Avançar para o conteúdo principal

"O Último do Ano by Pinto Infante"

Se a memória não me falha, foi hoje o 7º. passeio de fim de ano, ou o "último do ano" organizado pelo amigo Pinto Infante.
Sempre rodeado de um bom punhado de amigos que aqui comparecem para desfrutar, divertir e confraternizar, sendo que, quase se pode dizer, o primeiro passeio para a queima das calorias adquiridas excecionalmente nesta altura de festas.
Como sempre, a reunião é na Lardosa, e este ano junto às Piscinas.
Depois do rápido "briefing" da praxe fomos para os trilhos, pedalar e conviver, sempre em amena cavaqueira.
Derivado às últimas chuvadas, os caudais das ribeiras subiram um pouco e alguns trilhos, mais pareciam regatos, ou ribeiros, pois a água quase nunca faltou durante todo o percurso.
Saímos da Lardosa pelas Espadanas, já com o ponteiro horário a passar das 09h.
A malta ia divertida, animada e as brincadeiras e peripécias, foram acontecendo ao longo do percurso.
Passámos o Vale Feito e Carapeteiro e pela cumeada do Monte das Casinhas, descemos à foz da Ribeira do Vale do Freixo.
Surpreendida com o caudal e como não queria molhar o pézinho, a malta lá andou numa roda viva à procura dum outro local para ultrapassar aquele pequeno contratempo, o que aconteceu um pouco mais acima, com algumas peripécias engraçadas.
Subimos à Tapada da Bica e um pouco mais acima, cruzámos a N18.7, seguindo em direção aos Escalos de Cima.
Daqui fomos para os Escalos de Baixo, onde junto ao Chafariz nos aguardava um belo abastecimento, com o enchido já habitual neste evento e as febras grelhadas, acompanhadas de sumos, água e o belo tinto ou branco.
Foi comer até encher, pois o petisco estava uma delícia. Nem apetecia sair dali!
abandonámos o local com o rumo à Balorca e continuámos pelo Monte São Luís para o Alto da Cancelinha, onde cruzámos a N233 para Alcains.
Deixamos a vila pela Fonte do Sapo, passámos o Casal da Fonte da Chã, Folha da Lardosa e depois de contornar a Seixeira, voltámos à Lardosa.
Foram 46 kms bem ajustados e ao alcance de qualquer praticante, sempre com uma ou outra pequena surpresa, saída do baú do Pinto Infante.
Seguiu-se o banhinho nos balneários da piscina e já limpinhos e penteados, fomos até à Casa do Povo para o merecido almoço.
Umas entradas de pasteis de bacalhau e de camarão, acondicionados com uma cervejinha, foram a rampa de lançamento para um apetitoso almoço, onde não faltou a já tradicional sopa de entulho.
Seguiram-se uns belos momentos de convívio, que conjugados com o belo dia de hoje, proporcionaram mais um fantástico passeio de final de ano, entre amigos, com o cunho do Pinto Infante, o mentor deste belo momento desportivo/gastronómico.

Para o próximo ano, certamente estarei presente, como tem sido até aqui.

Fiquem bem.
Vêmo-nos trilhos, ou fora deles.
AC

Comentários

Anónimo disse…
é verdade Cabaço.
são sete os anos que começámos este simples passeio de confraternização, em que tu e mais alguns são pioneiros e nunca cá faltaram.
mais uma vez de registo a tua presença, sendo que 2014 a lista se mantêm ou quiçá alonga-la.
aproveito para te desejar a ti e tua família, aquele abraço.
Pinto Infante
Silvério disse…
Boa tarde Don António,
Uma reportagem, como não podia deixar de ser, a fazer jus ao Grande Evento!
Mesmo tendo só participado a "part-time", foi de facto mais um Grande Evento, não fugindo ao que já nos habituou o seu mentor, e que proporcionou momentos de são convívio e de elevado prazer, do principio ao fim!
Para mim teve um significado muito especial, pois permitiu-me rever e conviver com Amigos, após quase meio ano(já?!?!?!) de ausência!
Parabéns ao Pinto Infante pela sua persistência e determinação, bem como a todos os participantes, pelo contributo para manter vivo e no modo "saudável" este desporto/hobby, e também a região!
Até à próxima
Abraço
Silvério
P.S. Excelente 2014 com muitas e boas pedaladas!

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Passeio de mota pelo Geopark Las Villuercas e Guadalupe"

"Feliz do homem que possui uma moto, ele pode viajar, ver paisagens e entender-se a si próprio." (Eric Viking) Hoje foi dia de dar liberdade à mota. Na companhia dum casal amigo, o José Paulo e a Carla, fomos passear de mota pelas Dehezas Extremeñas, Geopark de las Villuercas e uma pequena visita a Guadalupe, um dos mais bonitos "pueblos" de Espanha. marcamos encontro na Pastelaria "A Ministra", numa das rotundas do Bairro da Carapalha e pouco depois das 08h30, já com a matinal dose de cafeína ingerida, fizemo-nos à estrada. Rumamos a Segura, onde entramos na "tierra de nuestros hermanos" seguindo depois até á Ponte Romana de Alcântara, onde efetuamos uma pequena paragem para apreciar aquela fantástica obra de engenharia romana que maravilhou o mundo antigo. Com uma história que se perde no tempo, esta ponte carrega peripécias e curiosidades. Não entramos na povoação e por uma estradinha "vecinal" seguimos para Mata de Alcântara e Gar…

"Volta vadia a ver o mar"

"A felicidade é um fim de tarde olhando o mar" (Marina Nader)
 . . .e foi esse o objetivo deste meu passeio de bicicleta, que gosto de chamar de "volta vadia". Ir ver o mar na Figueira da Foz.
Delineei o percurso, circular como sempre, juntei um grupo de amigos, também eles fãs deste tipo de passeios velocipédicos e fizémo-nos à estrada.
Saímos de Castelo Branco pelas 06h00 e fomos tomar o primeiro cafezinho da manhã à Pastelaria "Estrela Doce", na Sertã, onde o meu irmão Luís nos esperava.
Depois da dose cafeínica e do pastelinho de nata, seguimos para Condeixa a Nova, o local de partida e chegada desta nossa pequena aventura, estacionando as viaturas no parque auto do Lidl.
Cerca das 08h30, já pedalávamos em direção a Ega, a primeira povoação que passaríamos rumo à Figueira da Foz.
O dia estava ótimo para pedalar e o pouco vento que se fazia sentir era nosso aliado.
Sempre em ritmo animado e em alegre cavaqueira, como é habito, quando algumas "per…