Avançar para o conteúdo principal

"Uma volta descontraida"

Pensamento:
"Que sentido tem corrermos quando estamos no caminho errado"
(provérbio alemão)

.o0o.
Sexta Feira recebi um "toque" do Rui Beato a dizer que vinha passar o fim de semana a Castelo Branco e para irmos pedalar no sábado.
Convite aceite.
Pelas 08h, como préviamente combinado, lá estava eu a chegar ao P. Infantil da P. Marques, onde o Rui já me esperava.
Cumprimento da praxe e decidimos ir pedalar em zona calma e sem muito relevo, tanto mais que para o dia de hoje eram esperados 39 graus de temperatura, apesar da manhã se apresentar bastante ventosa.
Saímos pelo portal do frigorífico em direcção a Sta Apolónia, em conversa amena e sem pressas, já com o intuíto de ir tomar café à Lardosa.
Alí chegados, pedimos dois cafés e sentámo-nos à mesa onde nos mativemos algum tempo na conversa e sem pressas, tanto mais que o nosso objectivo era mesmo só pedalar de forma calma e descontraída e apreciar a paisagem.
Rumámos seguidamente à Barragem de Santa Águeda com passagem pelo Monte do Satão e parámos no pontão onde o Rio Ocreza entra na barragem, para nos deliciarmos com as belas paisagens que dalí se avistam.
Resolvemos depois tentar a passagem próximo da margem por trilhos feitos pelo vai vem dos pescadores, só que a barragem ainda tem muita água e não se consegue fazer as ligações entre os diversos trilhos, pelo que tivemos que subir e inventar outros trilhos, autênticos single tracks, que iamos perdendo aqui e ali até chegarmos a uma zona lavrada recentemente onde tivemos que empurrar as biclas até um caminho umas centenas de metros mais à frente, depois de saltarmos a aramada por duas vezes.
Seguimos depois o caminho, agora asfaltado, que nos conduziu ao paredão da barragem em cujo final parámos para beber uma "bjeca" fresquinha na "tasca" ambulante ali montada pelo Carvalho, um invisual que me impressionou pela forma expedita como se move, indo buscar as cervejas ao frigorifico, tirando-lhe as cápsulas e recebendo o dinheiro, reconhecendo por tacto a quantia que lhe tinha sido depositada na mão. Impressionante a forma como consegue viver com o seu infortúnio!!!
Lá bebemos as "bjecas" bem fresquinhas e retomámos a nossa voltinha de novo em direcção à Lardosa, que contornámos em direcção a Alcains, pelo Monte do Pôr da Vaca, parando de novo en Sta Apolónia, pois o calor já estava a fazer estragos e estávamos a ficar desidratados e com falta de água.
Depois de abastecidos e termos bebido uma quantidade considerável daquele milagroso líquido, rumámos a Castelo Branco, já à vista, onde chegámos pelas 13h00, com 68 kms percorridos de forma calma e descontraída apreciando as belas paisagens proporcionadas pela bacia da barragem de Santa Águeda.
Amanhã, domingo, vou dar mais uma voltinha com a malta, com concentração para as 08h, no P. Infantil da Pires Marques.
Até lá
AC
.o0o.

Comentários

DrFunkenstein disse…
Amigo Cabaço, infelizmente hoje não vos pude acompanhar porque tive um pequeno acidente com os cabos da bike e acabei por estragar um. Fiquei bastante fo...lixado com deve calcular. Já agora deixo aqui o meu blog: http://drfunkenstein-bigbird.blogspot.com,(tudo pegado)onde tb fiz um pequeno post sobre o passeio de sábado. Abraço e até à próxima

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Passeio de mota pelo Geopark Las Villuercas e Guadalupe"

"Feliz do homem que possui uma moto, ele pode viajar, ver paisagens e entender-se a si próprio." (Eric Viking) Hoje foi dia de dar liberdade à mota. Na companhia dum casal amigo, o José Paulo e a Carla, fomos passear de mota pelas Dehezas Extremeñas, Geopark de las Villuercas e uma pequena visita a Guadalupe, um dos mais bonitos "pueblos" de Espanha. marcamos encontro na Pastelaria "A Ministra", numa das rotundas do Bairro da Carapalha e pouco depois das 08h30, já com a matinal dose de cafeína ingerida, fizemo-nos à estrada. Rumamos a Segura, onde entramos na "tierra de nuestros hermanos" seguindo depois até á Ponte Romana de Alcântara, onde efetuamos uma pequena paragem para apreciar aquela fantástica obra de engenharia romana que maravilhou o mundo antigo. Com uma história que se perde no tempo, esta ponte carrega peripécias e curiosidades. Não entramos na povoação e por uma estradinha "vecinal" seguimos para Mata de Alcântara e Gar…

"Volta vadia a ver o mar"

"A felicidade é um fim de tarde olhando o mar" (Marina Nader)
 . . .e foi esse o objetivo deste meu passeio de bicicleta, que gosto de chamar de "volta vadia". Ir ver o mar na Figueira da Foz.
Delineei o percurso, circular como sempre, juntei um grupo de amigos, também eles fãs deste tipo de passeios velocipédicos e fizémo-nos à estrada.
Saímos de Castelo Branco pelas 06h00 e fomos tomar o primeiro cafezinho da manhã à Pastelaria "Estrela Doce", na Sertã, onde o meu irmão Luís nos esperava.
Depois da dose cafeínica e do pastelinho de nata, seguimos para Condeixa a Nova, o local de partida e chegada desta nossa pequena aventura, estacionando as viaturas no parque auto do Lidl.
Cerca das 08h30, já pedalávamos em direção a Ega, a primeira povoação que passaríamos rumo à Figueira da Foz.
O dia estava ótimo para pedalar e o pouco vento que se fazia sentir era nosso aliado.
Sempre em ritmo animado e em alegre cavaqueira, como é habito, quando algumas "per…