Avançar para o conteúdo principal

"Rota das Barragens"

Conforme combinado, tive hoje a excelente companhia do Vasco Soares e fomos dar uma das minhas voltas vadias, para outro quintal e "esticar" as rodas das nossas bikes até à Ribeira de Alpreade e espetacular Quinta da Várzea, ziguezagueando por montes e cabeços, ladeando charcas e barragens, inseridas numa bonita envolvente panorâmica.
Saímos da cidade (Rotunda da Racha) pouco depois das 08h e rumámos à Quelha dos Desembargadores, cruzando seguidamente o Alagão para o Curral do Prego, com passagem pela pista de aviação já quase concluída.
Seguiu-se o Monte Brito e Vinha do Marco, para entrarmos nos Escalos de Baixo, onde tomámos a matinal dose de cafeína, no café "O Fontanário".
Mais recompostos e ávidos de um bom par de pedaladas, contornámos a aldeia pela zona das hortas, para alguns kms mais à frente entramos nos Escalos de Cima.
Passámos junto ao cemitério e tomámos o rumo à Lousa, onde voltámos a parar, num café local, para tomar a minha medicação.
Íriamos agora abandonar as zonas habitacionais e embrenharmo-nos no campo em busca de aventura e divertimento.
Passámos pelas Terras da Navancha e descemos aos Muros onde pretendia mostrar ao Vasco a bonita barragem do Vale de Ronções.
Depois da usual fotografia, lá convencemos umas quantas vacas a cerder-nos a passagem, pois queríamos ir para a Quinta das Mandanhas.
Bonito local, com btt feito pelos trilhos do gado vacum, onde deambulámos, passando pelas Bicas em direção às casas do Berrão.
Daqui, descemos à Ribeira de Alpreade e depois de passarmos por uma das barragens da Quinta da Várzea, chegámos ao monumental arraial, outrora cheio de vida e agora dormitório do gado.
Cruzámos a N.233 e seguimos para a Nave Carvalho e subimos à Nesvelha, para descermos seguidamente a S. Simão.
Por ali pedalámos nuns trilhos bem catitas e pelos Lagares, subimos à Tapada dos Gralhais e Penedos de Ferro.
Com a Aldeia da Mata à vista, virámos-lhe as costas e rumámos de novo aos Escalos de Baixo, com passagem pelo Vale da Silveira.
Aqui, entrámos no Café o Lanche, onde saciámos a sede com uma bebida, ou melhor, duas bebidas frescas e eu aproveitei para comer algo mais sólido, pois o calor já apertava e eu não gosto lá muito do homem da marreta e muito menos que me apanhe distraído, por falta de hidratação, ou alimentação.
Saímos da aldeia para a zona da Balorca e pela Fonte Santa, Capa Rota e Garalheira, chegámos à cidade, após 76 kms de bons momentos de Btt, umas quantas horas de divertimento e aventura, numa bela manhã para pedalar e desfrutar deste nosso bonito desporto.
Ao Vasco Soares, um sentido agradecimento pela excelente companhia e fica prometido novas aventuras.
 Quer sejam com a "anorética", quer com a mais "volumosa", mas, como te deves ter apercebido, sem "espinhas" nem "especiarias". Simplesmente pedalar e desfrutar a aventura . . . seja ela pequena, grande, ou assim assim!!!

Fiquem bem.
Vemo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Rota do Bucho/2016"

Pelo segundo ano consecutivo, resolvi editar a Rota do Bucho, com um passeio pelos trilhos de Malpica do Tejo, uma bonita aldeia onde tenho raízes, que termina à mesa com um belo bucho de ossos à boa moda malpiqueira. Convidei um "magote" de amigos, dos quais dezasseis disseram presente. O ponto de reunião, foi desta vez na Pastelaria Cantinho dos Sabores, na Rotunda da Racha, onde tomamos o cafézinho matinal. Pelas 08h20 partimos em pelotão auto rumo a Malpica do Tejo, onde o Rui e a Sandra Tapadas já nos aguardavam. A previsão era de vento forte e alguns aguaceiros e desta vez o S. Pedro não nos "despontou", mandou mesmo umas belas rajadas de vento e umas belas bátegas de água, que nos atingiram por três vezes, um pouco no início desta pequena aventura, sensivelmente a meio, quando estávamos à vista de um local de abrigo, a aldeia de Lentiscais e no final, em jeito de banho. Pelas 09h00, como planeado, abandonávamos a aldeia rumo ao Monte do Couto do Alberto, en…

"Hoje fomos à romaria"

A manhã acordou hoje límpida e solarenga, num bom incentivo para um bom par de pedaladas asfálticas. Quando saí da garagem já o Álvaro e o Leandro me esperavam. Juntos fomos até à Rotunda das Violetas, ao encontro do Luís Lourenço e do Nuno Eusébio. Pouco depois chegou o Jorge Palma. Para não perder a prática tive ainda que mudar a câmara de ar da minha roda traseira que vinha com um pequeno furo, originado por uma limalha. Já com a "ézinha" pronta a rodar, fizemo-nos à estrada, abandonando a cidade pela Milhã, rumo ao Juncal do Campo pela estradinha panorâmica da Quinta de Valverde. Cruzamos a aldeia e entroncamos na N.12, onde fletimos à direita, rumo ao Padrão, uma pequena aldeia que este fim de semana se encontra engalanada para a festa da Nossa Senhora da Saúde. Entramos na aldeia e fomos tomar o cafezinho matinal no bar junto ao adro da igreja, gentilmente servido por um senhor, creio que festeiro, que fez questão de oferecer os cafezinhos e que agradecemos. Descemos …

Alvaiade, Perdigão e Vila Velha de Rodão"

Hoje, com um pelotão mais numeroso, fomos tomar o cafézinho matinal à Bolaria Rodense, em Vila Velha de Rodão. Abandonamos a cidade pouco depois das 08h30 e rumamos ao Perdigão, com passagem por Sarnadas de Rodão e Alvaiade. Seguimos depois pela estradinha panorâmica que liga o Perdigão a Vila Velha de Rodão, usufruindo da bonitas paisagens sobre a Serra das Talhadas e Vilas Ruivas. Depois da pequena tertúlia na Bolaria Rodense e já com os níveis repostos, rumamos à cidade, com passagem pelo Coxerro e Sarnadas. Aqui voltamos a encontrar o Joaquim Cabarrão e o Salvado, que deram uma volta mais pequena e juntos seguimos até à entrada da cidade, onde nos voltamos a separar, pois o restante grupo foi pela variante à Carapalha. Numa manhã já bem primaveril, alinharam para esta bonita volta, além de mim, o Jorge Palma, Tó Pinto, Fernando "Caraíbas", Sr. Silva, António Leandro e o João Salavessa.  Foram 75 kms, repletos de divertidas pedaladas, na companhia deste animado grupo de …