Avançar para o conteúdo principal

"Chuva de verão"

Logo pela manhã, quando assomei à janela, vi um dia com poucas nuvens e sem indícios de chuva. Eram 6h00 da manhã!
Tomei o pequeno almoço calmamente e desci à minha garagem para me preparar para mais um passeio asfáltico.
Quando ia a sair, o Leandro já me esperava e o céu tinha dado uma volta.
As nuvens já pareciam ameaçadoras e as precisões de chuva para todo o território nacional, já me pareciam mais reais.
Cheguei à Rotunda da Racha e o Rui Salgueiro já nos esperava. Entretanto chegaram o Vasco Soares e o Jorge Palma. O Quinteto estava formado.
Combinámos ir até ao Fundão comer um pastel de cereja e tomar o cafezinho matinal.
Logo à passagem pelo Parque de Campismo, umas pinguinhas já faziam prever uma molhadela, mas nada de preocupante.
Passámos Alcains e já depois da rotunda da Lardosa, começou a intensificar-se um pouco, mas ainda se aguentava bem.
Passámos Alpedrinha e subimos a serra já com o fatinho a querer colar a corpo, mas ainda suportável. A estrada, essa é que já se encontrava bastante perigosa na descida ao Fundão, pelo que os cuidados foram redobrados.
Parámos na Pastelaria Arte & Tradição, a nossa preferida, quer pela qualidade dos bolinhos, quer pela simpatia com que somos recebidos.
Comemos o bolinho e a malguinha do café, que nos soube de maravilha e aguentamos um pouco, pois a chuva tinha começado a cair com intensidade.
Ainda tentámos uma saída, mas a chuva não dava tréguas. Já estava na disposição de chamar a "assistência em viagem" para me vir buscar, mas resolvemos entrar de novo na pastelaria e aguardar mais um pouco.
Entretanto o Jorge lembrou-se do chazinho e entrámos numa de prova de chás. Ficámo-nos pelo vermelho e verde. Até soube bem.
A chuva parou, mas meio desconfiados, ainda esperamos mais um pouco, até que nos convencemos que talvez conseguíssemos escapar.
Já não completámos a volta inicialmente programada por Vale de Urso, S. Vicente da Beira e Freixial do Campo e regressámos pelo mesmo caminho, em passo acelerado, ou melhor, em pedal acelerado e já só paramos em Castelo Branco, no café nas traseiras da padaria do Montalvão para uma bjeca fresquinha, que nem soube assim tão bem, pois o dia hoje estava "manhoso"!
Ficámos pelos 91 kms, meia molha, um aceleranço à laia de stravotário, ausência de fotos, por falta de prática a "alta velocidade", uma tertúlia adiada, mas anda assim, uma manhã divertida.
 
 
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC   

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de moto pelo Alto Douro Vinhateiro"

"O que é bonito neste mundo, e anima, é ver que na vindima de cada sonho fica a cepa a sonhar outra aventura."
(Miguel Torga)
Com a  excelente companhia dos amigos Luís Miguel, João de Deus e Marta Farias, fomos "desbravar" algumas das encantadoras estradinhas panorâmicas do Alto Douro Vinhateiro.
A saída foi programada para as 07h00 e, já na companhia do Luís Miguel, fomos até Penamacor, onde o João e a Marta já nos aguardavam junto às bombas de combustíveis locais.
Já agrupados rumamos ao norte cruzando Meimoa, Vale da Srª da Povoa, Terreiro das Bruxas, Santo Estevão e Sabugal.
A partir desta vila e com a bonita visão do seu famoso castelo das cinco quinas, entramos em terras de Ribacoa, onde o frescura matinal nos atormentou um pouco e nos fez reconhecer que o verão já lá vai e as temperaturas vão já sofrendo metamorfoses, sobretudo em algumas zonas e, esta é uma delas.
Logo após abandonarmos o Sabugal, viramos à direita para as Quintas de S. Bartolomeu e por Rap…

"Passeio de mota pelo Geopark Las Villuercas e Guadalupe"

"Feliz do homem que possui uma moto, ele pode viajar, ver paisagens e entender-se a si próprio." (Eric Viking) Hoje foi dia de dar liberdade à mota. Na companhia dum casal amigo, o José Paulo e a Carla, fomos passear de mota pelas Dehezas Extremeñas, Geopark de las Villuercas e uma pequena visita a Guadalupe, um dos mais bonitos "pueblos" de Espanha. marcamos encontro na Pastelaria "A Ministra", numa das rotundas do Bairro da Carapalha e pouco depois das 08h30, já com a matinal dose de cafeína ingerida, fizemo-nos à estrada. Rumamos a Segura, onde entramos na "tierra de nuestros hermanos" seguindo depois até á Ponte Romana de Alcântara, onde efetuamos uma pequena paragem para apreciar aquela fantástica obra de engenharia romana que maravilhou o mundo antigo. Com uma história que se perde no tempo, esta ponte carrega peripécias e curiosidades. Não entramos na povoação e por uma estradinha "vecinal" seguimos para Mata de Alcântara e Gar…

"Mototurismo por "tierras de nuestros hermanos""

"A imaginação é a primeira fonte da felicidade humana"
(Giacomo Leopardi)
Hoje fui fazer um passeio de mototurismo com a agradável companhia do João e da Marta, que vieram do Fundão aos comandos duma bonita e bem cativante Benelli  TRK502.
O ponto de encontro foi nas bombas da Repsol do Lanço Grande, onde atestamos as máquinas e ingerimos a primeira dose matinal de cafeína.
Cerca das 07h30 fizemo-nos à estrada, por Ladoeiro e Zebreira, entrando em Espanha pela pequena fonteira que cruza o Rio Erges junto a Salvaterra do Extremo.
Depois duma pequena paragem para tirar uma foto ao Castillo de Peñafiel, que se ergue altaneiro no cimo de um monte formado por negra e musgosa penedia de abruptos rochedos inacessíveis.
Entramos em Espanha e, à entrada de Zarza la Mayor, viramos à esquerda ao encontro da Ex-A1, em Moraleja, que seguimos até à cidade de Plasencia.
Pelo panorâmico Vale de Jerte fomos até Valdastillas e subimos ao Piornal, pela Sierra de Tormantos, com uma paragem na C…