da Serra, onde estava programada a primeira paragem. Estacionamos as motas no estacionamento do Pavilhão Municipal e demos um pequeno giro pelo Jardim da Praça do Regionalismo e Praia Fluvial, indo depois comer algo à pastelaria padaria no beco defronte do jardim Abandonamos aquela bonita vila, não sem antes efetuarmos uma pequena paragem no Miradouro do Calvário, com uma ampla visão sobre aquela vila tipicamente serra, cruzada pelo Rio Unhais. Voltamo…

"Trilho das Bufareiras e Penedo Furado"

"Às vezes ouço passar o vento; e só de o ouvir passar, vale a pena ter nascido"
(Fernando Pessoa)
Numa espécie de homenagem ao primeiro dia de primavera, que se apresentou como tal, solarengo e luminoso, fui mais a minha "Maria" fazer um pequeno passeio pedestre, ali para os lados de Vila de Rei. Saímos de casa já com os ponteiros do relógio a aproximarem-se das 09h00 e fomos até à Padaria do Montalvão, onde tomei a matinal dose de cafeína. Seguimos depois para a Praia Fluvial do Penedo Furado, para caminharmos um pouco pelo Trilho das Bufareiras e percorrer os recém inaugurados passadiços do Penedo Furado. Já a manhã ia a meio quando iniciamos a nossa caminhada, que teve inicio na Praia Fluvial, seguindo durante umas centenas de metros a Ribeira de Codes, pelos novos passadiços, até ao pequeno ribeiro da zona das cascatas. São 532 metros lineares, que trazem ainda mais beleza ao local e facilitam o acesso às cascatas. Terminada a passagem pelos passadiços, entramos…