Avançar para o conteúdo principal

"XIV Peregrinação a Fátima por estrada"

Mais um ano se cumpriu esta minha obstinação de ligar Castelo Branco a Fátima de bicicleta.
Há exatamente catorze anos que dei início a esta peregrinação, que tenho cumprido fielmente e sempre no fim de semana ates de 13 de maio . . . quer chova, quer faça sol!!!
Nem sei bem o que me move a cumprir esta ligação. Apenas sei que todos os anos, algo me puxa a pedalar até àquele Santuário.
Umas vezes sózinho, outras acompanhado, mas . . . nesta altura do ano, esta peregrinação é para cumprir, enquanto as pernas me o permitirem!
Não é de certeza o protagonismo de mais uma grande tirada . . . que não é tanto como isso . . . nem um desafio pessoal, daqueles em que queremos melhorar a performance de ano para ano. Tempos, velocidades horárias, preocupações com acumulados e outras parvoíces!!!
Não quero dar nas vistas, apenas ver as vistas e aliviar mais um ano esta minha obstinação.
Este ano, acompanharam-me o meu irmão Luís, o João Afonso e o José Luís.
O local de encontro foi às 06h15 junto ao Mac Donald's e lá partimos nós para a minha XIV pergrinação.
O percurso foi o habitual nestes últimos anos, com passagem por Alvaiade, Perdigão, Vale da Mua e Pedra do Altar, onde este ano efetuámos a primeira paragem, para o cafézinho da manhã.
Mais à frente, o Pedro Tavares, com um  pequeno grupo de amigos preparava-se para uma voltinha de Btt e parámos para nos cumprimentarmos e dar dois dedos de conversa.
Reatámos a nossa peregrinação e fomos pedalando calmamente, passando por Moitas, Caniçais, Cimeiro e Fundeiro, Vale da Carreira, Mesão Frio, Arganil, Freixoeiro, Cabo e Robalo, com a habitual paragem na modesta Adega da família Cabaço, onde um pequeno lanche já aguardava os "peregrinos".
Ali comemos e bebemos uns "tintóis", para encher a veia e dar "estaleca" para o restante caminho.
Despedimo-nos com uma foto de grupo com o anfitrião e seguimos viagem.
Sempre pedalando numa boa e em conversa amena, lá fomos passando por Vinha Velha Amêndoa Fonte Boa, Vila de Rei, Estevais e Ponte do Rio Zêzere, onde mais uma vez cumprimos paragem, para apreciar aquela bonita panorâmica do Rio Zêzere.
Seguiu-se a subida a Ferreira do Zêzere, onde as nossas Marias, a minha e a do João Afonso se cruzaram connosco.
Esperaram-nos à saída da vila, na Pastelaria Rosa, onde fizemos nova paragem para comer um dos belos bolinhos daquele estabelecimento e beber algo fresco,
Um bom momento de convívio com a família.
Mais de metade do percurso já estava feito. O pequeno grupo estava animado e a chegada ao Santuário estava práticamente garantida. A rapaziada estava em alta!
Continuámos por Água Todo o Ano, Regueiras, Portela do Nexebra, Pintado e Tomar, com a paragem obrigatória junto a Rio Nabão, no jardim da cidade. Sempre muito bonito, em qualquer altura do ano.
Depois das fotos da praxe, continuámos a nossa pedalada, seguindo por Carregueiros, Vale dos Ovos, Alburitel, Ourém, Melroeira e Pinhel, com a derradeira paragem no café junto a cruzamento, que dá acesso aos últimos kms para Fátima, para nos refrescarmos com uma bebida fresca..
O trânsito durante todo o percurso foi bastante escasso e peregrinos a pé, nem vê-los. Apenas uma meia dúzia deles, já próximo da chegada.
Efetuámos então a subida ao Santuário, desta vez pela Atouguia e, foi com um sorriso nos lábios, que demos entrada no Parque nº. dois, a minha meta de há catorze anos a esta parte.
O único senão deste ano foi o fato de haver milhares de peregrinos e os parques estarem cheios e com os acesso cortados à circulação automóvel.
O nosso objetivo estava cumprido, que era chegar ao Santuário de bicicleta.
Tirámos a foto de grupo, sem o José Luís que já tinha ido ao encontro da esposa e cada um tratou de si, à sua maneira.
Cumpridas as praxes, eu e o meu irmão fomos ter com a minha esposa que tinha estacionado num pequeno parque, fora do reboliço e ali retemperámos forças.
O meu irmão regressou à Sertã de bicicleta e eu regressei a casa feliz, por ter conseguido mais uma vez, cumprir esta minha obstinação anual.
No fim de semana antes de 13 de Outubro, cumprirei a minha outra peregrinação, também ela
 até a Santuário de Fátima, desta vez em Btt e durante dois dias, plenos de aventura.
 
Fiquem bem.
Vemo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC

Comentários

Silvério disse…
Parabéns por mais um vez cumprires a obstinação anual que te acompanha há já 14 anos!!! Desta vez não me foi possível partilhar este extraordinário evento, mas espero ansiosamente pelo próximo!
Abraço
Silvério
FMicaelo disse…
Mais uma a juntar a um bom par delas! E sempre bem alimentada com as boas "barritas" do Robalo e com bom "isostar" daquelas vinhas! eheheheh
Este ano nao deu, mas haverá outros, assim as pernas e a vontade nos continuem a acompanhar nessas "maluqueiras"!

Mensagens populares deste blogue

"Rota do Bucho/2016"

Pelo segundo ano consecutivo, resolvi editar a Rota do Bucho, com um passeio pelos trilhos de Malpica do Tejo, uma bonita aldeia onde tenho raízes, que termina à mesa com um belo bucho de ossos à boa moda malpiqueira. Convidei um "magote" de amigos, dos quais dezasseis disseram presente. O ponto de reunião, foi desta vez na Pastelaria Cantinho dos Sabores, na Rotunda da Racha, onde tomamos o cafézinho matinal. Pelas 08h20 partimos em pelotão auto rumo a Malpica do Tejo, onde o Rui e a Sandra Tapadas já nos aguardavam. A previsão era de vento forte e alguns aguaceiros e desta vez o S. Pedro não nos "despontou", mandou mesmo umas belas rajadas de vento e umas belas bátegas de água, que nos atingiram por três vezes, um pouco no início desta pequena aventura, sensivelmente a meio, quando estávamos à vista de um local de abrigo, a aldeia de Lentiscais e no final, em jeito de banho. Pelas 09h00, como planeado, abandonávamos a aldeia rumo ao Monte do Couto do Alberto, en…

"Hoje fomos à romaria"

A manhã acordou hoje límpida e solarenga, num bom incentivo para um bom par de pedaladas asfálticas. Quando saí da garagem já o Álvaro e o Leandro me esperavam. Juntos fomos até à Rotunda das Violetas, ao encontro do Luís Lourenço e do Nuno Eusébio. Pouco depois chegou o Jorge Palma. Para não perder a prática tive ainda que mudar a câmara de ar da minha roda traseira que vinha com um pequeno furo, originado por uma limalha. Já com a "ézinha" pronta a rodar, fizemo-nos à estrada, abandonando a cidade pela Milhã, rumo ao Juncal do Campo pela estradinha panorâmica da Quinta de Valverde. Cruzamos a aldeia e entroncamos na N.12, onde fletimos à direita, rumo ao Padrão, uma pequena aldeia que este fim de semana se encontra engalanada para a festa da Nossa Senhora da Saúde. Entramos na aldeia e fomos tomar o cafezinho matinal no bar junto ao adro da igreja, gentilmente servido por um senhor, creio que festeiro, que fez questão de oferecer os cafezinhos e que agradecemos. Descemos …

Alvaiade, Perdigão e Vila Velha de Rodão"

Hoje, com um pelotão mais numeroso, fomos tomar o cafézinho matinal à Bolaria Rodense, em Vila Velha de Rodão. Abandonamos a cidade pouco depois das 08h30 e rumamos ao Perdigão, com passagem por Sarnadas de Rodão e Alvaiade. Seguimos depois pela estradinha panorâmica que liga o Perdigão a Vila Velha de Rodão, usufruindo da bonitas paisagens sobre a Serra das Talhadas e Vilas Ruivas. Depois da pequena tertúlia na Bolaria Rodense e já com os níveis repostos, rumamos à cidade, com passagem pelo Coxerro e Sarnadas. Aqui voltamos a encontrar o Joaquim Cabarrão e o Salvado, que deram uma volta mais pequena e juntos seguimos até à entrada da cidade, onde nos voltamos a separar, pois o restante grupo foi pela variante à Carapalha. Numa manhã já bem primaveril, alinharam para esta bonita volta, além de mim, o Jorge Palma, Tó Pinto, Fernando "Caraíbas", Sr. Silva, António Leandro e o João Salavessa.  Foram 75 kms, repletos de divertidas pedaladas, na companhia deste animado grupo de …