terça-feira, 15 de abril de 2014

"Vilas Ruivas, Fratel"

Depois de uma escapadela com a "Maria" por terras andaluzas, fui hoje dar outra escapadela, desta com a minha "ézinha" , na companhia do António Leandro.
Tinha-me levantado há pouco tempo e estava tomar o pequeno almoço, quando ao assomar à janela, vi passar o Leandro.
Fiz-lhe sinal e perguntei-lhe se queria esperar 10 minutos, que lhe faria companhia. Ele acedeu, e assim acabei por sair a dar uma voltinha de "finória", pois até estava indeciso. Sentia-me um pouco cansado da viagem do dia anterior.
Acabámos por combinar ir tomar o cafezinho matinal e "mamar" um pastelito de nata, à Bolaria Rodense, em Vila Velha de Rodão.
Abandonámos a cidade já depois das 08h00, pela variante da Carapalha, e rumámos aos Cebolais de Cima.
Passámos pelos Cebolais de Baixo e cruzamento das Sarnadas, para descermos a Vila Velha de Rodão, via Coxerro.
Tomámos então o cafezinho e pastel de nata, como combinado e subimos ao cruzamento para o Castelo do Rei Wamba, descendo a Vilas Ruivas.
Com o dia esplendoroso de hoje, o calor já apertava e o único bidon na bicicleta já era escasso para a sudorização perdida. Na próxima volta, tenho que ir mais precavido.
Seguimos para o Fratel pela antiga estrada de ligação entre aquelas duas povoações, bastante curvilínea, quer na parte descendente, quer na ascendente.
No Fratel, entrámos no IP2, passámos pelo Vilar do Boi, Perdigão e Alvaiade, para nas bombas das Sarnadas efetuarmos uma pequena paragem para beber algo fresco, pois bem apetecia.
Até á cidade, foi um instante e pelas 12h30, concluímos os 83 kms deste bonito percurso velocipédico.
 
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC

Sem comentários: