Avançar para o conteúdo principal

"XVII edição Serra Acima"

Organizada pela FPCUB, decorreu este fim de semana mais uma edição do Serra Acima.
Um evento de cicloturismo que move largas dezenas de praticantes na conquista do cume mais alto de Portugal Continental, a torre na Serra da Estrela.
Fui com o amigo Silvério tentar concluir mais um ano, esta mítica subida, desta vez pela vertente de Manteigas.
Ali encontrei o Leandro, um "habitué" destas lides e o Álvaro, que participou só no segundo dia.
O evento foi dividido por duas etapas, a primeira a ligar Salvador à Vela e a segunda da Vela à Torre.
No Sábado, dia 11, a minha esposa foi levar-nos, a mim e ao Silvério, a Salvador, onde participámos na primeira etapa.
Partimos cerca das 15h30 em direcção à Vela, com passagem por Aranhas, Penamacor, Capinha, Três Povos, Caria, Belmonte e Vela, onde fomos recebidos com um belíssimo jantar, após 70 kms a pedalar.
O Gervásio, cunhado do Silvério foi-nos buscar e trouxe-nos de regresso a Castelo Branco.
Domingo, dia 12, pelas 07h00, lá partimos para a Vela para a segunda etapa e aquela que realmente nos motivou a participar. A que nos levaria ao topo de Portugal.
O Gervásio, o nosso motorista deste ano, grande amigo, foi levar-nos à Vela, onde tomámos o pequeno almoço, também ele fornecido pelo clube da Vela, como já vêm sendo tradição de há três anos a esta parte.
Fomos seguidamente buscar as "biclas", que tinham ficado guardadas na garagem do "Ti João", figura típica da aldeia e também ele pertencente ao staff do grupo local e lá fomos para a grelha de partida.
Pouco depois das 08h30 lá partimos em direcção à Torre, com passagem pelo cruzamento de Belmonte, Valhelhas, Sameiro e Manteigas.
Pelo percurso cruzei-me com bastante malta conhecida. Perto de Valhelhas encontrei o grupo do José Cavaca, que tive o prazer de conhecer pessoalmente e, de dois dedos de conversa, ficou no ar a promessa de um destes dias lhe fazer companhia numa das suas excelentes voltas.
O Silvério acompanhou-me até Manteigas, onde a diferença de andamentos nos separou na subida.
Esperei por ele lá no alto e depois dum breve descanso, descemos à Covilhã, indo ao encontro do Gervásio, após 80 kms de pedaladas.
Acondicionadas as bikes, refrescámos-nos com um par de imperiais bohémia, bem fresquinhas e fomos almoçar com a familia do Gervásio, que gentilmente nos convidou.
Depois duma feijoada divinal, acompanhada duma pinguinha sem rótulo, regressámos à base, Castelo Branco, depois de um fim de semana completamente dedicado ás bicicletas.
Este ano, não tirei fotos do evento e como a minha esposa não me acompanhou este ano, o texto não é ilustrado, como habitualmente.
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos,
ou fora deles.
AC

Comentários

Anónimo disse…
António, desculpa, mas hoje vou corrigir-te (tenho de aproveitar as poucas oportunidades, eheheheh), pois o erro reveste-se de alguma gravidade.
Então cá vai:
O cume mais alto de Portugal não é na Torre, Serra da Estrela (Altitude - 1993 metros), mas sim na Serra do Pico (Altitude - 2351 metros), na ilha do Pico, Açores. Estaria correcto se dissesses Portugal Continental.
Aproveito para te agradecer a "boleia" até Manteigas e todos os momentos agradáveis que passámos, (o que já não é uma incógnita, mas sim um dado, quer sejam "equações de BTT" ou de "ESTRADA").
Um grande abraço e até à próxima.
Silvério
AC disse…
Amigo Silvério.
Obg pela correcção. De facto, este é um erro de palmatória, mas ainda não apanhei o hábito de "vasculhar" a wikipédia.
Grande abraço
AC

Mensagens populares deste blogue

Alvaiade, Perdigão e Vila Velha de Rodão"

Hoje, com um pelotão mais numeroso, fomos tomar o cafézinho matinal à Bolaria Rodense, em Vila Velha de Rodão. Abandonamos a cidade pouco depois das 08h30 e rumamos ao Perdigão, com passagem por Sarnadas de Rodão e Alvaiade. Seguimos depois pela estradinha panorâmica que liga o Perdigão a Vila Velha de Rodão, usufruindo da bonitas paisagens sobre a Serra das Talhadas e Vilas Ruivas. Depois da pequena tertúlia na Bolaria Rodense e já com os níveis repostos, rumamos à cidade, com passagem pelo Coxerro e Sarnadas. Aqui voltamos a encontrar o Joaquim Cabarrão e o Salvado, que deram uma volta mais pequena e juntos seguimos até à entrada da cidade, onde nos voltamos a separar, pois o restante grupo foi pela variante à Carapalha. Numa manhã já bem primaveril, alinharam para esta bonita volta, além de mim, o Jorge Palma, Tó Pinto, Fernando "Caraíbas", Sr. Silva, António Leandro e o João Salavessa.  Foram 75 kms, repletos de divertidas pedaladas, na companhia deste animado grupo de …

"Rota do Bucho/2016"

Pelo segundo ano consecutivo, resolvi editar a Rota do Bucho, com um passeio pelos trilhos de Malpica do Tejo, uma bonita aldeia onde tenho raízes, que termina à mesa com um belo bucho de ossos à boa moda malpiqueira. Convidei um "magote" de amigos, dos quais dezasseis disseram presente. O ponto de reunião, foi desta vez na Pastelaria Cantinho dos Sabores, na Rotunda da Racha, onde tomamos o cafézinho matinal. Pelas 08h20 partimos em pelotão auto rumo a Malpica do Tejo, onde o Rui e a Sandra Tapadas já nos aguardavam. A previsão era de vento forte e alguns aguaceiros e desta vez o S. Pedro não nos "despontou", mandou mesmo umas belas rajadas de vento e umas belas bátegas de água, que nos atingiram por três vezes, um pouco no início desta pequena aventura, sensivelmente a meio, quando estávamos à vista de um local de abrigo, a aldeia de Lentiscais e no final, em jeito de banho. Pelas 09h00, como planeado, abandonávamos a aldeia rumo ao Monte do Couto do Alberto, en…

"Hoje fomos à romaria"

A manhã acordou hoje límpida e solarenga, num bom incentivo para um bom par de pedaladas asfálticas. Quando saí da garagem já o Álvaro e o Leandro me esperavam. Juntos fomos até à Rotunda das Violetas, ao encontro do Luís Lourenço e do Nuno Eusébio. Pouco depois chegou o Jorge Palma. Para não perder a prática tive ainda que mudar a câmara de ar da minha roda traseira que vinha com um pequeno furo, originado por uma limalha. Já com a "ézinha" pronta a rodar, fizemo-nos à estrada, abandonando a cidade pela Milhã, rumo ao Juncal do Campo pela estradinha panorâmica da Quinta de Valverde. Cruzamos a aldeia e entroncamos na N.12, onde fletimos à direita, rumo ao Padrão, uma pequena aldeia que este fim de semana se encontra engalanada para a festa da Nossa Senhora da Saúde. Entramos na aldeia e fomos tomar o cafezinho matinal no bar junto ao adro da igreja, gentilmente servido por um senhor, creio que festeiro, que fez questão de oferecer os cafezinhos e que agradecemos. Descemos …