Avançar para o conteúdo principal

"O Último do Ano by Pinto Infante"

Se a memória não me falha, foi hoje o 7º. passeio de fim de ano, ou o "último do ano" organizado pelo amigo Pinto Infante.
Sempre rodeado de um bom punhado de amigos que aqui comparecem para desfrutar, divertir e confraternizar, sendo que, quase se pode dizer, o primeiro passeio para a queima das calorias adquiridas excecionalmente nesta altura de festas.
Como sempre, a reunião é na Lardosa, e este ano junto às Piscinas.
Depois do rápido "briefing" da praxe fomos para os trilhos, pedalar e conviver, sempre em amena cavaqueira.
Derivado às últimas chuvadas, os caudais das ribeiras subiram um pouco e alguns trilhos, mais pareciam regatos, ou ribeiros, pois a água quase nunca faltou durante todo o percurso.
Saímos da Lardosa pelas Espadanas, já com o ponteiro horário a passar das 09h.
A malta ia divertida, animada e as brincadeiras e peripécias, foram acontecendo ao longo do percurso.
Passámos o Vale Feito e Carapeteiro e pela cumeada do Monte das Casinhas, descemos à foz da Ribeira do Vale do Freixo.
Surpreendida com o caudal e como não queria molhar o pézinho, a malta lá andou numa roda viva à procura dum outro local para ultrapassar aquele pequeno contratempo, o que aconteceu um pouco mais acima, com algumas peripécias engraçadas.
Subimos à Tapada da Bica e um pouco mais acima, cruzámos a N18.7, seguindo em direção aos Escalos de Cima.
Daqui fomos para os Escalos de Baixo, onde junto ao Chafariz nos aguardava um belo abastecimento, com o enchido já habitual neste evento e as febras grelhadas, acompanhadas de sumos, água e o belo tinto ou branco.
Foi comer até encher, pois o petisco estava uma delícia. Nem apetecia sair dali!
abandonámos o local com o rumo à Balorca e continuámos pelo Monte São Luís para o Alto da Cancelinha, onde cruzámos a N233 para Alcains.
Deixamos a vila pela Fonte do Sapo, passámos o Casal da Fonte da Chã, Folha da Lardosa e depois de contornar a Seixeira, voltámos à Lardosa.
Foram 46 kms bem ajustados e ao alcance de qualquer praticante, sempre com uma ou outra pequena surpresa, saída do baú do Pinto Infante.
Seguiu-se o banhinho nos balneários da piscina e já limpinhos e penteados, fomos até à Casa do Povo para o merecido almoço.
Umas entradas de pasteis de bacalhau e de camarão, acondicionados com uma cervejinha, foram a rampa de lançamento para um apetitoso almoço, onde não faltou a já tradicional sopa de entulho.
Seguiram-se uns belos momentos de convívio, que conjugados com o belo dia de hoje, proporcionaram mais um fantástico passeio de final de ano, entre amigos, com o cunho do Pinto Infante, o mentor deste belo momento desportivo/gastronómico.

Para o próximo ano, certamente estarei presente, como tem sido até aqui.

Fiquem bem.
Vêmo-nos trilhos, ou fora deles.
AC

Comentários

Anónimo disse…
é verdade Cabaço.
são sete os anos que começámos este simples passeio de confraternização, em que tu e mais alguns são pioneiros e nunca cá faltaram.
mais uma vez de registo a tua presença, sendo que 2014 a lista se mantêm ou quiçá alonga-la.
aproveito para te desejar a ti e tua família, aquele abraço.
Pinto Infante
Silvério disse…
Boa tarde Don António,
Uma reportagem, como não podia deixar de ser, a fazer jus ao Grande Evento!
Mesmo tendo só participado a "part-time", foi de facto mais um Grande Evento, não fugindo ao que já nos habituou o seu mentor, e que proporcionou momentos de são convívio e de elevado prazer, do principio ao fim!
Para mim teve um significado muito especial, pois permitiu-me rever e conviver com Amigos, após quase meio ano(já?!?!?!) de ausência!
Parabéns ao Pinto Infante pela sua persistência e determinação, bem como a todos os participantes, pelo contributo para manter vivo e no modo "saudável" este desporto/hobby, e também a região!
Até à próxima
Abraço
Silvério
P.S. Excelente 2014 com muitas e boas pedaladas!

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Passeio de Mota à Serra da Lousã"

"Penso noventa e nove vezes e nada descubro; deixo de pensar, mergulho em profundo silêncio - e eis que a verdade se me revela."
(Albert Einstein)
Dia apetecível para andar de mota, com algum vento trapalhão durante a manhã, mas que em nada beliscou este esplêndido dia de passeio co amigos. Com concentração marcada para as 08h30 na Padaria do Montalvão, apareceram o José Correia, Rafa Riscado, Carlos Marques e Paulo Santos. Depois do cafezinho tomado acompanhado de dois dedos de conversa, fizemo-nos à estrada, rumo a Pampilhosa da Serra, onde estava programada a primeira paragem. Estacionamos as motas no estacionamento do Pavilhão Municipal e demos um pequeno giro pelo Jardim da Praça do Regionalismo e Praia Fluvial, indo depois comer algo à pastelaria padaria no beco defronte do jardim Abandonamos aquela bonita vila, não sem antes efetuarmos uma pequena paragem no Miradouro do Calvário, com uma ampla visão sobre aquela vila tipicamente serra, cruzada pelo Rio Unhais. Voltamo…

"Trilho das Bufareiras e Penedo Furado"

"Às vezes ouço passar o vento; e só de o ouvir passar, vale a pena ter nascido"
(Fernando Pessoa)
Numa espécie de homenagem ao primeiro dia de primavera, que se apresentou como tal, solarengo e luminoso, fui mais a minha "Maria" fazer um pequeno passeio pedestre, ali para os lados de Vila de Rei. Saímos de casa já com os ponteiros do relógio a aproximarem-se das 09h00 e fomos até à Padaria do Montalvão, onde tomei a matinal dose de cafeína. Seguimos depois para a Praia Fluvial do Penedo Furado, para caminharmos um pouco pelo Trilho das Bufareiras e percorrer os recém inaugurados passadiços do Penedo Furado. Já a manhã ia a meio quando iniciamos a nossa caminhada, que teve inicio na Praia Fluvial, seguindo durante umas centenas de metros a Ribeira de Codes, pelos novos passadiços, até ao pequeno ribeiro da zona das cascatas. São 532 metros lineares, que trazem ainda mais beleza ao local e facilitam o acesso às cascatas. Terminada a passagem pelos passadiços, entramos…