Avançar para o conteúdo principal

"Um passeio à antiga capital da Egitânia"

Hoje fui passear a minha "ézinha" até Idanha a Velha, antiga capital da Egitânia  e testemunha de uma história muito antiga, súmula de prestígio e reveses.
Saí como habitual pelas 08h00 e rumei a S. Miguel D'Acha, com passagem por Escalos de Cima e S. Gens.
A chuva e o alerta amarelo da meteorologia, pareciam não fazer qualquer sentido, pois o céu apesar de algo nublado, na primeira metade da manhã, não me pareciam dar indícios de chuva, e como tal, nem me precavi para tal fato.
O vento, esse sim, soprava com alguma intensidade e foi sempre um forte adversário, em práticamente todo o percurso.
Apenas a partir de Ladoeiro se rendeu e me beneficiou na ascensão aos Escalos de Baixo e chegada à cidade.
Não fiz a minha habitual paragem para cumprimentar a D. maria e beber o cafézinho matinal e segui para Proença a Velha, outra aldeia rica em história.
"Com uma vida que ronda seguramente os mil anos, Proença-a-Velha é uma das mais antigas povoações de Portugal. Temos notícia da sua existência desde os alvores da nacionalidade, quando o rei Afonso Henriques desenvolvia a sua política de recuperação e povoamento indispensáveis à identidade geográfica do seu reino. (...)( Profª Doutora Manuela Mendonça - Edições Colibri )
 Depois de cruzar as irregulares ruas da aldeia, segui para Medelim, outra histórica aldeia beirã, que guarda no seu interior segredos que são fruto de uma história antiga que remonta ao tempo dos romanos. 
 É conhecida como "aldeia dos balcões", em virtude das inúmeras casas de balcão que conserva na sua malha urbana. Terra de bons canteiros, e serralheiros, a eles se deve muita da qualidade dos trabalhos em pedra e ferro que encontramos por toda a aldeia e nos arredores.
Aqui parei no Café da Beira, a seguir às bombas, para a matinal dose de cafeína.
Virei seguidamente à direita e fui até Idanha a Velha, o meu objetivo de hoje.
Visitar a aldeia histórica de Idanha-a-Velha (antiga Egitânia) é conhecer um passado histórico testemunhado pelos seus monumentos que a tornaram num museu ao vivo. Do muito que há para ver e do imenso património existente destaca-se a Sé Catedral e o amplo conjunto epigráfico dos mais importantes relativo ao período de permanência dos romanos em terras lusitanas, povo que deixou o seu legado bem presente, com influência direta na então capital Egitânea.
Depois de uma visita mais demorada, abandonei esta bonita aldeia histórica e segui em direção a Alcafozes, não entrando na povoação, ficará para outra altura e rumei a S Gens, onde virei à esquerda em direção ao Ladoeiro, povoação detentora de alguns vestígios Romanos e que, segundo José Hormigo, até 1505 se chamava Esporão. Foi rebatizada por Ladoeiro devido aos inúmeros charcos e lodeiros que abundavam na região. 
Depois de passar a aldeia, consegui finalmente um pouco do favorecimento do vento que toda a manhã se fez sentir e a subida da Monheca, hoje até pareceu mais fácil.
Depois de cruzar os Escalos de Baixo, a última aldeia do meu passeio asfáltico de hoje, foi um instantinho enquanto cheguei à cidade.
Eram 12h10, o meu aparelhómetro marcava 101 kms e eu estava satisfeito por não ter ficado na cama e ter ido mais uma vez passear a "ézinha", a minha fiel companheira de pedalada asfáltica.
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de moto pelo Alto Douro Vinhateiro"

"O que é bonito neste mundo, e anima, é ver que na vindima de cada sonho fica a cepa a sonhar outra aventura."
(Miguel Torga)
Com a  excelente companhia dos amigos Luís Miguel, João de Deus e Marta Farias, fomos "desbravar" algumas das encantadoras estradinhas panorâmicas do Alto Douro Vinhateiro.
A saída foi programada para as 07h00 e, já na companhia do Luís Miguel, fomos até Penamacor, onde o João e a Marta já nos aguardavam junto às bombas de combustíveis locais.
Já agrupados rumamos ao norte cruzando Meimoa, Vale da Srª da Povoa, Terreiro das Bruxas, Santo Estevão e Sabugal.
A partir desta vila e com a bonita visão do seu famoso castelo das cinco quinas, entramos em terras de Ribacoa, onde o frescura matinal nos atormentou um pouco e nos fez reconhecer que o verão já lá vai e as temperaturas vão já sofrendo metamorfoses, sobretudo em algumas zonas e, esta é uma delas.
Logo após abandonarmos o Sabugal, viramos à direita para as Quintas de S. Bartolomeu e por Rap…

"Passeio de mota pelo Geopark Las Villuercas e Guadalupe"

"Feliz do homem que possui uma moto, ele pode viajar, ver paisagens e entender-se a si próprio." (Eric Viking) Hoje foi dia de dar liberdade à mota. Na companhia dum casal amigo, o José Paulo e a Carla, fomos passear de mota pelas Dehezas Extremeñas, Geopark de las Villuercas e uma pequena visita a Guadalupe, um dos mais bonitos "pueblos" de Espanha. marcamos encontro na Pastelaria "A Ministra", numa das rotundas do Bairro da Carapalha e pouco depois das 08h30, já com a matinal dose de cafeína ingerida, fizemo-nos à estrada. Rumamos a Segura, onde entramos na "tierra de nuestros hermanos" seguindo depois até á Ponte Romana de Alcântara, onde efetuamos uma pequena paragem para apreciar aquela fantástica obra de engenharia romana que maravilhou o mundo antigo. Com uma história que se perde no tempo, esta ponte carrega peripécias e curiosidades. Não entramos na povoação e por uma estradinha "vecinal" seguimos para Mata de Alcântara e Gar…

"Mototurismo por "tierras de nuestros hermanos""

"A imaginação é a primeira fonte da felicidade humana"
(Giacomo Leopardi)
Hoje fui fazer um passeio de mototurismo com a agradável companhia do João e da Marta, que vieram do Fundão aos comandos duma bonita e bem cativante Benelli  TRK502.
O ponto de encontro foi nas bombas da Repsol do Lanço Grande, onde atestamos as máquinas e ingerimos a primeira dose matinal de cafeína.
Cerca das 07h30 fizemo-nos à estrada, por Ladoeiro e Zebreira, entrando em Espanha pela pequena fonteira que cruza o Rio Erges junto a Salvaterra do Extremo.
Depois duma pequena paragem para tirar uma foto ao Castillo de Peñafiel, que se ergue altaneiro no cimo de um monte formado por negra e musgosa penedia de abruptos rochedos inacessíveis.
Entramos em Espanha e, à entrada de Zarza la Mayor, viramos à esquerda ao encontro da Ex-A1, em Moraleja, que seguimos até à cidade de Plasencia.
Pelo panorâmico Vale de Jerte fomos até Valdastillas e subimos ao Piornal, pela Sierra de Tormantos, com uma paragem na C…