Avançar para o conteúdo principal

"Nossa Senhora das Neves"

Após alguns dias de ingestão calórica em ritmo acelerado, o S. Pedro lá condescendeu um pouco, permitindo que a manhã de hoje se ajeitasse ligeiramente, para a prática desta nossa lúdica modalidade.
Depois de lançado o repto a alguns companheiros, para uma voltinha asfáltica, para "desinstalar gorduras", dois companheiros do pedal aderiram a este esforçozinho pedalante. . . o Vasco Soares e o Nuno Eusébio.
Juntámo-nos pelas 09h00 na Rotunda da Racha e acertámos ir até Malpica do Tejo beber o cafézinho matinal, com visita ao singelo Santuário de Nossa Senhora das Neves, de tão gratas recordações de infância.
Fomos até ao Rio Ponsul e ali parámos, para dar uma mirada na bonita ponte medieval e turvas águas do rio, fruto das chuvadas que nos têm assolado nestes últimos dias.
Em ritmo descontraído e quase sempre conversando, lá fomos pedalando, agora em direção a Monforte da Beira, com intenção de entrar no velho ramal, há uns anos asfaltado, e que liga esta aldeia a Malpica do Tejo, o nosso destino de hoje.
Já pedalando naquela panorâmica estradinha, é sempre agradável regalar a vista pela extensa panorâmica, que se vislumbra até à terra de nuestros hermanos, na sua maioria zonas de montado. 
Já no alto e à vista de Malpica, avistámos sobre a nossa esquerda, o isolado Santuário de Nossa Senhora das Neves, descendo ao local, para uma breve visita e registar o momento, com uma foto de grupo.
Rumámos seguidamente até à aldeia, e parámos no Café Sacul, junto à entrada norte, para a matinal dose de cafeína e dois dedos de conversa.
A manhã que começara ensolarada e de temperatura amena, mostrava agora uma outra cara, em tons mais cinzentos e ameaçadores, com a temperatura a baixar substancialmente.
Valeu-nos a subida dos Enfestos e o Portillo del Gitano" para aquecer um pouquinho o "caparro", que apesar de supostamente protegido pela "gordura vegetal, ou não", das filhoses, rabanadas e outras iguarias natalícias, teimava em não conseguir uma temperatura que nos mantivesse confortáveis.
Entrámos na cidade ainda cedo, um pouco antes dos ponteiros do relógio atingirem as 12h00, e com 56 kms feitos em modo "idling".
O Vasco continuou, pois tinha compromissos. Eu e o Nuno Eusébio, fizemos uma pequena paragem na Pastelaria "A Ministra", na Carapalha, para bebericar algo e conversar um pouco.
Estávamos nós entretidos à mesa do café a lavar uma "roupita suja", quando fomos surpreendidos pela chegada do Martin, um velho amigo que  não via há já algum tempo.
Bom, lá ampliámos o tempo, para conversarmos mais um pouco, passando então a "bola" ao Martim, um bom conversador, que nos pôs ao corrente das suas últimas aventuras e alguns dos seus objetivos a médio prazo.
Chegou a hora de atestar o estômago e, após as despedidas, lá fui em busca do banhinho retemperador e ingestão de mais um punhado de calorias.
Obrigado S. Pedro por esta pequena trégua, e já agora, faz lá favor . . . vai lá alternado os diazitos de chuva con uns mais sequinhos e solarengos, p'rá malta dar uns pedalanços . . . sempre ajuda a esquecer um pouco a crise!!!
Cria também uma páginazita no "face" e garanto-te que a malta toda mete uns "likes"!

Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC 

Comentários

Silvério disse…
Uma volta interessante! Talvez uma uma pequena "manutenção e lubrificação" dos canais de comunicação permita a participação numa próxima oportunidade.
Hoje, com saída uma hora mais cedo, e já no regresso, fizemos um "abastecimento" em S. Miguel de Acha, no café da D. Maria que, após os cumprimentos, questionou/comentou, "e o Sr. António? Já não não anda de bicicleta? Já não o vejo aqui há tanto tempo"! A resposta claro que foi, "ainda e muito, mas talvez por outros caminhos que não o têm trazido por estas bandas".
Nas despedidas a senhora fez questão de enviar as Boas Festas para o mesmo! Aqui ficam!
Abraço e Ano Novo cheio de muitas e boas pedaladas!
Silvério

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Passeio de mota pelo Geopark Las Villuercas e Guadalupe"

"Feliz do homem que possui uma moto, ele pode viajar, ver paisagens e entender-se a si próprio." (Eric Viking) Hoje foi dia de dar liberdade à mota. Na companhia dum casal amigo, o José Paulo e a Carla, fomos passear de mota pelas Dehezas Extremeñas, Geopark de las Villuercas e uma pequena visita a Guadalupe, um dos mais bonitos "pueblos" de Espanha. marcamos encontro na Pastelaria "A Ministra", numa das rotundas do Bairro da Carapalha e pouco depois das 08h30, já com a matinal dose de cafeína ingerida, fizemo-nos à estrada. Rumamos a Segura, onde entramos na "tierra de nuestros hermanos" seguindo depois até á Ponte Romana de Alcântara, onde efetuamos uma pequena paragem para apreciar aquela fantástica obra de engenharia romana que maravilhou o mundo antigo. Com uma história que se perde no tempo, esta ponte carrega peripécias e curiosidades. Não entramos na povoação e por uma estradinha "vecinal" seguimos para Mata de Alcântara e Gar…

"Volta vadia a ver o mar"

"A felicidade é um fim de tarde olhando o mar" (Marina Nader)
 . . .e foi esse o objetivo deste meu passeio de bicicleta, que gosto de chamar de "volta vadia". Ir ver o mar na Figueira da Foz.
Delineei o percurso, circular como sempre, juntei um grupo de amigos, também eles fãs deste tipo de passeios velocipédicos e fizémo-nos à estrada.
Saímos de Castelo Branco pelas 06h00 e fomos tomar o primeiro cafezinho da manhã à Pastelaria "Estrela Doce", na Sertã, onde o meu irmão Luís nos esperava.
Depois da dose cafeínica e do pastelinho de nata, seguimos para Condeixa a Nova, o local de partida e chegada desta nossa pequena aventura, estacionando as viaturas no parque auto do Lidl.
Cerca das 08h30, já pedalávamos em direção a Ega, a primeira povoação que passaríamos rumo à Figueira da Foz.
O dia estava ótimo para pedalar e o pouco vento que se fazia sentir era nosso aliado.
Sempre em ritmo animado e em alegre cavaqueira, como é habito, quando algumas "per…