domingo, 5 de junho de 2011

"Rota da "Marôva"

Pois é mesmo verdade. Hoje fui à "marôva". há quantos anos o não fazia!!!
E não fui só eu. Foram também o João Afonso, o mentor, o Pedro Barroca e o João Caetano.
Bem. Fomos à "marôva", mas não "pró" gamanço. Apenas comer umas cerejitas ali para os lados de Castelo Novo.
Hoje era dia de eleições e a rapaziada queria, e bem, cumprir o seu dever cívico.
Por isso, nada de grandes "puxanços", nem percursos complicados, não fosse o cansaço, puxar-nos mais para a sestinha, que para as urnas.
E lá fomos. Saímos da cidade pouco depois das 08h e rumámos a Castelo Novo, essencialmente por asfalto, pois hoje nem apetecia sujar muito as bikes.
Fomos por trilhos até à estrada que liga Escalos de Cima à Lardosa, a qual seguimos até esta povoação, continuando por Vale da Torre e Atalaia.
Junto à Ribeira, onde começa a subida a Castelo Novo, virámos para a zona dos pomares, perscrutando alguma cerejeira que nos agradasse.
A maioria já está colhida, mas encontrámos uma que nos encheu as medidas. cereja grossa e carnuda. Foi encher o papinho.

O regresso, já por trilhos, fez-se pela Soalheira, onde parámos para beber uma bjecazinha.
O João Afonso que já vinha desde o início com um problema no pneu da roda traseira da sua bike, acabou por chamar a "assistência", na variante de Alcains, por o referido pneu já não receber ar, derivado ao rasgão, que já nem com tacos conseguia segurar o ar e o líquido selante.
Os restantes três, continuámos até à cidade, em bom ritmo, após 80 divertidos e diferentes kms.
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos
. . . ou fora deles.~
AC

1 comentário:

Silvério disse...

Para começar não faço a miníma do que é a "marôva". Após a leitura presumo que seja roubar fruta. Como me ensinaram que roubar para comer não é pecado, "tásse bem". Tenho de admitir que era uma voltinha que me assentava bem, e então com uma cascata daquelas ali à mercê, mas...
Hoje tinha de estar em casa 9h30, mas como ontem tinha ficado em branco, decidi que hoje pouco ou muito tinha de ser. Então o rapazinho levantou-se às 6h00 (tipo Barroca), às 6h30 saíu com a "amante" mais elegante e foi fazer o Casal da Serra a partir do S. Vicente da Beira, depois de aí tomar o abatanado, claro. Cheguei a casa às 9h25, com 73 Kms. A unica parte negativa foi a solidão, embora me tenha cruzado com dezenas de ciclista entre a Soalheira e CB, a quem pelo menos deu para desejar bom dia, embora para mim já fosse quase boa tarde.
Tudo de bom.
Um abraço
Silvério