Avançar para o conteúdo principal

"18ª. Edição Serra Acima - 2º. dia > Castelo Branco - Torre (Serra da Estrela)"

Dando continuidade à 18ª. Edição do Serra Acima, este ano tranformada em Desafio Audace, lá fui cumprir o 2º. dia, com a ligação de Castelo Branco à Torre, num total de 103 kms.
Desta vez tive logo à partida a companhia do Silvério, amigo e companheiro de "cavalgadas", curtas e longas, que apenas fazia esta ligação.
Apresentámo-nos à partida e a horas, como manda a regra.
Pude constatar que a maioria da malta presente, não tinha feito o dia anterior, pelo que previ logo que hoje o andamento do pelotão não me interessava. Ontem tinha sido o meu dia, onde tinha dado "o litro", hoje essa tarefa seria de outros. Eu iria numa boa e fazia questão de acompanhar o meu amigo Silvério até ao alto da Torre.
à partida ainda encontrei o Leandro o António e o Marco, que ainda nos acompanharam durante algum tempo.
Sempre em andamento calmo e descontraído, fomos pedalando e conversando, aproveitando para por em ordem a logística para a nossa aventura da próxima semana, o "Pirinéus Épic Trail", não descurando o cafézinho matinal, parando no Café da Dona Maria em S. Miguel D'Acha, onde estivémos um pouco à conversa.
Durante o percurso, fomos encontrando vários companheiros, em solitário, com quem conversámos e acompanhámos durante vários periodos.
Tornámos a parar, já perto do cruzamento para as Termas da Touca, para prestar ajuda a um companheiro que se via a braços com uma avaria mecânica.
Conseguimos resolver o problema e soube bem aquele "obrigado", dito de forma sentida e o ver aquele compaheiro de novo a pedalar. Quantos já teriam passado por ele sem lhe passarem "cartucho"!!!
Nova paragem, desta vez em Alpedrinha, para a carimbadela de contolo e lá atacámos a subida da Serra da Gardunha.
Cruzámos o Fundão e rolámos até á Covilhã, onde começou a grande subida do dia e o grande motivo deste evento, o Serra Acima/2011.
Sempre juntos, eu e o Silvério, lá fomos galgando aqueles penosos kms, passando por companheiros um pouco mais vagarosos e sendo ultrapassados pelos grandes trepadores, agarrados às suas viaturas de apoio, a subir a 40/50 kms hora e que no final, até davam uma voltinha à rotunda para descongestionarem um pouco os músculos. Talvez os musculos dos braços, porque as pernas trabalharam pouco!!!
Nesta etapa, tive o apoio e companhia da minha filha Ana Rita e da sua amiga Eunice, que nos proporcionaram momentos divertidos, tirando-nos agumas fotos na subida.
O final, é sempre um final e este, é um final diferente e que para mim, por quem os 20 anos já passaram à quase 40, é um final diferente, mostrando-me que a pele envelhece, mas o espírito ainda mantém alguma juventude e grande vontade de viver e de ultrapassar alguns bons desafios.
No final, eu e o Silvério, guardámos as bikes na minha viatura e regressámos à cidade, depois de mais um belo dia de pedaladas, cansados sim, mas sem stress, onde mais uma vez nos apercebemos que a bike é um veículo que nos une e não um veículo que nos separa, que cria "fricções", aqui ou ali. Mas uma grande virtude tem!!! Fortalece as verdadeiras amizades e desmascara aquelas que apenas têm interesses subjetivos, ou de ocasião.
Depois de mais um fim de semana arfante, tenho agora que preparar-me para outra pequena aventura, em que sou protagonista com o Silvério. O Pirinéus Epic Trail!!!
Um percurso de alta montanha, bem no coração dos Altos Pirineus, em que nos perderemos na magia e nas fabulosas paisagens do Monte Perdido, pelo Parque Natural de Sobrarbe, Alta e Baixa Ribagorza, que percorreremos em Btt, durante 4 adrenalínicos dias.
Depois dou por aqui um lamiré do que se passou.

Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos
. . . ou fora deles.
AC

Comentários

Vasco Mota Pereira disse…
Queria apenas deixar os meus mais sinceros parabéns pelo seu espírito jovem e de aventura, que faz inveja a muita gente supostamente nova. Um abraço do Porto e felicidades para as próximas aventuras.

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de moto pelo Alto Douro Vinhateiro"

"O que é bonito neste mundo, e anima, é ver que na vindima de cada sonho fica a cepa a sonhar outra aventura."
(Miguel Torga)
Com a  excelente companhia dos amigos Luís Miguel, João de Deus e Marta Farias, fomos "desbravar" algumas das encantadoras estradinhas panorâmicas do Alto Douro Vinhateiro.
A saída foi programada para as 07h00 e, já na companhia do Luís Miguel, fomos até Penamacor, onde o João e a Marta já nos aguardavam junto às bombas de combustíveis locais.
Já agrupados rumamos ao norte cruzando Meimoa, Vale da Srª da Povoa, Terreiro das Bruxas, Santo Estevão e Sabugal.
A partir desta vila e com a bonita visão do seu famoso castelo das cinco quinas, entramos em terras de Ribacoa, onde o frescura matinal nos atormentou um pouco e nos fez reconhecer que o verão já lá vai e as temperaturas vão já sofrendo metamorfoses, sobretudo em algumas zonas e, esta é uma delas.
Logo após abandonarmos o Sabugal, viramos à direita para as Quintas de S. Bartolomeu e por Rap…

"Uma visita a Belgais"

Ontem foi dia de passeio asfáltico em solitário e decidi ir fazer uma visita a Belgais.
Apesar da ameaça de chuva da meteorologia, quando espreitei pela janela, o dia estava bastante bonito e solarengo. Bora lá pedalar!!!  Vesti o fatinho de licra e fui buscar a minha "ézinha", que está sempre prontinha para ser montada .  . por mim, claro, nada de confusões!!! Eram 9h00 quando me fiz à estrada em direção aos Escalos de Baixo. Pedalada calma, de cabeça levantada e a apreciar tudo o que se passava em meu redor . . . como eu gosto. Quando chego a casa gosto de ter sempre algo para contar sobre o que vi e não apenas os dados contabilizados pelo meu ciclo computador ou aplicação do telemóvel. Nos Escalos de Baixo parei no Café "O Lanche" e ali bebi o cafezinho matinal, enquanto trocava umas palavras com o João, ficando a saber que o antigo Restaurante "O Chafariz" vai por ele ser reaberto, lá para o final deste mês, início de Novembro, mantendo o belo leitão …

"Asfáltica vadia por terras de Ribacoa"

"Se formos felizes por dentro, nada nos aprisionará por fora"
Ontem e mais uma vez com a agradável companhia do Jorge Varetas, fomos dar uma volta de bicicleta por Terras de Ribacoa, com partida e chegada na bonita vila beirã do Sabugal, situada num pequeno planalto da Serra da Malcata. Com o caudal do Rio Coa a seus pés, acolhe-se à sombra do seu esbelto e forte castelo medieval das 5 quinas, como é conhecido. Pelas 06h30 abandonamos a cidade rumo àquela vila beirã e pelas 08h30 dávamos início à nossa pequena aventura velocipédica rumo às Termas do Cró, com passagem pelas Quintas de São Bartolomeu e Rapoula do Coa. Fomos dar uma espreitadela à fachada das termas recentemente reabilitadas, com hotel, SPA e balneário termal. Fomos depois até Cerdeira do Coa, onde paramos após cruzarmos Peroficó. Não consigo resistir a uma paragem nesta localidade para apreciar aquele encantador local do Rio Noémi e a sua espetacular ponte românica de seis arcos. Tive que mostrar aquele lugar …