Avançar para o conteúdo principal

"Da Covilha à Marofa"

Hoje, eu e o Pedro Barroca, resolvemos ir ter com o amigo José Cavaca e o grupo que habitualmente o acompanha nas suas lides velocipédicas.

Hoje, era dia de ir até ao alto da Serra da Marofa, onde se encontra a réplica do Cristo Rei.
Seriam 210 kms se não me tivesse atrasado um pouco, pelo que fui ao encontro da malta à Sra do Carmo.

Estacionei o Carro no recinto do Santuário e preparámos as bikes.
Pouco depois apareceu o amigo José Cavaca mais o Simões, também já conhecido de outras voltas.
Juntaram-se para esta bonita e longa volta, eu, o Pedro Barroca, que fomos de Castelo Branco, o José Cavaca, o Guilhermino, o Palmeirão, o Venâncio, o Lourenço, o Jorge Chorão, o Fernando Caetano e o Simões.

O pessoal foi-se juntando e ao todos fomos 8 companheiros que rumámos à Serra da Marofa.
O Simões e Fernando Caetano, acompanharam-nos até à Guarda, regressando seguidamente à Covilhã.
Seguimos por Orjais, Guarda, Rapoula, Freixedas, Malta, Pinhel e Castelo Rodrigo.
A subida tem cerca de 14 kms, sendo apenas os últimos 4 kms, os que apresentam maior dificuldade, pelos seus 8% de inclinação média.
Foi um passeio muito bonito e com explêndida companhia, noutras paragens.
à subida é lindíssima, com paisagens incriveis e então, lá do alto, é simplesmente espetacular. Uma visão que nunca mais se esquece.
Nos últimos 3 kms, podem-se contemplar as 13 capelas da Estação do Calvário, Via Sacra, em pequens construções e de vários estilos. Lindíssimo!!!

Uma volta a repetir. Quem sabe se de Castelo Branco!!!
Para mim e para o Pedro, Foram 191 kms de puro prazer de pedalar na companhia de novos amigos, que tal como nós, pedalam pelas estradas das Beiras, pelo puro prazer de pedalar, de forma lúdica e praticando cicloturismo, uma palavra que poucos gostam de ser conotados.
Um agradecimento especial ao amigo José Cavaca, por ter partilhado comigo e com o pedro, esta fantástica volta e, fica a promessa, de que esta será a primeira de outras aventuras.

"Surripiei" algumas fotos no blog do amigo José Cavaca,( cavaca.blogs.sapo.pt ), onde podem ver o relato desta magnífica aventura
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos
. . . ou fora deles.
AC

Comentários

Anónimo disse…
1 passeio espectacular com paisagens lindíssimas (Maravilhosa a vista do alto da Marofa) e com excelente companhia, ingredientes que fazem disto de dar desenfreadamente ao pedal 1 habito para toda a vida.
Obrigado aos amigos A.C. e José Cavaca pela oportunidade de fazer parte desta espectacular aventura que estou certo que foi a 1ª de muitas.
Pedro Barroca
Anónimo disse…
Amigo Cabaço, estamos gratos pelo que fizeram para participar numa das nossas voltas, esta com um carísma um pouco diferente e ainda bem, porque a escolha foi mais acertada. Como já referi, gostei muito de um "recado" que transmite no seu blog, ""pedalar pelas estradas, pelo puro prazer de pedalar, de forma lúdica e praticando cicloturismo, uma palavra que poucos gostam de ser conotados"".É que há muita gente que não entende ou não quer entender todo o sentido desta frase.

Grande abraço, e que bem ficaram o amigo Cabaço e Pedro, nesta escolhida participação ao Cristo.
Parece que foi escolhida a dedo.

José Cavaca
Fidalgo disse…
Essas paisagens trazem-me um pouco de nostalgia, não sei se é a dos quarenta!!! Fora de brincadeiras, sou natural do Concelho de Pinhel, duma aldeia chamada Pomares. Passaram ao cruzamento. Como deves calcular, conheço bem a região, mas já não vou à Serra da Marofa, há mais de 20 anos seguramente, daí a nostalgia. Esta vida é passada tanto a correr, que só quando vemos reportagens como esta é que nos apercebemos do tempo que passou. Mas tenho que arranjar algum tempo para rever estes belos lugares. Um abraço.
Silvério disse…
Embora "desafiado" pelo António, para o viver "alive", desta vez não deu, embora durante o dia de sábado, não me tenha saído da mente. Hoje, lá me conformei com sua realização virtual, mas, vale a pena. Verdade, é assim que várias vezes eu vivo estes passeios, consigo sentir-me lá, através da leitura, complementada com as fotos, amávelmente publicadas por estes bloguistas, de forma pura e natural.
Um passeio destes, onde todos os participantes aplicaram e praticaram a politica dos 4P's (Pelo Puro Prazer de Pedalar), exemplarmente, e, onde sobressai o verdadeiro espirito do CICLOTURISMO, é sem duvida um incentivo para todos os amantes da modalidade e uma lição para quem não entende, ou não quer entender, o seu sentido. Só com este espirito se consegue alcançar o sucesso em todos os passeios, mesmo com objectivos arrojados como o deste.
Muitos parabéns, por tudo e, no meu caso, por me darem a conhecer mais uns cantinhos com paisagens maravilhosas e monumentos que não fazia a minima ideia da sua existência, como é a réplica do Criso Rei, e que passou neste momento, a objectivo a cumprir muito brevemente.
Aos meus conterrâneos, Covilhanenses, um abraço especial e o desejo de em breve, se o permitirem, partilhar com todos, um destes inesquecíveis passeios.
Um ABRAÇO
Silvério

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Passeio de Mota à Serra da Lousã"

"Penso noventa e nove vezes e nada descubro; deixo de pensar, mergulho em profundo silêncio - e eis que a verdade se me revela."
(Albert Einstein)
Dia apetecível para andar de mota, com algum vento trapalhão durante a manhã, mas que em nada beliscou este esplêndido dia de passeio co amigos. Com concentração marcada para as 08h30 na Padaria do Montalvão, apareceram o José Correia, Rafa Riscado, Carlos Marques e Paulo Santos. Depois do cafezinho tomado acompanhado de dois dedos de conversa, fizemo-nos à estrada, rumo a Pampilhosa da Serra, onde estava programada a primeira paragem. Estacionamos as motas no estacionamento do Pavilhão Municipal e demos um pequeno giro pelo Jardim da Praça do Regionalismo e Praia Fluvial, indo depois comer algo à pastelaria padaria no beco defronte do jardim Abandonamos aquela bonita vila, não sem antes efetuarmos uma pequena paragem no Miradouro do Calvário, com uma ampla visão sobre aquela vila tipicamente serra, cruzada pelo Rio Unhais. Voltamo…

"Trilho das Bufareiras e Penedo Furado"

"Às vezes ouço passar o vento; e só de o ouvir passar, vale a pena ter nascido"
(Fernando Pessoa)
Numa espécie de homenagem ao primeiro dia de primavera, que se apresentou como tal, solarengo e luminoso, fui mais a minha "Maria" fazer um pequeno passeio pedestre, ali para os lados de Vila de Rei. Saímos de casa já com os ponteiros do relógio a aproximarem-se das 09h00 e fomos até à Padaria do Montalvão, onde tomei a matinal dose de cafeína. Seguimos depois para a Praia Fluvial do Penedo Furado, para caminharmos um pouco pelo Trilho das Bufareiras e percorrer os recém inaugurados passadiços do Penedo Furado. Já a manhã ia a meio quando iniciamos a nossa caminhada, que teve inicio na Praia Fluvial, seguindo durante umas centenas de metros a Ribeira de Codes, pelos novos passadiços, até ao pequeno ribeiro da zona das cascatas. São 532 metros lineares, que trazem ainda mais beleza ao local e facilitam o acesso às cascatas. Terminada a passagem pelos passadiços, entramos…