Avançar para o conteúdo principal

"Da Covilha à Marofa"

Hoje, eu e o Pedro Barroca, resolvemos ir ter com o amigo José Cavaca e o grupo que habitualmente o acompanha nas suas lides velocipédicas.

Hoje, era dia de ir até ao alto da Serra da Marofa, onde se encontra a réplica do Cristo Rei.
Seriam 210 kms se não me tivesse atrasado um pouco, pelo que fui ao encontro da malta à Sra do Carmo.

Estacionei o Carro no recinto do Santuário e preparámos as bikes.
Pouco depois apareceu o amigo José Cavaca mais o Simões, também já conhecido de outras voltas.
Juntaram-se para esta bonita e longa volta, eu, o Pedro Barroca, que fomos de Castelo Branco, o José Cavaca, o Guilhermino, o Palmeirão, o Venâncio, o Lourenço, o Jorge Chorão, o Fernando Caetano e o Simões.

O pessoal foi-se juntando e ao todos fomos 8 companheiros que rumámos à Serra da Marofa.
O Simões e Fernando Caetano, acompanharam-nos até à Guarda, regressando seguidamente à Covilhã.
Seguimos por Orjais, Guarda, Rapoula, Freixedas, Malta, Pinhel e Castelo Rodrigo.
A subida tem cerca de 14 kms, sendo apenas os últimos 4 kms, os que apresentam maior dificuldade, pelos seus 8% de inclinação média.
Foi um passeio muito bonito e com explêndida companhia, noutras paragens.
à subida é lindíssima, com paisagens incriveis e então, lá do alto, é simplesmente espetacular. Uma visão que nunca mais se esquece.
Nos últimos 3 kms, podem-se contemplar as 13 capelas da Estação do Calvário, Via Sacra, em pequens construções e de vários estilos. Lindíssimo!!!

Uma volta a repetir. Quem sabe se de Castelo Branco!!!
Para mim e para o Pedro, Foram 191 kms de puro prazer de pedalar na companhia de novos amigos, que tal como nós, pedalam pelas estradas das Beiras, pelo puro prazer de pedalar, de forma lúdica e praticando cicloturismo, uma palavra que poucos gostam de ser conotados.
Um agradecimento especial ao amigo José Cavaca, por ter partilhado comigo e com o pedro, esta fantástica volta e, fica a promessa, de que esta será a primeira de outras aventuras.

"Surripiei" algumas fotos no blog do amigo José Cavaca,( cavaca.blogs.sapo.pt ), onde podem ver o relato desta magnífica aventura
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos
. . . ou fora deles.
AC

Comentários

Anónimo disse…
1 passeio espectacular com paisagens lindíssimas (Maravilhosa a vista do alto da Marofa) e com excelente companhia, ingredientes que fazem disto de dar desenfreadamente ao pedal 1 habito para toda a vida.
Obrigado aos amigos A.C. e José Cavaca pela oportunidade de fazer parte desta espectacular aventura que estou certo que foi a 1ª de muitas.
Pedro Barroca
Anónimo disse…
Amigo Cabaço, estamos gratos pelo que fizeram para participar numa das nossas voltas, esta com um carísma um pouco diferente e ainda bem, porque a escolha foi mais acertada. Como já referi, gostei muito de um "recado" que transmite no seu blog, ""pedalar pelas estradas, pelo puro prazer de pedalar, de forma lúdica e praticando cicloturismo, uma palavra que poucos gostam de ser conotados"".É que há muita gente que não entende ou não quer entender todo o sentido desta frase.

Grande abraço, e que bem ficaram o amigo Cabaço e Pedro, nesta escolhida participação ao Cristo.
Parece que foi escolhida a dedo.

José Cavaca
Fidalgo disse…
Essas paisagens trazem-me um pouco de nostalgia, não sei se é a dos quarenta!!! Fora de brincadeiras, sou natural do Concelho de Pinhel, duma aldeia chamada Pomares. Passaram ao cruzamento. Como deves calcular, conheço bem a região, mas já não vou à Serra da Marofa, há mais de 20 anos seguramente, daí a nostalgia. Esta vida é passada tanto a correr, que só quando vemos reportagens como esta é que nos apercebemos do tempo que passou. Mas tenho que arranjar algum tempo para rever estes belos lugares. Um abraço.
Silvério disse…
Embora "desafiado" pelo António, para o viver "alive", desta vez não deu, embora durante o dia de sábado, não me tenha saído da mente. Hoje, lá me conformei com sua realização virtual, mas, vale a pena. Verdade, é assim que várias vezes eu vivo estes passeios, consigo sentir-me lá, através da leitura, complementada com as fotos, amávelmente publicadas por estes bloguistas, de forma pura e natural.
Um passeio destes, onde todos os participantes aplicaram e praticaram a politica dos 4P's (Pelo Puro Prazer de Pedalar), exemplarmente, e, onde sobressai o verdadeiro espirito do CICLOTURISMO, é sem duvida um incentivo para todos os amantes da modalidade e uma lição para quem não entende, ou não quer entender, o seu sentido. Só com este espirito se consegue alcançar o sucesso em todos os passeios, mesmo com objectivos arrojados como o deste.
Muitos parabéns, por tudo e, no meu caso, por me darem a conhecer mais uns cantinhos com paisagens maravilhosas e monumentos que não fazia a minima ideia da sua existência, como é a réplica do Criso Rei, e que passou neste momento, a objectivo a cumprir muito brevemente.
Aos meus conterrâneos, Covilhanenses, um abraço especial e o desejo de em breve, se o permitirem, partilhar com todos, um destes inesquecíveis passeios.
Um ABRAÇO
Silvério

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de moto pelo Alto Douro Vinhateiro"

"O que é bonito neste mundo, e anima, é ver que na vindima de cada sonho fica a cepa a sonhar outra aventura."
(Miguel Torga)
Com a  excelente companhia dos amigos Luís Miguel, João de Deus e Marta Farias, fomos "desbravar" algumas das encantadoras estradinhas panorâmicas do Alto Douro Vinhateiro.
A saída foi programada para as 07h00 e, já na companhia do Luís Miguel, fomos até Penamacor, onde o João e a Marta já nos aguardavam junto às bombas de combustíveis locais.
Já agrupados rumamos ao norte cruzando Meimoa, Vale da Srª da Povoa, Terreiro das Bruxas, Santo Estevão e Sabugal.
A partir desta vila e com a bonita visão do seu famoso castelo das cinco quinas, entramos em terras de Ribacoa, onde o frescura matinal nos atormentou um pouco e nos fez reconhecer que o verão já lá vai e as temperaturas vão já sofrendo metamorfoses, sobretudo em algumas zonas e, esta é uma delas.
Logo após abandonarmos o Sabugal, viramos à direita para as Quintas de S. Bartolomeu e por Rap…

"Uma visita a Belgais"

Ontem foi dia de passeio asfáltico em solitário e decidi ir fazer uma visita a Belgais.
Apesar da ameaça de chuva da meteorologia, quando espreitei pela janela, o dia estava bastante bonito e solarengo. Bora lá pedalar!!!  Vesti o fatinho de licra e fui buscar a minha "ézinha", que está sempre prontinha para ser montada .  . por mim, claro, nada de confusões!!! Eram 9h00 quando me fiz à estrada em direção aos Escalos de Baixo. Pedalada calma, de cabeça levantada e a apreciar tudo o que se passava em meu redor . . . como eu gosto. Quando chego a casa gosto de ter sempre algo para contar sobre o que vi e não apenas os dados contabilizados pelo meu ciclo computador ou aplicação do telemóvel. Nos Escalos de Baixo parei no Café "O Lanche" e ali bebi o cafezinho matinal, enquanto trocava umas palavras com o João, ficando a saber que o antigo Restaurante "O Chafariz" vai por ele ser reaberto, lá para o final deste mês, início de Novembro, mantendo o belo leitão …

"Asfáltica vadia por terras de Ribacoa"

"Se formos felizes por dentro, nada nos aprisionará por fora"
Ontem e mais uma vez com a agradável companhia do Jorge Varetas, fomos dar uma volta de bicicleta por Terras de Ribacoa, com partida e chegada na bonita vila beirã do Sabugal, situada num pequeno planalto da Serra da Malcata. Com o caudal do Rio Coa a seus pés, acolhe-se à sombra do seu esbelto e forte castelo medieval das 5 quinas, como é conhecido. Pelas 06h30 abandonamos a cidade rumo àquela vila beirã e pelas 08h30 dávamos início à nossa pequena aventura velocipédica rumo às Termas do Cró, com passagem pelas Quintas de São Bartolomeu e Rapoula do Coa. Fomos dar uma espreitadela à fachada das termas recentemente reabilitadas, com hotel, SPA e balneário termal. Fomos depois até Cerdeira do Coa, onde paramos após cruzarmos Peroficó. Não consigo resistir a uma paragem nesta localidade para apreciar aquele encantador local do Rio Noémi e a sua espetacular ponte românica de seis arcos. Tive que mostrar aquele lugar …