Avançar para o conteúdo principal

"Pirinés Épic Trail, a Aventura"

"PIRINÉS ÉPIC TRAIL" . Um sonho concretizado!!!
Já há uns anos que passeio pelos Pirinéus, com maior incidência no Sul de França.
Com a bike de estrada, já "conquistei" alguns dos mais famosos "col's" dos Pirinéus.
Em 2009, fiz a solo a Transpirenaica, em seis dias, com saída de Argelès-sur-Mer, no Mediterrâneo e final em S. Jean de Luz, no Atlântico.
Fiquei encantado com aquelas maravilhosas paisagens de alta montanha, com as cores e exuberante flora, prometendo na altura, a mim mesmo, que um dia iria pedalar por vales e montanhas para lá do que na altura era a minha visão.
O Monte Perdido, era um dos meus objetivos!!!
Acabei por o encontrar, através do "Pirinés Épic Trail".
Lancei o desafio à malta, em Novembro do ano passado. O pessoal gosta, mas fica "sentado".
Por outro lado, uma ausência de uma semana, sem o controlo das "Marias", é deveras complicado, para a maioria. eh eh eh!!!
Bincadeira!!! Nem toda a rapaziada tem essa disponibilidade. Mas, lá consegui dar a volta ao "Silvério", sem grande problema, diga-se, pois este companheiro adora aventura e, sempre que pode, não desperdiça uma oportunidade de um desafio!!!
Sem grandes planos, nem logisticas complicadas, contatámos a Aramonbikes, empresa que criou a Pirinés Épic Trail e acordámos fazê-la em 4 etapas, encarregando-se esta de toda a logística.
Dia 19, partimos então para Pont de Suert, numa viagem de cerca de 1000 kms, para darmos início a esta fantástica aventura.
Chegámos pouco depois das 17h, (hora espanhola) efetuámos o check in, no Hotel Mestre, onde ficámos alojados e rumámos à sede da Aramonbikes para o briefing e recolha de material. ( road book, mapa, instruções de resgate, substituição de bike, caso necessário, etc...)
A ansiedade, era já a nossa principal dificuldade, até chegar a hora da partida!!!
1º. Dia = Pont de Suert - Seira - 45 kms - 1268m acumulado +
Saímos de Pont de Suert, capital da Alta Ribagorza, já passava das 09h, após um farto pequeno almoço de bufett.
Descemos por umas "callejuelas mui chulas" até á ponte da Nogueira Ribagorzana e entrámos numa estreita estrada asfaltada, que sobe a Sirés.
Antes da povoação, entrámos num trilho em subida com bastante pedra roliça, até ao abandonado povoado de Gavarret.
A partir daqui, o trilho melhorou um pouco e seguiu uma curva de nível durante algum tempo, até que se tornou numa forte pendente até um pequeno "collado", onde chegámos após uma lindíssima passagem por uma frondosa zona de abetos.
Sempre em subida e com o trilho a piorar bastante, continuámos em subida, agora em direção a Bonansa, onde efetuámos o 2º. controle do dia, pois o primeiro tinha sido feito à saída do hotel.
Bonansa é uma bonita aldeia de montanha com o seu casario muito peculiar e bonito. Pena o bar estar fechado, privando-nos de saborear uma "cerveza" fresquinha!!!
Continuámos a nossa "ruta" em subida por asfalto ao Puerto de Bonansa, entrando seguidamente num trilho que nos levou ao lindíssimo Vale do Rio Isábena. Um verdadeiro espetáculo!!!
Lá mais para a frente, cruzámos o Rio Blanco, pela ponte e tomámos a direcção de Espés, em forte subida, entrando depois no trilho do Gr18, que, sempre a subir e cada vez mais pedregoso e técnico, los levou até ao magnífico "Collado de Selbaplana", a 1560m de altitude, uma zona ampla e relvada, com imagens de sonho sobre vários "monumentos" montanhosos, tal a sua beleza.
Inventámos caminho através da zona relvada, até á entrada dum frondoso bosque de abetos, onde se iniciava um estupendo e adrenalínico single track, com muito perigo à espreita, onde a concentração teria que ir no máximo, pois uma queda naquele local e para o lado errado, levava-nos para as profundezas.
No final do single track e numa zona também bastante relvada e pejada de pequenos bosques, deparámos sobre a nossa esquerda com o impressionante Turbón.
O trilho seguia para La Muria, mudando mais á frente para outro trilho, para para San Martin, onde pedalámos completamente absortos com as vistas sobre a "Sierra de la Chia".
Deixámos este trilho, para tomarmos outro à nossa esquerda, agora em baixada vertiginosa, com vista espetacular sobre o "Congosto de Ventamillo".
Numa viragem a 180 graus, iniciámos uma brutal descida com passagens muito técnicas e com muitos drops, que quase nos faziam "chorar" de alegria e emoção, soltando de quando em vez algum grito, como se fosse de guerra.
Mas tudo acabou, quando chegámos a Seira e fizémos o check in no Hotel Ventamillo, onde ficámos alojados.
Bom acolhimento, boas instalações e uma refeição a gosto, não sem antes nos agarrarmos com "dedos" e dentes a um belíssimo e saboroso "bocadillo", no meu caso de "bacon y queso", excelentemente acompanhado por uma "Cerveza Estrella", que nos ajudou a repor líquidos e sólidos, num instantinho.
No dia seguinte seria a etapa que nos daria entrada, própriamente dito, no coração dos Pirinéus.
A ansiedade, apoderava-se um pouquinho de nós, o que fazia que as horas demorassem um nadinha mais a passar.
Foi um dia espetacular, numa região onde as palavras não conseguem fazer juz à realidade!!!
Próximo Post - 2º. Dia - Seira . Plan.

Fiquem bem.

Vêmo-nos nos trilhos

. . . ou fora deles.
AC
Filme

Comentários

SALES disse…
Parabéns por mais uma conquista já no seu longo palmarés de conquistas em duas rodas. Depois, um muito obrigado pela partilha dessas paisagens magníficas, onde fica na mente de cada um a vontade enorme de tbm poder conquistá-las, mas haja pernas para isso. Também gostava de dar uma palavrinha a esse excelente companheiro e amigo de pedaladas que alinhou nessa belíssima aventura.
Um grande Abraço aos dois.

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Passeio de Mota à Serra da Lousã"

"Penso noventa e nove vezes e nada descubro; deixo de pensar, mergulho em profundo silêncio - e eis que a verdade se me revela."
(Albert Einstein)
Dia apetecível para andar de mota, com algum vento trapalhão durante a manhã, mas que em nada beliscou este esplêndido dia de passeio co amigos. Com concentração marcada para as 08h30 na Padaria do Montalvão, apareceram o José Correia, Rafa Riscado, Carlos Marques e Paulo Santos. Depois do cafezinho tomado acompanhado de dois dedos de conversa, fizemo-nos à estrada, rumo a Pampilhosa da Serra, onde estava programada a primeira paragem. Estacionamos as motas no estacionamento do Pavilhão Municipal e demos um pequeno giro pelo Jardim da Praça do Regionalismo e Praia Fluvial, indo depois comer algo à pastelaria padaria no beco defronte do jardim Abandonamos aquela bonita vila, não sem antes efetuarmos uma pequena paragem no Miradouro do Calvário, com uma ampla visão sobre aquela vila tipicamente serra, cruzada pelo Rio Unhais. Voltamo…

"Trilho das Bufareiras e Penedo Furado"

"Às vezes ouço passar o vento; e só de o ouvir passar, vale a pena ter nascido"
(Fernando Pessoa)
Numa espécie de homenagem ao primeiro dia de primavera, que se apresentou como tal, solarengo e luminoso, fui mais a minha "Maria" fazer um pequeno passeio pedestre, ali para os lados de Vila de Rei. Saímos de casa já com os ponteiros do relógio a aproximarem-se das 09h00 e fomos até à Padaria do Montalvão, onde tomei a matinal dose de cafeína. Seguimos depois para a Praia Fluvial do Penedo Furado, para caminharmos um pouco pelo Trilho das Bufareiras e percorrer os recém inaugurados passadiços do Penedo Furado. Já a manhã ia a meio quando iniciamos a nossa caminhada, que teve inicio na Praia Fluvial, seguindo durante umas centenas de metros a Ribeira de Codes, pelos novos passadiços, até ao pequeno ribeiro da zona das cascatas. São 532 metros lineares, que trazem ainda mais beleza ao local e facilitam o acesso às cascatas. Terminada a passagem pelos passadiços, entramos…