Avançar para o conteúdo principal

"De volta aos trilhos"

Pois é . . . após algum tempo mais dedicado à asfáltica, voltei ao Btt!!!
E nada melhor, para tal regresso, que a companhia de amigos, neste caso, o Silvério, Pedro Barroca, João Caetano, Luís Lourenço, João Afonso, Luís Martinho, Luís Moreira e Paulo Neto.
Como à partida houve logo quem avisasse que pretendia estar na cidade pelas 12h, a volta de hoje foi ligeiramente encurtada, com esse objectivo.
Saímos da Pires Marques pelas o8h15 com intenção de dar umas pedaladas num percurso circular, que animasse a malta e o tirasse do marasmo do vai vem à Marateca e ao Ponsul.
Fomos então dar uma passagem por umas quantas aldeias, tanto mais que hoje tinhamos na nossa companhia, o famoso angariador de adegas . . . Mister Silvério, que puxou dos pergaminhos e não deixou os seus créditos por mãos alheias.
À passagem pelo Vale do Romeiro cruzámo-nos com a rapaziada das Docas e logo a seguir com um outro grupo, este de "Velhas Glórias", onde ía também inserido o meu amigo Lalanda, já a alargar horizontes.
Com passagem pela Quinta do Preto, onde os trilhos foram já cobertos pelo alcatrão, seguimos em direcção ao Cabeço da Barreira, onde fomos surpreendidos pelo alto matagal, neste caso "Erval", no trilho que circunda o milharal, onde já quase não nos víamos uns aos outros.
Lá tive que pedir desculpa à rapaziada, pois não gosto de os meter nestas "alhadas".
Subimos então o Cabeço da Barreira e descemos para a Ponte de Ferro, pelo Rouxinol e sem parar, arfámos por ali acima até ao Palvarinho, para a primeira paragem do dia e matinal dose de cafeína.
Dalí seguímos para a Paia Fluvial do Muro, cada vez mais "abandalhada" , continuando, sempre em subida, até aos Pereiros, onde o Silvério fez juz da sua fama e com o seu "choradilho" lá conseguiu abrir a Adega do "Ti Manel", que por acaso tinha lá uma "giribita" de estalo.
Bem, não é preciso contar tudo, mas arrancar dalí a rapaziada, não foi tarefa fácil e depois, bem . . . depois parece que as bikes ganharam asas, quem é que conseguia aguentar o ritmo daqueles "gajos". Valeu que foram só dois martelinhos e deram para pouco mais de umas centenas de metros, graças à subida logo depois da adega, que depressa esgotou toda aquela energia virtual.
Seguidamente, rumámos aos Vilares de Cima, onde o Pedro Martinho teve que nos deixar e regressar por alcatrão, facto já previsto, pois ainda hoje ía para Marrocos, onde trabalha.
Os restantes, continuámos a nossa saga de hoje e, com uma passagem a "raspar" a Nave, embrenhámo-nos no pinhal até aos Calvos, onde toda a malta esfregava já as mãos a pensar na rápida descida para o Rio Ocreza.
E foi a abrir por ali abaixo que chegámos à Foz da Líria e, depois duma breve paragem para apreciar aquele sempre belo local, fomos lentamente ganhando altitude, até ao Canto Redondo, para seguídamente irmos em busca de um dos inúmeros e bonitos single tracks da Azinheira.
Eram 11h30 e já estávamos às portas da cidade, pelo que, resolvemos rumar ao Bar da Associação da Boa Esperança para uns minutos de "recreio", saboreando um bjeca e mordiscando um nos bolinhos com que o Sivério nos prendou hoje, feitos pela sogra.
Com uma rápida passagem pelas Benquerenças, passámos sob a A23 e desta vez, tivémos que contornar pela Danone, derivado à passagem do Rallye e depressa chegámos ao local pretendido.
Quase uma hora de conversa divertida a bebericar um par de bjecas e falando de temas diversos, mantiveram-nos alheados do stress do dia a dia, até que voltámos a montar as bikes, para regressarmos, desta vez às nossas casas.
Foi uma volta agradável, num percurso que apesar de ter algum acumulado, distribuído ao longo dos 56 kms percorridos, era acessível e manteve a malta junta, em mais uma saudável manhã de Btt.

Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
AC

Comentários

Anónimo disse…
Boas! Foi uma manhã muito bem passada na vossa companhia!...é para repetir mais vezes. Queria tb informar que devo ter batido o tempo na subida do ocreza para a taberna seca, tudo devido ao doping do ti manel...e eu até nem queria!!!...hehehehe...abraços
pedro martinho

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Passeio de mota pelo Geopark Las Villuercas e Guadalupe"

"Feliz do homem que possui uma moto, ele pode viajar, ver paisagens e entender-se a si próprio." (Eric Viking) Hoje foi dia de dar liberdade à mota. Na companhia dum casal amigo, o José Paulo e a Carla, fomos passear de mota pelas Dehezas Extremeñas, Geopark de las Villuercas e uma pequena visita a Guadalupe, um dos mais bonitos "pueblos" de Espanha. marcamos encontro na Pastelaria "A Ministra", numa das rotundas do Bairro da Carapalha e pouco depois das 08h30, já com a matinal dose de cafeína ingerida, fizemo-nos à estrada. Rumamos a Segura, onde entramos na "tierra de nuestros hermanos" seguindo depois até á Ponte Romana de Alcântara, onde efetuamos uma pequena paragem para apreciar aquela fantástica obra de engenharia romana que maravilhou o mundo antigo. Com uma história que se perde no tempo, esta ponte carrega peripécias e curiosidades. Não entramos na povoação e por uma estradinha "vecinal" seguimos para Mata de Alcântara e Gar…

"Volta vadia a ver o mar"

"A felicidade é um fim de tarde olhando o mar" (Marina Nader)
 . . .e foi esse o objetivo deste meu passeio de bicicleta, que gosto de chamar de "volta vadia". Ir ver o mar na Figueira da Foz.
Delineei o percurso, circular como sempre, juntei um grupo de amigos, também eles fãs deste tipo de passeios velocipédicos e fizémo-nos à estrada.
Saímos de Castelo Branco pelas 06h00 e fomos tomar o primeiro cafezinho da manhã à Pastelaria "Estrela Doce", na Sertã, onde o meu irmão Luís nos esperava.
Depois da dose cafeínica e do pastelinho de nata, seguimos para Condeixa a Nova, o local de partida e chegada desta nossa pequena aventura, estacionando as viaturas no parque auto do Lidl.
Cerca das 08h30, já pedalávamos em direção a Ega, a primeira povoação que passaríamos rumo à Figueira da Foz.
O dia estava ótimo para pedalar e o pouco vento que se fazia sentir era nosso aliado.
Sempre em ritmo animado e em alegre cavaqueira, como é habito, quando algumas "per…