Avançar para o conteúdo principal

"Santuário da Peña de Francia e Portillo de las Batuecas"

Depois de dois dias de intensas pedaladas em Btt pelo Parque Natural de las Batuecas desfrutando de trilhos de sonho, paisagens naturais maravilhosas e conhecer aldeias e povoados de beleza impar e conviver com as suas gentes, chegou o último dia deste belo fim de semana alongado.
E para este dia tinha preparado um percurso para a bike de roda fina, algo montanhoso, mas repleto de beleza e com passagem por alguns dos locais mais emblemáticos da região . . . as subidas ao Santuário da Peña de Francia ao do Portillo de las Batuecas e o belo Valle del Rio Hurdano.
Cedo saímos do Camping, logo após um frugal pequeno almoço tomado no bungalow.
Passámos El Casarito, a pequena povoação junto ao camping e tomámos a direção da Peña de Francia.
Seguiram-se 11 kms de subida ao Paso de los Lobos, onde parámos no Miradouro e desfrutámos de toda aquela impressionante panorâmica. Um espetáculo!
Subimos depois os últimos três kms até ao Santuário, necessitando de autorização do encarregado das obras de conservação da estrada de acesso, pois esta estava em obras e a levar um novo tapete de alcatrão. Autorização concedida e lá fomos nós.
Pedalando e apreciando toda aquela lindíssima panorâmica, era fantástico, apesar de já o ter feito anteriormente, é sempre apetecível aquela ascensão em bicicleta.
Passámos pelo Balcón del Fraile e la Cueva de los Mosquitos, onde fomos surpreendidos pela travessia da estrada dumas quantas cabras montesas.
Chegámos ao santuário e por ali deambulámos visitando e registando fotograficamente toda aquela beleza arquitetónica e envolvente paisagística.
Ninguém queria sair dali, mas era hora de descer.
Retrocedemos até ao Paso de los Lobos e descemos para Monsagro. Um longa e bonita descida com uma visão fantástica sobre o Valle del Rio Agadón. Lindo!
Parámos num bar em Monsagro e ali reforçámos o pequeno almoço e nos divertimos um pouco com as peripécias do Zé Luís que se travestiu no mercado local. Um momento hilariante e divertido.
Após esta rápida descida a Monsagro, voltámos a subir até ao alto, onde se começava e vislumbrar a aldeia de Serradilla del Arroyo, onde passámos, para mudar de estrada, agora em direção a Serradilla del Llano.
A partir daqui a estrada foi sempre ondulante, ao estilo "rompe piernas", até apanharmos a estrada panorâmica para Las Mestas.
Uma outra longa subida levou-nos até ao às proximidades do Mirador del Espinar, onde demos início a uma brutal descida com apertadas curvas em S para Riomalo de Arriba.
Aqui parámos à entrada da povoação e junto à ponte, onde nos refrescámos numa fonte ali existente. O Nuno Eusébio aproveitou a pequena praia fluvial junto à ponte para um banhinho refrescante.
Com paisagens de encher o olho, lá fomos pedalando calmamente e apreciando toda aquela panorâmica passando por Ladrillar e Cabezo até chegarmos a Las Mestas, onde parámos no bar da praia fluvial para beber umas "cañas" e comer una "bocata de bacon".
Ali nos mantivemos durante algum tempo, pois o local era bastante aprazível, aproveitando alguma malta para um banhinho, enquanto preparavam a comida.
faltava-nos o último "caroço" e para mim a parte mais bonita de todo o percurso, a subida do Portillo de las Batuecas.
Numa viragem à esquerda, logo após a povoação, seguimos algum tempo ladeando o Rio Batuecas até que começou a verdadeira subida com as suas famosas nove curvas de ferradura.
Uma subida fantástica, sempre olhando, ora à direita, ora à esquerda, tentando absorver o máximo de toda aquela paisagem montanhosa.
Chegámos ao alto, ao "Portillo" e junto ao miradouro tirámos uma foto para mais tarde recordar e descemos a Alberca e um pouco mais á frente, já no camping em El Casarito, terminámos este bonito percurso de 100 kms e este nosso fantástico fim de semana.
Foram 3 dias de boas pedaladas, quer com a btt, quer com a de roda fina, na excelente companhia do meu irmão Luís e dos amigos Nuno Eusébio, José Luís e Pedro Roxo.
Muita aventura, muito divertimento, amizade, bom companheirismo sem dúbias intenções e muitas boas pedaladas. Uma acção a repetir por outras paragens . . .brevemente!!!
 
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC 

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Passeio de Mota pela Galiza"

Mesmo com a meteorologia a contrariar aquilo que poderia ser uma bela viagem à sempre verdejante Galiza, 9 amigos com o gosto lúdico de andar de mota não se demoveram e avançaram para esta bonita aventura por terras "galegas"
Com o ponto de inicio no "escritório" do João Nuno para a dose cafeínica da manhã marcada para as 6 horas da manhã, a malta lá foi chegando.
Depois dos cumprimentos da praxe e do cafezinho tomado foi hora de partir rumo a Vila Nova de Cerveira, o final deste primeiro dia de aventura.
O dia prometia aguentar-se sem chuva e a Guarda foi a primeira cidade que nos viu passar. Sempre em andamento moderado, a nossa pequena caravana lá ia devorando kms por bonitas estradas, algumas com bonitas panorâmicas.
Cruzamos imensas aldeias, vilas e cidades, destacando Trancoso, Moimenta da Beira, Armamar, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Parada de Cunhos, Mondim Basto e cabeceiras de Basto, onde paramos para almoçar uma bela "posta", que es…

"Passeio de mota pelo Geopark Las Villuercas e Guadalupe"

"Feliz do homem que possui uma moto, ele pode viajar, ver paisagens e entender-se a si próprio." (Eric Viking) Hoje foi dia de dar liberdade à mota. Na companhia dum casal amigo, o José Paulo e a Carla, fomos passear de mota pelas Dehezas Extremeñas, Geopark de las Villuercas e uma pequena visita a Guadalupe, um dos mais bonitos "pueblos" de Espanha. marcamos encontro na Pastelaria "A Ministra", numa das rotundas do Bairro da Carapalha e pouco depois das 08h30, já com a matinal dose de cafeína ingerida, fizemo-nos à estrada. Rumamos a Segura, onde entramos na "tierra de nuestros hermanos" seguindo depois até á Ponte Romana de Alcântara, onde efetuamos uma pequena paragem para apreciar aquela fantástica obra de engenharia romana que maravilhou o mundo antigo. Com uma história que se perde no tempo, esta ponte carrega peripécias e curiosidades. Não entramos na povoação e por uma estradinha "vecinal" seguimos para Mata de Alcântara e Gar…

"Volta vadia a ver o mar"

"A felicidade é um fim de tarde olhando o mar" (Marina Nader)
 . . .e foi esse o objetivo deste meu passeio de bicicleta, que gosto de chamar de "volta vadia". Ir ver o mar na Figueira da Foz.
Delineei o percurso, circular como sempre, juntei um grupo de amigos, também eles fãs deste tipo de passeios velocipédicos e fizémo-nos à estrada.
Saímos de Castelo Branco pelas 06h00 e fomos tomar o primeiro cafezinho da manhã à Pastelaria "Estrela Doce", na Sertã, onde o meu irmão Luís nos esperava.
Depois da dose cafeínica e do pastelinho de nata, seguimos para Condeixa a Nova, o local de partida e chegada desta nossa pequena aventura, estacionando as viaturas no parque auto do Lidl.
Cerca das 08h30, já pedalávamos em direção a Ega, a primeira povoação que passaríamos rumo à Figueira da Foz.
O dia estava ótimo para pedalar e o pouco vento que se fazia sentir era nosso aliado.
Sempre em ritmo animado e em alegre cavaqueira, como é habito, quando algumas "per…