Avançar para o conteúdo principal

""Por S. Miguel D'Acha e Vale Prazeres"

Hoje fui dar a segunda voltinha com a Canyon Aeroad.

Fiz mais alguns ajustes pessoais e fui para a estrada.

Fez-me companhia o amigo Silvério e rumámos a S. Miguel D'Ácha, com passagem em Escalos de Baixo, Escalos de Cima e S. Gens.

Hoje fiz a subida de S. Gens em ritmo contínuo e com um andamento mais pesado, com intenção de, não só fazer um teste à máquina, pois trás desmultiplicações diferentes das que eu estou habituado, mas também para me testar a mim próprio.




Quanto á máquina, continuo a gostar do seu desempenho. Quanto á minha pessoa, ainda estou muito aquém do que necessito para a minha "brincadeira" deste ano, a ligação Suiça - Portugal. Mas sinto que estou no bom caminho.

Em S. Miguel, parámos no café da D. Maria para a intoxicação de cafeína, aproveitando para pôr a conversa em dia.

A direcção agora era Alpedrinha, por Vale de Prazeres, com a sua já conhecida subida.

De S. Miguel a Vale Prazeres, é uma estrada onde se faz um bom treino, para quem vai com esse intuito.




Depois da descida inicial até á ponte, é um constante sobe e desce. Um "rompe piernas", como dizem os "nuestros hermanos!!!

Em Vale Prazeres iniciámos a subida à fonte, sempre em bom ritmo, mas sem exageros. A intenção era começar e acabar à mesma velocidade. E foi o que aconteceu.

Parámos então na fonte para abastecer os bidons e continuámos em direcção a Castelo Branco, aumentando substancialmente a velocidade, pois a partir de Alpedrinha, é tudo a favor.

Abrandámos em Alcains, para descongestionar e oxigenar um pouco os músculos, já um pouco doridos e assim continuámos até á cidade, na conversa.




Chegámos pelas 12h00, com 84 kms pedalados e, desta vez, não houve sossega para ninguém. O ritmo imposto hoje, fez alguma mossa e queríamos era descansar.

Quanto ao Silvério, tenho que dizer o seguinte. Aquele companheiro, com rédea curta, vai onde quer e a qualquer ritmo. Pena, é quando se pica e desperdiça energia "a rodos", além de ser um pouco preguiçoso a mexer na "alavancazinha" das mudanças.

Desculpa lá a "boca" companheiro, mas a intenção agora é mesmo "picar-te".

Hoje gostei imenso do teu desempenho, até já vinha com receio de me faltar a "caneta". eh eh eh!

Fiquem bem.

Vêmo-nos nos trilhos

. . . ou fora deles.

AC

Comentários

Anónimo disse…
My friend, à maneira facebook: I LIKE.
Sabes uma coisa começo a ficar muito preocupado, os meus índices de dependência da "PPPP" estão cada vez mais altos, acho que já estou viciado.

Como resposta aos teus doutos comentários:
1º - Reconheço que eu não me "caracterizava" melhor.
2º - Para ultrapassar o problema das mudanças e acabar com essa limitação, já estou a trabalhar numa solução com a Campagnolo, a Shimano e a SRAM -> CAIXA AUTOMÁTICA, depois vais ver como é.
3º Desculpas? Não são merecidas, eheheheh.
4º Picadelas? PICA PICA QUE ATÉ CHEGARES AOS MIOLOS TENS MUITO QUE PICAR, ahahahah!!!
Um grande abraço
Silvério
BTT-ALBI disse…
Eh pá cum catano ! voçes assim a treinarem vão a Portalegre e limpam aquilo numa boa.
Quanto a "Picadelas" o Silvério já é um "expert" que o digam as abelhas dos Bugios !!!
1 abraÇo.

Mensagens populares deste blogue

"Rota do Bucho/2016"

Pelo segundo ano consecutivo, resolvi editar a Rota do Bucho, com um passeio pelos trilhos de Malpica do Tejo, uma bonita aldeia onde tenho raízes, que termina à mesa com um belo bucho de ossos à boa moda malpiqueira. Convidei um "magote" de amigos, dos quais dezasseis disseram presente. O ponto de reunião, foi desta vez na Pastelaria Cantinho dos Sabores, na Rotunda da Racha, onde tomamos o cafézinho matinal. Pelas 08h20 partimos em pelotão auto rumo a Malpica do Tejo, onde o Rui e a Sandra Tapadas já nos aguardavam. A previsão era de vento forte e alguns aguaceiros e desta vez o S. Pedro não nos "despontou", mandou mesmo umas belas rajadas de vento e umas belas bátegas de água, que nos atingiram por três vezes, um pouco no início desta pequena aventura, sensivelmente a meio, quando estávamos à vista de um local de abrigo, a aldeia de Lentiscais e no final, em jeito de banho. Pelas 09h00, como planeado, abandonávamos a aldeia rumo ao Monte do Couto do Alberto, en…

"Hoje fomos à romaria"

A manhã acordou hoje límpida e solarenga, num bom incentivo para um bom par de pedaladas asfálticas. Quando saí da garagem já o Álvaro e o Leandro me esperavam. Juntos fomos até à Rotunda das Violetas, ao encontro do Luís Lourenço e do Nuno Eusébio. Pouco depois chegou o Jorge Palma. Para não perder a prática tive ainda que mudar a câmara de ar da minha roda traseira que vinha com um pequeno furo, originado por uma limalha. Já com a "ézinha" pronta a rodar, fizemo-nos à estrada, abandonando a cidade pela Milhã, rumo ao Juncal do Campo pela estradinha panorâmica da Quinta de Valverde. Cruzamos a aldeia e entroncamos na N.12, onde fletimos à direita, rumo ao Padrão, uma pequena aldeia que este fim de semana se encontra engalanada para a festa da Nossa Senhora da Saúde. Entramos na aldeia e fomos tomar o cafezinho matinal no bar junto ao adro da igreja, gentilmente servido por um senhor, creio que festeiro, que fez questão de oferecer os cafezinhos e que agradecemos. Descemos …

Alvaiade, Perdigão e Vila Velha de Rodão"

Hoje, com um pelotão mais numeroso, fomos tomar o cafézinho matinal à Bolaria Rodense, em Vila Velha de Rodão. Abandonamos a cidade pouco depois das 08h30 e rumamos ao Perdigão, com passagem por Sarnadas de Rodão e Alvaiade. Seguimos depois pela estradinha panorâmica que liga o Perdigão a Vila Velha de Rodão, usufruindo da bonitas paisagens sobre a Serra das Talhadas e Vilas Ruivas. Depois da pequena tertúlia na Bolaria Rodense e já com os níveis repostos, rumamos à cidade, com passagem pelo Coxerro e Sarnadas. Aqui voltamos a encontrar o Joaquim Cabarrão e o Salvado, que deram uma volta mais pequena e juntos seguimos até à entrada da cidade, onde nos voltamos a separar, pois o restante grupo foi pela variante à Carapalha. Numa manhã já bem primaveril, alinharam para esta bonita volta, além de mim, o Jorge Palma, Tó Pinto, Fernando "Caraíbas", Sr. Silva, António Leandro e o João Salavessa.  Foram 75 kms, repletos de divertidas pedaladas, na companhia deste animado grupo de …