Avançar para o conteúdo principal

"Rota da "avózinha""

A convite do Vasco Soares fui até à Pampilhosa da Serra, sua terra natal.
Como tinha que se deslocar à terra nesse dia, resolvemos aproveitar para dar umas pedaladas por alguns dos maravilhosos trilhos pampilhosenses.
Escolhemos o percurso do "V Passeio dos Cremalheiras Empenadas" o que acabou por ser uma ótima opção.
Saímos das cidade já depois das 07h30 e fomos até à Pampilhosa da Serra.
Depois de tomado o pequeno almoço na casa dos pais do Vasco, preparámos as bikes e aí vamos nós em direção aos trilhos, já com o ponteiro das horas bem próximo das 10h00.
Subimos ao Cabeço da Linteira por asfalto e sempre em subida, fomos até à Aldeia de Maria Gomes.
Uma longa subida, que ainda assim, não chegou para um bom aquecimento, derivado ao "friozinho" que ainda se fazia sentir.
Continuámos para as Travessas e contornámos as Bastezas em direção à bonita Aldeia do Trinhão, onde passeámos pelas estreitas ruelas daquela castiça povoação.
Continuámos para a Barroca da Lameira e Horta Cimeira, descendo ao Vilar, um recanto encantador na Albufeira da Barragem do Cabril.
Os trilhos até então, foram belos estradões ladeados por soberbas paisagens, onde as subidas eram algo exigentes e as descidas a solicitar travões afinados.
Depois de repostas as energias com um par de barrinhas energéticas, lá tomámos coragem para iniciarmos a longa e dolorosa subida à Favaca. Valeu-nos ser em asfalto, onde a inclinação variava entre os 15% e os 18%.
Passada esta dificuldade lá fomos pedalando de forma descontraída absorvendo todo aquele recortado montanhoso, pululado de bonitas e brancas aldeias até chegarmos à Portela do Fojo, outra bonita povoação naquela extensa "manta" de pinhal.
Seguiu-se o Cimo da Fonte, Amoreirinha, Cabeço, Amoreira de Cima, Vale da Gata e Indioso, ora subindo, ora descendo, até que chegámos aos Machios, de Baixo e de Cima, já com o pensamento no ponto de partida, pois a dureza do terreno já acusava alguma "mossa".
Mas eu, particularmente, estava desejoso de chegar aos Covões para desfrutar dos magníficos single tracks que seguem pela encosta direita do Rio de Unhais, até á Pampilhosa. Alguns kms de adrenalina e emoção!
E lá chegámos, depois de passarmos o Vale das Pereiras, Aldeia Fundeira e Covões.
O que se seguiu, valeu bem a pena o "empeno". Single tracks "marados", onde a adrenalina quase substituiu o suor e a emoção quase nos faz esquecer o "perigo" de pedalar naqueles esguios trilhos, à beira do abismo, com algumas seções de pedra que se pode apresentar escorregadia e imprevisível.
Foi cá uma "pica" Ufff!!!
Chegados à Pampilhosa, após 55 kms percorridos por belos trilhos e fantásticas paisagens, voltámos a colocar as bikes nos suportes no tejadilho do carro, arrecadámos o restante material e fomos a uma das melhores partes daquele belo dia de aventura . . . o almoço!
Um espetacular cabrito assado, feito pela mãe do Vasco, como já há muito tempo não comia, ou não sei mesmo se alguma vez comi. Que belo momento gastronómico!
Foi a cereja no topo do bolo.
Por ali passámos o resto da tarde, enquanto o Vasco preparava as coisas para regressar, e foi o que fizemos já no final do dia . . . e que dia!
Obrigado Vasco pelo maravilhoso dia de pedaladas e gastronomia.
Quando lá quiseres voltar . . . conta comigo!
 
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC
 
Vídeo em edição.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Passeio de mota pelo Geopark Las Villuercas e Guadalupe"

"Feliz do homem que possui uma moto, ele pode viajar, ver paisagens e entender-se a si próprio." (Eric Viking) Hoje foi dia de dar liberdade à mota. Na companhia dum casal amigo, o José Paulo e a Carla, fomos passear de mota pelas Dehezas Extremeñas, Geopark de las Villuercas e uma pequena visita a Guadalupe, um dos mais bonitos "pueblos" de Espanha. marcamos encontro na Pastelaria "A Ministra", numa das rotundas do Bairro da Carapalha e pouco depois das 08h30, já com a matinal dose de cafeína ingerida, fizemo-nos à estrada. Rumamos a Segura, onde entramos na "tierra de nuestros hermanos" seguindo depois até á Ponte Romana de Alcântara, onde efetuamos uma pequena paragem para apreciar aquela fantástica obra de engenharia romana que maravilhou o mundo antigo. Com uma história que se perde no tempo, esta ponte carrega peripécias e curiosidades. Não entramos na povoação e por uma estradinha "vecinal" seguimos para Mata de Alcântara e Gar…

"Volta vadia a ver o mar"

"A felicidade é um fim de tarde olhando o mar" (Marina Nader)
 . . .e foi esse o objetivo deste meu passeio de bicicleta, que gosto de chamar de "volta vadia". Ir ver o mar na Figueira da Foz.
Delineei o percurso, circular como sempre, juntei um grupo de amigos, também eles fãs deste tipo de passeios velocipédicos e fizémo-nos à estrada.
Saímos de Castelo Branco pelas 06h00 e fomos tomar o primeiro cafezinho da manhã à Pastelaria "Estrela Doce", na Sertã, onde o meu irmão Luís nos esperava.
Depois da dose cafeínica e do pastelinho de nata, seguimos para Condeixa a Nova, o local de partida e chegada desta nossa pequena aventura, estacionando as viaturas no parque auto do Lidl.
Cerca das 08h30, já pedalávamos em direção a Ega, a primeira povoação que passaríamos rumo à Figueira da Foz.
O dia estava ótimo para pedalar e o pouco vento que se fazia sentir era nosso aliado.
Sempre em ritmo animado e em alegre cavaqueira, como é habito, quando algumas "per…