domingo, 19 de maio de 2013

"Rota dos Lagartos"

È sempre com alguma ansiedade que a rapaziada "não profissionalizada" aguarda pacientemente a chegada do dia do passeio da "Rota dos Lagartos", uma carolice do amigo Pinto Infante, que de ano para ano, nos vem brindando com estes eventos, onde a malta se junta e confraterniza.
Dos poucos onde a malta ainda consegue conversar, pedalar kms em conjunto e sentar-se calmamente num abastecimento e comer e beber enquanto se põe a conversa em dia, sem ser um estorvo, nem prejudicar ninguém na tabela classificativa. Que maravilha!
Depois do biefing da praxe, cerca das 09h, a malta foi saindo em grupos, para um bonito percurso, guiados pelo gps.
Saímos da Lardosa em direção ao Monte das Areias e pela Fadagosa e Monte da Gatuna, chegámos à Atalaia do Campo.
A malta ía animada e ia-se cruzando com outros grupos, que com o tempo se foram afastando, pois o nosso ia "calmoso" e numa boa . . . sem stress!!!
Subimos à Terra das Pedras e chegámos ao ilídico local da Ponte Velha com o seu lindíssimo açude.
Continuámos pelas Gândaras, Escaldado e Borracheiro, antes de entrarmos em Castelo Novo. Uma bonita aldeia, que dispensa apresentações.
Passámos pela zona do Vale das Canas, que nos deu acesso às Pucarinhas e onde por bonitos single tracks cruzando quintarolas, chegámos a Alpedrinha.
Aqui percorrenos algumas singelas ruelas, para descansarmos um pouco enquanto repunhamos energias, no abastecimento à saída da povoação.
Seguiu-se a subida ao alto da Serra, algo exigente, mas singularmente bela, com passagem pelas traseiras da Serração do Anjo da Guarda e entre a Catraia do Falcão e o Chão da Serra.
Depois de cruzarmos a N.18 na curva do gancho, seguimos pelo estradão pela cumeada, até às proximidades da subida às antenas da Cortiçada.
Aqui, iniciámos a adrenalínica descida até à estação de Vale de Prazeres, onde rumámos à Cortiçada.
Por bonitos trilhos, fomos pedalando, passando pela Teixugueira, Lage Pequena e hortas do Trapeiro, até cruzarmos a M.1079 na Ponte da Touca, passando depois a pequena e quase abandonada povoação da Touca.
O Pinto Infante esmerou-se desta vez. Bonitos trilhos, singulares passagens e fantásticas paisagens. Que mais terás tu no teu baú?
Já em zonas mais rolantes lá iamos pedalando em direção à Lardosa, com passagem pelo Corricão e Poço do Castelhano, até chegarmos a um dos bonitos locais do percurso, a barragem do Cabrão, ( que raio de nome!) que nos deu acesso às Zebras.
Até ao Vale da Torre foi um instantinho e após passarmos pelo Curtido chegámos finalmente à Lardosa. Um pouco tarde é um fato. Mas cheios de boas pedaladas, de bom companheirismo, de regalar as vistas com fantásticas paisagens e de desfrutar de excelentes trilhos.
Um furo na roda da frente da bike do Carlos Farinha, o abastecimento onde a bela sandes à descrição e a"pinguinha" não faltaram, os cerejais que bordejavam os trilhos, com os seus vermelhos frutos a desafiarem-nos, obrigando-nos a pecar pela gula, também contribuiram . . . mas, valeu pelo seu todo. O passeio, os companheiros e os trilhos.
Depois do banhinho retemperador, seguiu-se o almoço, que já carateriza este evento. Simples e generoso. Que mais se pode pedir!
Obrigado Pinto Infante. Para o ano conta comigo!
 
Fiquem bem.
Vemo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC

1 comentário:

Pinto Infante disse...

quero contar contigo, e com toda a malta que assim queira participar neste evento.
fico contente por terem apreciado esta orientação que escolhi para 2013.
um grande abraço
Pinto Infante