Avançar para o conteúdo principal

Rosmaninhal"

Hoje, na companhia do Silvério e do Pedro Barroca, fomos fazer uma visita à outrora fervilhante Aldeia de Rosmaninhal.

Montados nas nossas "anoréticas" rumámos ao Rio Ponsul, com uma breve mirada á sua bonita e abandonada Ponte Medieval e seguimos em direcção a Monforte da Beira.



O "Joaquim Padeiro" não teve desta vez a nossa visita, pois estava estipulado tomarmos o café no Rosmaninhal, o que pôs o Silvério a resmungar, pelo seu "abatando", alegando que sem ele, as pernas "empancam!!!"

Depois da Deveza de Monforte, virámos à direita para a panorâmica estrada, que nos conduz até à Aldeia de Cegonhas.


A paisagem é envolvente e enriquecida pelas cores e cheiros primaveris.

A descida para o Rio Aravil é rápida e com uma paisagem fantástica. Já a subida às Cegonhas, é, na sua parte inicial, nomeadamente os primeiros 300 metros, desgastante com pendentes entre os 13% e os 15%, suavizando depois até á aldeia.



Virámos agora em direcção ao Rosmaninhal com passagem pelo Couto dos Correias, onde se chega em acentuada subida, seguindo depois em constante sobe e desce até ao Rosmaninhal, onde parámos para a dose de cafeína habitual.

No Rosmaninhal era dia de festa em homenagem a S. Roque, cuja capela se encontra situada á entrada da aldeia, no nosso caso, à saída.


Ladoeiro era a nossa próxima passagem. Até lá o terreno aplanou-se mais um pouco e o andamento foi mais vivo.

Esta situação manteve-se até à Ponte sobre o Rio Ocreza, onde a subida da Monheca nos fez acalmar um pouco.


Passado os Escalos de Baixo, 13 kms nos separavam da cidade, onde chegámos pelas 12h30.

A paragem habitual para hidatação não poderia faltar e assim, lá nos recostámos um pouco na esplanada do café da Rotunda da Racha, para a bjecazinha da ordem e dois dedos de conversa, após 101 interessantes kms.


Quinta Feira, se o tempo o permitir há mais.

Fiquem bem.

Vêmo-nos nos trilhos

. . . ou fora deles.

AC

Comentários

Anónimo disse…
Sem "abatanado" as pernas empacam? Sim. Porquê? Porque os neurónios adormecem e sem a ordem certa recusam-se a trabalhar.
Vou aproveitar para fazer uma pequenina correcção. O café da rotunda da Racha também tem água das pedras, com sabor a limão e chá VERDE e tudo.
Agora sobre a parte importante, a pequena volta de hoje. Só uma palavra, EXCELENTE.
Um abraço
Silvério
AC disse…
Amigo Silvério.
Já que estamos numa de correções, gostaria de acrscentar o seguinte:-
"há pessoas que selecionam as suas bebidas pelo sabor e não pela CÔR CLUBISTICA!!!".
Abraço
AC
Luis Lourenço disse…
Boa tarde

Estou a ver que tenho de arranjar uma fininha para dar umas curvas.

O amigo AC deixa água na boca por relatar as voltas mais limpas dos ciclistas.
Deve ser melhor para as rapidinhas e sempre se poupa a porquita....

abc´s, e até à gata
Anónimo disse…
A ponte da Monheca é sobre o rio Ponsul.
AC disse…
Vou abrir uma excepção só para agradecer ao "ANÓNIMO" a correção sobre o rio que passa na Monheca, neste caso o Rio Ponsul.
De futuro não publicarei mais nenhum comentário de anónimos.
Neste blog, é tudo "ás claras".
Não fico melindrado com correcções, pelo contrário, até fico agradecido. Mais uma vez Bem Haja. Pena não saber a quem estou a agradecer!!!
Edgar Magro disse…
Grande volta.
Sou das Cegonhas. Gostava de a fazer um dia, mas não há pernas para tanto.
É bom saber que ainda há quem passe por estas paisagens que são fantásticas.
Cumpts,

Mensagens populares deste blogue

"Hoje fomos à romaria"

A manhã acordou hoje límpida e solarenga, num bom incentivo para um bom par de pedaladas asfálticas. Quando saí da garagem já o Álvaro e o Leandro me esperavam. Juntos fomos até à Rotunda das Violetas, ao encontro do Luís Lourenço e do Nuno Eusébio. Pouco depois chegou o Jorge Palma. Para não perder a prática tive ainda que mudar a câmara de ar da minha roda traseira que vinha com um pequeno furo, originado por uma limalha. Já com a "ézinha" pronta a rodar, fizemo-nos à estrada, abandonando a cidade pela Milhã, rumo ao Juncal do Campo pela estradinha panorâmica da Quinta de Valverde. Cruzamos a aldeia e entroncamos na N.12, onde fletimos à direita, rumo ao Padrão, uma pequena aldeia que este fim de semana se encontra engalanada para a festa da Nossa Senhora da Saúde. Entramos na aldeia e fomos tomar o cafezinho matinal no bar junto ao adro da igreja, gentilmente servido por um senhor, creio que festeiro, que fez questão de oferecer os cafezinhos e que agradecemos. Descemos …

"Rota do Bucho/2016"

Pelo segundo ano consecutivo, resolvi editar a Rota do Bucho, com um passeio pelos trilhos de Malpica do Tejo, uma bonita aldeia onde tenho raízes, que termina à mesa com um belo bucho de ossos à boa moda malpiqueira. Convidei um "magote" de amigos, dos quais dezasseis disseram presente. O ponto de reunião, foi desta vez na Pastelaria Cantinho dos Sabores, na Rotunda da Racha, onde tomamos o cafézinho matinal. Pelas 08h20 partimos em pelotão auto rumo a Malpica do Tejo, onde o Rui e a Sandra Tapadas já nos aguardavam. A previsão era de vento forte e alguns aguaceiros e desta vez o S. Pedro não nos "despontou", mandou mesmo umas belas rajadas de vento e umas belas bátegas de água, que nos atingiram por três vezes, um pouco no início desta pequena aventura, sensivelmente a meio, quando estávamos à vista de um local de abrigo, a aldeia de Lentiscais e no final, em jeito de banho. Pelas 09h00, como planeado, abandonávamos a aldeia rumo ao Monte do Couto do Alberto, en…

Alvaiade, Perdigão e Vila Velha de Rodão"

Hoje, com um pelotão mais numeroso, fomos tomar o cafézinho matinal à Bolaria Rodense, em Vila Velha de Rodão. Abandonamos a cidade pouco depois das 08h30 e rumamos ao Perdigão, com passagem por Sarnadas de Rodão e Alvaiade. Seguimos depois pela estradinha panorâmica que liga o Perdigão a Vila Velha de Rodão, usufruindo da bonitas paisagens sobre a Serra das Talhadas e Vilas Ruivas. Depois da pequena tertúlia na Bolaria Rodense e já com os níveis repostos, rumamos à cidade, com passagem pelo Coxerro e Sarnadas. Aqui voltamos a encontrar o Joaquim Cabarrão e o Salvado, que deram uma volta mais pequena e juntos seguimos até à entrada da cidade, onde nos voltamos a separar, pois o restante grupo foi pela variante à Carapalha. Numa manhã já bem primaveril, alinharam para esta bonita volta, além de mim, o Jorge Palma, Tó Pinto, Fernando "Caraíbas", Sr. Silva, António Leandro e o João Salavessa.  Foram 75 kms, repletos de divertidas pedaladas, na companhia deste animado grupo de …