Avançar para o conteúdo principal

"Passeio de Btt ao Martim Branco"

Hoje de manhã, levantei-me à hora habitual e logo me surgiu uma dúvida, vou passear a "santa" ou a "ézinha"!
Resolvi sair com a "santa" e dar umas pedaladas campestres.
Saí de casa e passei pelas Docas, onde resolvo tomar calmamente o cafezinho matinal no Café Sical, enquanto aguardava a chegada de algum companheiro do pedal.
Já estava a definir a minha voltinha campestre, quando apareceram o Álvaro Lourenço e o Pedro Antunes.
Eles tomaram o cafezinho e esperamos ainda algum tempo pelo Sérgio Marujo, que hoje trocava a mota pela bicicleta.
O Álvaro delineou o passeio de hoje e resolveu ir até à sua terra natal, o Martim Branco. Boa escolha!
É sempre agradável uma visita à bonita aldeia de xisto de Martim Branco, que tem vindo a ser requalificada e está cada vez mais "xistosa" e com algumas mais valias, como o restaurante "Xisto Sentido" e alojamento local "Castrum Sentido", onde segundo consta o cabrito, nas suas várias confecções" é cozinhado com mestria e com um sabor requintado. Um dia destes vou lá experimentar mais a minha "Maria!"
Abandonamos a cidade e pela Sé Velha  descemos a Rua da Mina em direção à Milhã, para entrarmos nos trilhos, lá mais à frente, já na estrada de Caféde.
Passamos a tapada das Figueiras e entramos de novo na estrada de Caféde até cruzarmos o Rio Ocreza, saindo um pouco mais à frente para a Quinta de Valverde.
Depois da passagem pela zona de Santa Catarina, subimos ao Freixial do Campo, cruzando a aldeia e descendo à Ribeira do Vale Sando.
Depois de passarmos o vale, enfrentamos uma dura subida ao VG das Ferrarias, onde o Sérgio partiu a corrente da sua bike, logo no início da mesma.
Pedalamos durante alguns kms pela cumeada entre eucaliptal cortado recentemente para descermos depois ao Ribeiro do Seixo.
Continuamos por uma bonita zona, algo inóspita, em direção à Várzea do Porto do Conde, passando pela zona do Cavaleiro.
Cruzamos o Rio Tripeiro para a Várzea seguimos para a aldeia de Martim Branco, entrando pelo velho trilho do núcleo moageiro.
Fomos visitar o restaurante e alojamento rural "Xisto Sentido" e fiquei agradado com o que vi . . . simples e bonito!
Entretanto chegou também ao local o grupo da rapaziada (e menina) que se costuma reunir nas Tílias e por ali estivemos um pouco na conversa enquanto bebericava uma mini bjeca, gentilmente oferecida pelo dono do empreendimento.
Estava na hora de regressar.
Entretanto o outro grupo já tinha saído e voltamos a encontrar-nos à chegada às Carvalheiras, pedalando juntos pelos olivais da Esteveira de Baixo até ao Chão da Vã.
Depois de cruzar de novo o Rio Tripeiro, seguimos para o Salgueiro do Campo pelo Vale Cimeiro, tomando seguidamente o rumo ao Palvarinho pelo Casal da Bica.
Descemos à Ponte de Ferro e subimos ao Rouxinol onde resolvemos seguir por asfalto até à cidade, pois a hora de almoço aproximava-se rapidamente.
Uma bela manhã de btt campestre, que culminou com 60 divertidos kms e excelente companhia.
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de moto pelo Alto Douro Vinhateiro"

"O que é bonito neste mundo, e anima, é ver que na vindima de cada sonho fica a cepa a sonhar outra aventura."
(Miguel Torga)
Com a  excelente companhia dos amigos Luís Miguel, João de Deus e Marta Farias, fomos "desbravar" algumas das encantadoras estradinhas panorâmicas do Alto Douro Vinhateiro.
A saída foi programada para as 07h00 e, já na companhia do Luís Miguel, fomos até Penamacor, onde o João e a Marta já nos aguardavam junto às bombas de combustíveis locais.
Já agrupados rumamos ao norte cruzando Meimoa, Vale da Srª da Povoa, Terreiro das Bruxas, Santo Estevão e Sabugal.
A partir desta vila e com a bonita visão do seu famoso castelo das cinco quinas, entramos em terras de Ribacoa, onde o frescura matinal nos atormentou um pouco e nos fez reconhecer que o verão já lá vai e as temperaturas vão já sofrendo metamorfoses, sobretudo em algumas zonas e, esta é uma delas.
Logo após abandonarmos o Sabugal, viramos à direita para as Quintas de S. Bartolomeu e por Rap…

"Uma visita a Belgais"

Ontem foi dia de passeio asfáltico em solitário e decidi ir fazer uma visita a Belgais.
Apesar da ameaça de chuva da meteorologia, quando espreitei pela janela, o dia estava bastante bonito e solarengo. Bora lá pedalar!!!  Vesti o fatinho de licra e fui buscar a minha "ézinha", que está sempre prontinha para ser montada .  . por mim, claro, nada de confusões!!! Eram 9h00 quando me fiz à estrada em direção aos Escalos de Baixo. Pedalada calma, de cabeça levantada e a apreciar tudo o que se passava em meu redor . . . como eu gosto. Quando chego a casa gosto de ter sempre algo para contar sobre o que vi e não apenas os dados contabilizados pelo meu ciclo computador ou aplicação do telemóvel. Nos Escalos de Baixo parei no Café "O Lanche" e ali bebi o cafezinho matinal, enquanto trocava umas palavras com o João, ficando a saber que o antigo Restaurante "O Chafariz" vai por ele ser reaberto, lá para o final deste mês, início de Novembro, mantendo o belo leitão …

"Asfáltica vadia por terras de Ribacoa"

"Se formos felizes por dentro, nada nos aprisionará por fora"
Ontem e mais uma vez com a agradável companhia do Jorge Varetas, fomos dar uma volta de bicicleta por Terras de Ribacoa, com partida e chegada na bonita vila beirã do Sabugal, situada num pequeno planalto da Serra da Malcata. Com o caudal do Rio Coa a seus pés, acolhe-se à sombra do seu esbelto e forte castelo medieval das 5 quinas, como é conhecido. Pelas 06h30 abandonamos a cidade rumo àquela vila beirã e pelas 08h30 dávamos início à nossa pequena aventura velocipédica rumo às Termas do Cró, com passagem pelas Quintas de São Bartolomeu e Rapoula do Coa. Fomos dar uma espreitadela à fachada das termas recentemente reabilitadas, com hotel, SPA e balneário termal. Fomos depois até Cerdeira do Coa, onde paramos após cruzarmos Peroficó. Não consigo resistir a uma paragem nesta localidade para apreciar aquele encantador local do Rio Noémi e a sua espetacular ponte românica de seis arcos. Tive que mostrar aquele lugar …