Avançar para o conteúdo principal

Uma visita a Castelo Novo"

Ontem, apesar de ainda um pouco combalido da empenadela na Sertã, fui dar umas pedaladas descontraídas com a minha "ézinha" na companhia do Jorge Palma.
Abandonamos a cidade já depois das 08h00 e rumámos à Povoa de Rio de Moinhos via Caféde.
Paramos no Café Flor do Outeiro para a matinal dose de cafeína, pastelzinho de nata e dois dedos de conversa, bem amena e sem stress.
Tomamos depois o rumo à barragem de Santa Águeda, sempre bela e luzidia até que chegammos á rotunda de entrada na Lardosa.
Depois de umas centenas de metros na N.18, fletimos à esquerda e como nova passagem junto à barragem, agora na estrada que segue para S. Fiel, viramos agora à direita para uma estradinha entre quintarolas que nos levou até à Soalheira.
Desta vez não cruzamos a povoação no sentido habitual, mas sim em direção à rotunda sul, onde cruzamos a A23 pela passagem superior seguindo para o apeadeiro.
Aqui cruzamos a linha férrea e envoltos numa explendorosa paisagem com a Serra da gardunha como pano de fundo, fomos até à Atalaia do Campo.
Aqui encontramos o Pinto Infante numa das suas calmas pedaladas e a quem acompanhámos até à Póvoa da Atalaia, despedindo-nos daquele companheiro já na N.18.
Nós continuamos pela bonita e estreita estradinha panorâmica que sobe a Castelo Novo pelo Escaldado e Borracheiro.
Seguimos a estrada até ao seu término, na Fábrica de Águas do Alardo, depois de uma boa subida, que termina num bonito miradouro, onde se pode admirar a bonita aldeia histórica, parte da Gardunha e uma vasta planície, a perder de vista.
Cruzamos depois toda a aldeia pelas suas ruas que revelam antigos solares, paredes meias com casas populares em pedra, pequenas varandas de madeira e restos de calçada romana. 
Paramos no adro da igreja matriz, com vista privilegiada para a Torre de menagem do antigo castelo, transformada em torre sineira e à passagem pelo pelourinho manuelino, paramos no belo fontanário para abastecer de água. Uma bonita aldeia histórica situada na encosta oriental da serra da Gardunha, a cerca de 650 metros de altitude, que se destaca-se pelo seu harmonioso traçado concêntrico e pelo bom estado da estrutura urbana. Vale bem a pena uma visita, aproveitando um dos seus bem orientados Pr's que dão a conhecer a aldeia e área circundante, com informação priveligiada. A família seguramente que agradece!
Deixamos a aldeia em boa velocidade, aproveitando o sentido descendente até entrarmos de novo na N.18, que seguimos até à rotunda da Lardosa, que contornamos para entrar na aldeia, parando no Café Maurício para tomar uma bebida fresca, pois a primavera está aí, com as suas temperaturas amenas.
A hora do almoço ia-se aproximando e rumamos à cidade com passagem pelos Escalos de Cima.
Uma bela manhã primaveril na companhia do Jorge, com umas pedaladas descontraídas cá pelas bonitas estradinhas do nosso condado e traduzidas em 83 agradáveis kms, bem soleados e já a solicitar calçãozinho e manga curta.
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de mota pelo Geopark Las Villuercas e Guadalupe"

"Feliz do homem que possui uma moto, ele pode viajar, ver paisagens e entender-se a si próprio." (Eric Viking) Hoje foi dia de dar liberdade à mota. Na companhia dum casal amigo, o José Paulo e a Carla, fomos passear de mota pelas Dehezas Extremeñas, Geopark de las Villuercas e uma pequena visita a Guadalupe, um dos mais bonitos "pueblos" de Espanha. marcamos encontro na Pastelaria "A Ministra", numa das rotundas do Bairro da Carapalha e pouco depois das 08h30, já com a matinal dose de cafeína ingerida, fizemo-nos à estrada. Rumamos a Segura, onde entramos na "tierra de nuestros hermanos" seguindo depois até á Ponte Romana de Alcântara, onde efetuamos uma pequena paragem para apreciar aquela fantástica obra de engenharia romana que maravilhou o mundo antigo. Com uma história que se perde no tempo, esta ponte carrega peripécias e curiosidades. Não entramos na povoação e por uma estradinha "vecinal" seguimos para Mata de Alcântara e Gar…

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Passeio de mota pela Beira Alta e Beira Litoral.

"Aqueles que não fazem nada estão sempre dispostos a criticar os que fazem algo" (Oscar Wilde)
Na companhia dos amigos Francisco Mendes e Dª. Zarita, José Paulo e Carla Paulo e Nuno Silva, fomos dar um belo passeio de mota pela Beira Alta e Beira Litoral. Com o ponto de encontro no parque de estacionamento do Hipermercado Continente, lá nos juntamos pelas 06h00 para mais uma aventura mototuristica. Partimos em direção a Valhelhas, onde viramos á direita e serpenteando o bonito Vale da Estrela, fomos até à barragem do Caldeirão, onde paramos para apreciar aquela imponente bacia hidrográfica.
Fomos depois entrar na velhinha N.16 por onde rolamos até Aveiro. É uma estrada pouco movimentada mas com um razoável interesse turístico, onde destaco a passagem que contorna a Serra do Alvendre pelo Vale do Rio Mondego e a passagem entre Paçô e Sernada do Vouga, ladeando o bonito Rio Vouga. Passamos por muitas aldeias, vilas e algumas cidades, onde destaco Celorico da Beira, Mangualde, …