Avançar para o conteúdo principal

"XIII Raid AC - Trilhos e Aventuras"

À terceira, foi de vez!!!
Este meu raid, teve que ser adiado duas vezes, derivado às más condições meteorológicas.
Neste domingo, onze companheiros aderiram a esta minha iniciativa de ir pedalar por alguns dos mais belos trilhos da Sierra de Gata.
Eu, Silvério, Pedro Barroca, Nuno Eusébio, João Caetano, Luís Lourenço, Luís Cabaço, Luís Bandeiras, Domingos Ladislau e um amigo, e Tiago, tambem com um amigo, cujos nomes se me "varreram" e por isso peço desculpa, foram os protagonistas deste meu "XIII Raid AC - Trilhos e Aventuras.
Juntámo-nos pelas 06h30 e rumámos ao cruzamento da Fatela, a seguir à bonita povoação de Hoyos, deixando as viaturas estacionadas junto ao restaurante ai existente, agora fechado.
Depois dos preparativos da praxe, fizémo-nos aos trilhos.
Grupo animado, apesar do calor que já se fazia sentir e que viria achegar aos 40º.
Poucos kms depois, entrámos em Villasbuenas de Gata, sem paragem e continuámos em direcção à base do monte onde se situa Santibañez el Alto, uma lindissima povoação guardada pelas muralhas do seu altaneiro castelo.
Até ali, os trilhos foram fáceis e na sua maioria estradões, com alguns singles por carreiros de gado, dissimulados sob a erva e que divertiu a rapaziada.
Mas nem tudo correu bem. No sopé do monte de Santibañez, o Luís Bandeiras sentiu-se mal e teve uma grave queda de tensão, chegando mesmo a desmaiar.
Lá reanimou e após ter comido e bebido os "açucares" que a rapaziada trazia, lá voltou à bike.
Contudo e por precaução, já não continuou este passeio, apesar de ser a sua vontade. O meu irmão Luís acompanhou-o por asfalto até à viatura e ambos regressaram a casa.
Soube depois que tudo correra bem e que não passou dum susto, mas tem que efectuar um "check in", para na realidade, apurar o que de facto aconteceu. Se apenas um "golpe de calor" derivado à alta temperatura que na altura se fazia sentir, aliado ao facto de se encontrar mal alimentado, ou outro problema mais grave.
Um pouco entristecidos por este precalço, lá continuámos a nossa aventura, agora com dez elementos.
Mas os trilhos e os soberbos single tracks em montanha, devolveram-nos a alegria de pedalar.
pedalámos seguidamente por belos trilhos até Torre de D. Miguel, onde "abancámos" numa pitoresca esplanada e comemos e bebemos até mais não. Já ninguém dali queria abalar.
As canecas de "caña con limon" e as "colas com cerveza" pareciam um "carreirinho de formigas" até á mesa, para ajudarem a mastigar os "bocadillos de quezo com jamon york". Una "passada" como dizem os "nuestros hermanos".
Houve pelo menos um "menino", que eu conheço bem, que bebeu sete "caldeirinhos" de "caña con limon", sem deixar cair a caneca!!!
A custo, lá voltámos à bikes, para efetuarmos a segunda parte do percurso. E se valeu a pena!!! Foi a parte mais espetacular, com uns singles soberbos em montanha. Pareciamos protagonistas de alguns dos filmes de "free ride" que se vêm pelo You Tube. Espetáculo!!!
Alcançámos a Aldeia de Gata, onde já estivéramos antes, alguns dos companheiros, na segunda aventura desta trilogia.
Toca de novo a "abancar" numa das esplanadas da Plaza Mayor e voltámos de novo à fase das "cañas con limon" .
Dalí, saímos em direcção ao Puerto Castilha, que subimos por um fabuloso single e por um espetacular trilho até às ruínas do Monastério de Nuestra Sra de Monteceli, ou Monastério del Hoyo.
Terminado este bonito trilho entre densa vegetação, maioritáriamente de castanheiros, rumámos ao trilhos de "la cañada", para pedalarmos sempre em ascensão ao Puerto de Perales.
Mas antes, alguns elementos da "Cambada", não resistiram a um belo tanque de água fresca e cristalina e ali mesmo, efetuaram uma sessão acrobática de salto para a água, a fazer inveja a alguns "prós" dos saltos aquáticos.
O Puerto de Perales estava conquistado, faltava agora descer até ao "Embalse do Prado de Las Monjas", uma bonita bacia hidrográfica, em cuja margem esquerda se encontra o bonito trilho de "La Cervignona", até à antiga Fábrica de Luz.
Foi o delírio total.
A primeira fase do trilho, em pedra xistosa e bastante irregular, pôs à prova os nossos dotes técnicos, e a mim, particularmente, fez-me chegar ao Mirador de "La Ventosa" com pingos de suor na testa e com a adrenalina no máximo.
A paisagem, era soberba. O trilho, montanha abaixo, não deixava ninguem indiferente. No rosto da malta, era visivel a alegria de partilhar comigo estes momentos únicos. E isso, paga bem todo o meu trabalho de pesquisa em criar estes percursos, que depois partilho com os amigos.
Mas se este primeiro trilho, foi espetacular, o single da "Senda de la Ventosa" até ao "Embalse do Prado de las Monjas" foi para mim, brutal!!!.
Para terminar os singles do dia, pedalámos no que nos levou à antiga Fábrica de Luz, em "La Cervignona"
O dia estava a chegar ao fim e ainda tinhamos que regressar. Saímos daquele belíssimo local em direção ao cruzamento onde tinhamos as viaturas.
Passámos a povoação de Acebo, fizémos ainda uma incursão nuns trilhos singulares e, por estradões, depressa chegámos ao local de partida.
78 kms de trilhos, alguns espetaculares, paisagens de "encher o olho", pitorescas aldeias cheias de história e um bom punhado de amigos, preencheram este maravilhoso domingo de btt.
Já depois da "trouxa" arrumada, regressámos a Portugal, com paragem no restaurante ao cruzamento para as Águas, onde ainda "mastigámos" uma sandes de vitela e um par de bjecas.
Apesar de um, ou outro contratempo, esta última aventura da trilogia na Sierra de Gata, primou, como todas as outras, por um verdadeiro espírito de amizade e camaradagem, com um grupo de rapaziada que utiliza este salutar desporto para a partilha e enriquecimento pessoal, abolindo a sêde de auto promoção, mantendo um espírito aberto, onde todos têm lugar, sem qualquer vínculo ou obrigação.
Outras aventuras surgirão, certamente e, a "cambada", voltará a fazer das suas diabruras, utilizando a bike, quer seja de btt, ou "asfáltica", para praticar este lúdico desporto por belos recantos e interessantes paisagens.
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos
. . . ou fora deles.
AC
Slideshow.

Comentários

Anónimo disse…
Espectacular, brutal, descomunal, divinal, etc. faltam-me adjectivos para descrever esta aventura infernal onde se juntou novamente a cambada para delirar com as nossas diabruras. Singles, subidas, paisagens, descidas, etc. de cortar a respiração. Uma fartura de tudo o que de melhor desejamos no BTT, que só marcando presença nestas diabruras conseguimos viver. Um imenso bem Haja ao amigo AC que sem interesses, protagonismos ou segundas intenções, tem uma dedicação e um trabalho incalculáveis para partilhar com os amigos algo que faz simplesmente por prazer. Muito obrigado a todos os participantes pela amizade incondicional que todos partilhamos. Um grande abraço a todos e até à próxima.
Pedro Barroca
Ferrão disse…
Pois, mais uma vez dá para ver (pelas fotos e relato) que o António não brinca em serviço. Já vi que foi um dia muito bem passado, mas com grande pena minha não pude completar a trilogia da Gata porque andei ocupado para os lados dos Picos da Europa (e que bonito aquilo é). Tenho a certeza que voltarei lá um dia para fazer o terceiro capítulo e que o António me acompanhará com prazer (e é quase certo que outros se juntarão). Em breve juntar-me-ei de novo a tão boa gente para mais uma aventura onde calhar (o sítio é o que menos importa com tão boa gente). Só lamento o que aconteceu ao Bandeiras, segue um abraço.
Para todos os outros e em especial para o António (este sim um "grande maluco") fica também um grande abraço e um até breve.
Silvério disse…
Afinal TRILOGIAS com sucesso retumbante não existem só no cinema. Nós somos testemunhas e parte da prova bem viva de que assim não é.
Pois é, 3 passeios em terra de “nuestros hermanos”, todos na mesma “sierra”, cada um com as suas especificidades mas os três com nota máxima, como avaliação.
Este, talvez por ser o ultimo da trilogia, quis ser a cereja no topo do bolo. Foi o ÊXTASE, arrebatou-nos totalmente o espírito, proporcionou-nos momentos, digo eu, sobrenaturais.
Nas horas e dias que já passaram não me saem da mente os momentos DIVINAIS e MARAVILHOSOS com que fomos brindados.
Ao GRANDE amigo “Don” António, quero aqui manifestar publicamente, o agradecimento pelo trabalho que insiste em desenvolver e partilhar incondicionalmente com todos os que comungam da politica dos 4P’s. Aproveito a oportunidade para fazer um pedido e uma promessa.
Preserva e mantém esse sentimento altruísta que nós continuaremos a comungar dele, também incondicionalmente, sempre que possível, seja domingo ou não.
Por fim, mas não menos importante, umas palavras para os “Luíses EOX’s”, que por várias vezes foram lembrados.
Fico satisfeito por saber que o Bandeiras, Luís recuperou do “susto”. A decisão foi acertada pois foi no sentido de preservar o bem mais precioso que temos, a saúde. Havendo saúde mais pancada menos pancada tudo se resolve, sem ela é que nada feito. Os trilhos continuam lá e à mínima oportunidade estamos lá outra vez. Estou certo de que há quem queira completar e muitos que querem ser repetentes neste curso, digo, trilogia.
UM GRANDE ABRAÇO
Silvério
Anónimo disse…
Olá,
obrigado é o que me ocorre quando penso neste último Raid a Espanha. Finda que que está a trilogia na Sierra de Gata constato que estas três aventuras mudaram (subiram) os nossos patamares de exigência paisagística e de companheirismo.
Ficam as fotos para relembrar...

http://bttoledo.forumotion.com/t445-xiii-raid-ac-sierra-de-gata-3#3060

Abraço, Tiago.

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Passeio de mota pelo Geopark Las Villuercas e Guadalupe"

"Feliz do homem que possui uma moto, ele pode viajar, ver paisagens e entender-se a si próprio." (Eric Viking) Hoje foi dia de dar liberdade à mota. Na companhia dum casal amigo, o José Paulo e a Carla, fomos passear de mota pelas Dehezas Extremeñas, Geopark de las Villuercas e uma pequena visita a Guadalupe, um dos mais bonitos "pueblos" de Espanha. marcamos encontro na Pastelaria "A Ministra", numa das rotundas do Bairro da Carapalha e pouco depois das 08h30, já com a matinal dose de cafeína ingerida, fizemo-nos à estrada. Rumamos a Segura, onde entramos na "tierra de nuestros hermanos" seguindo depois até á Ponte Romana de Alcântara, onde efetuamos uma pequena paragem para apreciar aquela fantástica obra de engenharia romana que maravilhou o mundo antigo. Com uma história que se perde no tempo, esta ponte carrega peripécias e curiosidades. Não entramos na povoação e por uma estradinha "vecinal" seguimos para Mata de Alcântara e Gar…

"Volta vadia a ver o mar"

"A felicidade é um fim de tarde olhando o mar" (Marina Nader)
 . . .e foi esse o objetivo deste meu passeio de bicicleta, que gosto de chamar de "volta vadia". Ir ver o mar na Figueira da Foz.
Delineei o percurso, circular como sempre, juntei um grupo de amigos, também eles fãs deste tipo de passeios velocipédicos e fizémo-nos à estrada.
Saímos de Castelo Branco pelas 06h00 e fomos tomar o primeiro cafezinho da manhã à Pastelaria "Estrela Doce", na Sertã, onde o meu irmão Luís nos esperava.
Depois da dose cafeínica e do pastelinho de nata, seguimos para Condeixa a Nova, o local de partida e chegada desta nossa pequena aventura, estacionando as viaturas no parque auto do Lidl.
Cerca das 08h30, já pedalávamos em direção a Ega, a primeira povoação que passaríamos rumo à Figueira da Foz.
O dia estava ótimo para pedalar e o pouco vento que se fazia sentir era nosso aliado.
Sempre em ritmo animado e em alegre cavaqueira, como é habito, quando algumas "per…